Project Cars #98 – os carros de 300 km/l da equipe Ecocar da Unicamp

Carlos Eduardo Ramponi 3 julho, 2014 40
Project Cars #98 – os carros de 300 km/l da equipe Ecocar da Unicamp

Olá, pessoal do FlatOut! Somos a equipe ECOCAR, da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) que compete na Maratona Da Eficiência Energética nas categorias elétrica e à gasolina. Estamos aqui para contar a vocês um pouco sobre a nossa equipe e nosso projeto de 2014, que consiste em dois protótipos um tanto quanto peculiares, de três rodas, que visam a máxima eficiência energética possível. Vamos nessa?

 

A Equipe

Nossa equipe foi criada em 2004, inicialmente com alunos da Engenharia Mecânica, e compete na Maratona de Eficiência Energética desde aquele ano, conquistando o segundo lugar em seu ano de estreia na categoria a gasolina. De lá para cá, a equipe chegou a vencer em 2007 na categoria gasolina e oscilou entre o segundo e terceiro lugares até 2011.

Desde então a equipe passou por reformulações, a maior delas no último ano, quando quase toda a equipe foi renovada e novos membros foram admitidos para iniciarmos um novo projeto. Hoje, contamos com 26 membros de diversos cursos de graduação, como Engenharia Mecânica, Controle e Automação, Engenharia Elétrica e ainda Matemática e Medicina, além de um professor orientador e colaboradores.

Foto_02

Membros da Equipe Ecocar 2013-2

Os membros são divididos na equipe por áreas de atuação: Direção e Freios, Chassi e Carenagem, Motor e Transmissão, Elétrica e Administrativo. A equipe se estrutura de maneira vertical com um capitão gerenciando os chefes de departamento e estes por sua vez gerenciando os membros, onde todos são auxiliados pelo professor orientador e nossos colaboradores. Por sermos uma equipe tão diversificada, a troca de experiências é muito valiosa tanto para a vida profissional quanto para a pessoal. O convívio com pessoas tão diferentes proporciona um ambiente de desenvolvimento acadêmico muito importante para qualquer área de ensino.

 

A competição

Nós competimos na Maratona Universitária da Eficiência Energética (MUEE), uma competição em âmbito nacional que ocorre desde 2004 e é a quarta maior competição do gênero no mundo. Ela foi baseada na Shell Eco Marathon, a maior competição de eficiência energética do mundo, que é realizada anualmente nas Américas, Europa e Ásia.

A Shell Eco começou há 75 anos (1939), quando alguns funcionários da companhia Shell Oil fizeram uma aposta amigável de quem conseguiria percorrer a maior distância com a mesma quantidade de combustível. Desde então, a competição se expandiu para dois novos continentes, incluiu novos combustíveis na competição e atiça a mente de jovens pelo mundo todo em busca da eficiência energética.

Foto_03

Foto oficial da MUEE 2012

A maratona brasileira conta com a participação de universidades de todo o Brasil e há três modalidades: elétrica, gasolina e etanol. Em 2013 foram inscritos 55 protótipos de 29 universidades e aproximadamente 500 universitários estavam presentes. Nos últimos anos a Maratona da Eficiência Energética vem sendo realizada no Kartódromo Ayrton Senna em São Paulo.

A competição deste ano, assim como em 2013, ocorrerá em paralelo com as 6 Horas de São Paulo, etapa do Mundial de Endurance (WEC),  evento que traz muita visibilidade para a maratona. Em 2013, Emerson Fittipaldi deu um pulo por lá para fazer a entrega dos troféus aos vencedores e até pilotou um dos protótipos.

O principal objetivo desta competição é oferecer oportunidades aos estudantes do ensino superior da área de Engenharia, para que eles possam desenvolver em uma área prática aquilo que eles aprendem todos os dias na sala de aula, além do trabalho em equipe. Muitas das vezes é difícil aliar este conhecimento prático com o teórico em nossos cursos de graduação, mas a competição veio suprir esta necessidade. Como consequência, esperamos gerar a partir do nosso estudo novas tecnologias para serem adaptadas aos carros do cotidiano, já que eficiência energética é uma área que ainda tem muito a ser desenvolvida.

Como forma de avaliar os protótipos são realizadas 12 voltas no kartódromo, com um tanque de 250 ml de combustível, e a partir do consumo do protótipo nessas 12 voltas é feita uma relação de quanto seria o consumo de um litro do combustível.

Foto_04

Equipe Ecocar na MUEE 2013

Cada equipe tem direito a três tentativas — uma por dia de competição — e o vencedor é aquele que obtiver o menor consumo em qualquer uma das três tentativas. Na edição de 2013 o consumo dos campeões foram:  405,845 km/l na Categoria Gasolina, 42,492 kJ na Categoria Elétrica e 233,057 km/l na Categoria Etanol. A quem se interessar, a Discovery fez um documentário sobre a 9a Maratona, em 2012:

 

O Projeto

Para a maratona de 2014, nossa equipe competirá em duas categorias: Elétrica e Gasolina. Cada categoria terá um protótipo competindo que compartilham o projeto do chassi, carenagem, direção e freios. As diferenças ficam basicamente por conta do motor.

Gasolina: Nosso protótipo à gasolina foi batizado de PidgeOtto e será um veículo monoposto de três rodas (duas dianteiras e uma traseira que tracionará o carro) e que utilizará o motor Honda GX-35 de apenas um cilindro, utilizado em roçadeiras com impressionantes 1.3 cv, 0,36 mkgf e 35,8 cm³ de deslocamento.

Para os leitores acostumados a motores com potência e torque de sobra (seja nos L4 ou no W16) nosso motor não parece grande coisa, porém nosso intuito não é sermos os mais rápidos (até porque a velocidade máxima permitida pelo regulamento é de 45 km/h) e sim os mais econômicos. E esse motor cumpre bem seu papel, com o recorde de consumo da equipe com o mesmo sendo de 367 km/l (!).

Elétrico: O protótipo elétrico foi batizado de Voltorb e como no protótipo à gasolina o protótipo elétrico será um veículo monoposto de 3 rodas. A diferença fica por conta do motor DC de alta eficiência, que consegue ser tanto quanto ou mais eficiente que o motor a combustão, mas com um quinto do tamanho.

Foto_05

Ecocar durante a MUEE 2013

Espero que tenham gostado da nossa equipe e da nossa competição, que ainda é pouco divulgada no país. Nosso projeto começou a sair do papel e em nos próximos posts teremos mais novidades sobre a construção e a caminhada até a competição. Enquanto isso, para conhecer mais sobre equipe e ver os nossos projetos anteriores, curta nossa página no Facebook e visite nosso site. Até a próxima!

Por Carlos Eduardo Ramponi, Project Cars #98

0pcdisclaimer2

  • HighwayStar_84

    Project legal! Esse carrinho pequeno me fez lembrar do Peel, que o Jeremy Clarkson guiou no Top Gear!

    https://www.youtube.com/watch?v=dJfSS0ZXYdo

    É a moça quem pilota o Ecocar?

    • Guilherme70s

      Cara, esse carrinho – Peel P50 – é sensacional (mesmo tendo 3 rodas)…
      Segurança – 0
      Eficiência – 10
      Originalidade – 1000000

  • Bruno
  • Rodrigo Citon

    awesome =D

  • Ubiratã Muniz Silva

    Claro que esses carros são conceituais e não são feitos pra uso diário, mas adoro esse tipo de projeto, muitas dessas idéias acabarão futuramente indo para os carros de produção, o que é melhor pra todos.

  • Thulio_sti

    Vcs transportam os carros em uma pokebola? XD

    Parabéns pelo projeto…

  • Jwoll

    gostei dos carros com nome de pokemon, melhor que “spin”

  • Gilberto Batista de Sousa

    Os karas gostam de Pokemon… kkkkk

  • simpsoncsa

    OFF:
    Muito doida essa Mercedes Benz CL 600 V12!

    http://seminovosbh.com.br/veiculo/codigo/771839

    • Fórmula Finesse

      Um dos melhores carros do mundo naquela época!

    • Hugo94

      V12 ?

      • simpsoncsa

        Sim. É o motor M120 6.0 V12 com 389 hp.

  • Giovani

    Desculpe a pergunta, mas realmente eu não consigo entender isso, onde está a engenharia? Ao meu ver pela matéria, você simplesmente montam um carrinho o mais leve possivel, e colocam um motor comum com o menor consumo que conseguem encontrar e com potência suficiente para mover o carro mais um piloto que provavelmente é a pessoa mais leve do grupo. Se eu estiver errado, por favor, esclareçam-me

    • Fabian

      A engenharia está em projetar e montar o carrinho mais leve possível.

      • Giovani

        Pelo que vejo, 1kg faz muita diferença nessa montagem, não existem algum tipo de peso padrão para o piloto, ou peso mínimo?

        • Fabian

          Não sei desse caso especificamente, mas em outras competições existe um lastro para que os pilotos tenham todos o mesmo peso, além disso o regulamento é bem restritivo em várias questões.

          • Giovani

            Ao meu ver seria mais interessante se todos os grupos tivessem o mesmo material para montagem, para ver quem conseguiria aproveitar melhor os materiais, a energia do motor, tentando fazer um projeto o mais eficiente possível.

          • Fabian

            Mas aí viraria uma Stock Car, o barato está justamente em conseguir fazer concepções diferentes entre si, mas de forma que ainda possam competir em relativa igualdade, ou seja, como num WRC ou na F1.

        • Igor Alves

          O mínimo é de 50 kg, sendo que se o piloto tiver menos que 50 kg um lastro deve ser adicionado para padronizar o peso dos pilotos.

          • Giovani

            Assim faz mais sentido.

      • Igor Alves

        Mais eficiente principalmente, o peso é uma variável importante mas apenas uma entre inúmeras.

    • Luís G

      E com o menor custo possivel alem de uma verba limitada.

    • Diego

      Aerodinâmica, suspensão, na “simples montagem” do carrinho, em tudo isso está a engenharia.
      Tenho certeza que não é só enfiar um motorzinho de liquidificador lá e sair dando voltas.

    • Igor Alves

      O mais leve possível dentro das limitações que os materiais utilizados e o orçamento impõe, e ainda existem inúmeras normas de segurança e de projeto que impedem que um carro fique tão leve quanto poderia ficar sem as exigências. Só nisso já são abordados inúmeros tópicos de engenharia, e como o Diego disse, ainda existem outras áreas para serem trabalhadas (suspensão, direção, etc..) e otimizadas, exigindo muita engenharia também. Se todos usassem as mesmas técnicas e o mesmo “motor comum com menor consumo” todos ficariam em 1º lugar não é mesmo?

  • Barba

    Cara, a velocidade não devia se a maior possível ? Sendo a máxima de 45km/h fica menos dificil de ganhar. Afinal, andar devagar ja é mais economico = ]
    Acho eu

    • Fabian

      Deve ser uma norma de segurança, afinal é uma competição universitária.

      • Igor Alves

        Sim, é uma norma de segurança, existe também uma velocidade média mínima de 24 km/h para a categoria combustão e de 15 km/h para a categoria elétrica.

    • lightness RS

      Quanto mais rápido mais, mais perdas aerodinâmicas, ou seja, mais difícil de fazer um carro eficiente.

  • Dieki

    Pokemon é para os fracos! O nome da equipe é Ash Racing?

    hauihaahiahiahua

  • XRS250

    Legal esse motor de 40cm3 é algo bem interessante e 367KM/L é perfeito para os muquiranas.

    • felipereira

      Fiquei babando nesse carro…já pensou, rodar a semana inteira com 1 litro de combustível?! Ahuhuahua

      • XRS250

        Seria algo interessante.

    • Guilherme70s

      Em breve no Palio Fire 2015…

      • XRS250

        hauhahauaaa

  • mateussrmello

    Quando começa a prova vocês gritam “Voltorb eu escolho você!” ? uhuheauhuea
    Boa sorte com o projeto que tá fod@.

  • ochateador

    Bonitos pokémons hein rapaz

  • GSB

    Juro que eu li 300 Km/h por hora, por instantes fiquei: “WTF?” haha… Ainda assim, íncrível!

    Queria ver o Wobbuffet aí kkk

  • Encontro dos Radicais

    Bom dia, gostaria de informar que divulguei a matéria no blog Encontro dos Radicais, blog dedicado a esportes sobre rodinhas. Valeu -> http://encontrodosradicais.blogspot.com/

  • Vitor Augusto Pança

    Eu vejo um pouco do Morgan Three-Wheeler nesses carros. hehehe
    Manda ver cambada!

  • Pedro Jungbluth

    Gostei do projeto e do documentário.
    Já corri um bocado na raceland… adoraria competir em economia, tenho tocada suave… porém tenho 116 kg! rsrsrs