A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Project Cars Project Cars #21

Project Cars: a hora da desmontagem e retífica do motor do meu Opala SS4 Turbo

Fala, galera! Tudo beleza?! Continuando a saga do SS4-Turbo, no último “episódio” encerrei o tema com aquela foto do chão da garagem cheio de óleo e água que vazou do TratorPor isso, depois de uma conversa rápida com meus amigos, decidi mudar a ordem do que deveria ser feito. Já estava estudando um possível upgrade para os freios mas, como disse antes, resolvi antecipar a retífica do motor (que só seria feita depois terminar suspensão e freios). Então em um sábado com meu amigo Rafael, desmontamos coletores de admissão e escape, alternador, polias e radiador. No sábado seguinte, dessa vez com a presença do Felipe, também, retiramos o motor e o desmontamos inteiro para encontrar surpresas boas, surpresas ruins e uma surpresa “bizarra”. Vamos a elas.

 

A Missão de Retirar o Motor do Cofre

Na primeira etapa, como disse antes, foi retirada a maioria dos periféricos sem maiores problemas, apenas um parafuso da bomba d’água não quis sair. Como ele não nasceu ali, então sairia por bem ou por mal.

20141012_181956

Na segunda etapa, começamos logo pelo parafuso da bomba d’água. Demos umas pancadas e ele saiu por mal. O resto foi todo tranquilo: retiramos o cabeçote, separamos a engrenagem do comando de válvulas com um maçarico portátil (não precisei usar a cozinha da minha mãe de novo como  no primeiro post), tiramos válvulas, molas, pratos e travas.

20141012_182029

Então chegou a hora de retirar o bloco — a parte mais difícil (lembrem-se: estava na garagem do meu prédio e não em uma oficina) — com a ajuda de uma corda e uma barra de ferro, que também foi utilizada para afrouxar os parafusos do cabeçote como um extensor.

20141018_155509

 20141018_161112

Passamos a corda por cada suporte do motor, a barra serviu para eu e Rafael segurar o motor, o Felipe ficou responsável por direcionar o motor para fora do carro. Quem pensa que o quatro-cilindros do Opala é leve está muito enganado. O negócio pesa pra c#@%&, mas com ajuda dos meus amigos foi mais fácil do que eu pensei.

20141018_170842
Eu, Felipe e Rafael com a ferramenta inventada para retirar o motor

– Surpresas boas: O bloco, bielas e cabeçote todos estavam em bom estado, apenas bastante sujo, afinal são 35 anos de uso.

-Surpresas ruins: nos cilindros 2 e 3 os anéis estavam quebrados e com isso as saias do pistão foram arranhadas. O cilindro número 4 estava bebendo água devido à junta do cabeçote rachada e selos d’água em péssimo estado. A capa seca da embreagem estava mais para capa molhada de tanta água e óleo que havia nela. A fiação estava “melhor” do que eu imaginava mas mesmo assim merece uma atenção especial.

20141018_222214

Isso era um selo d’água.

-Surpresa bizarra: depois que desmontamos o conjunto da embreagem, veio a surpresa, vejam na foto abaixo e tentem descobrir o que há de errado. No próximo post a gente discute isso. Só uma observação: não sei como, nem há quanto tempo ela estava funcionando com esse problema

-Alegria de pobre dura pouco: minha ideia é converter meu motor para rodar com etanol pelo melhor poder de queima, resfriamento e acerto que à gasolina. Eu já tinha os pistões com cabeça plana e metal leve, entretanto a retifica condenou meus pistões e eles não poderiam ser reutilizados. O meu virabrequim estava com bronzinas 0,20 e depois da retífica teria que abrir para 0,75 assim ficando muito próximo da última medida para retífica, então decidi procurar um eixo em melhores condições do que o meu. Um dia, meu amigo Leonardo me disse: “Hugo, se você pensa que vai gastar pouco dinheiro com a retifica, desista pois é onde você mais irá gastar. Sempre tem surpresas ruins.” Estão vendo que é exatamente o que ele falou.

20141018_184525

Com todos esses acontecimentos o Trator SS4 vai ficar mais tempo do que imaginava fora de ação, o que me deixa mais chateado, pois dirigir aquele carro é como uma terapia para mim, quando estou dentro daquele carro esqueço todos meus problemas, eu relaxo, tenho saudade até do barulho de todos os acabamentos internos batendo a cada ondulação do asfalto. Os finais de semana sem ele estão sendo difíceis. Acredito que a maioria que frequenta o FlatOut! seja assim.

“Mas e o comando de válvulas, Hugo?” Foi enviado para São Paulo pelo Carlos Henrique (Meu Preparador) para ganhar uma nova configuração, apropriada para o kit turbo.

Com o motor fora do cofre, comecei ver como estava situação da fiação, tinha muito fio com um monte de emendas, a maioria do chicote está enrolada com fita isolante, então será feita a substituição dos fios, tirar o máximo possível da fita isolante, deixando apenas em locais necessários, alguns terminais dos fios estavam horríveis (tinha um do alternador quase se partindo), e depois disso usarei conduítes no chicote todo para dar um acabamento mais “limpo” ao cofre.

Depois de voltar da retífica, o motor será pintado com sua cor original, um tom de verde que gosto bastante, e todos os suportes serão em preto (que já foi feito). Isso veremos no próximo post. Até lá!

Por Hugo Pompeo, Project Cars #21

0pcdisclaimer2

Matérias relacionadas

Project Cars #157: a história do Chevette 1983 de Fred Castro

Leonardo Contesini

Project Cars #21: acertando detalhes da restauração e preparação do Opala SS-4 Turbo de Hugo Pompeo

Leonardo Contesini

Project Cars #76: a compra e o começo da relação de Rodrigo Almeida e seu Puma GTS

Leonardo Contesini