A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Project Cars Project Trip #278

Project Trip #278: de carro pela Califórnia e costa oeste dos EUA

Fala, galera do Flatout! Estou de volta! Para quem não lembra, sou o Carlos Humberto Casadei ou só Cahu (Leia Caú) sou o filho do pai do Putz! Sim! Fui selecionado para mais um Project Car! Não. Não é o Putz 2, nem o Putz Grila, nem Putz GTO… ainda não!  Dessa vez vou contar uma saga bem menos audaz, mas que ainda assim vale a pena o relato! É um Project Trip!

1- Putz

Olha eu aí!

Tudo começou há uns dois anos quando eu e minha namorada, Camila, começamos a sonhar (ainda longe de planejar) com uma viagem internacional. Ficávamos olhando sites de viagens sem muita pretensão. As primeiras ideias eram Chile, Europa, Caribe ou Estados Unidos. Dá pra perceber que qualquer lugar seria bom né?

Em fevereiro deste ano (2015), achamos uma passagem de ida e volta entre Brasília e Las Vegas (05/08 até 19/08) em promoção por um preço bem abaixo do que estávamos planejando! Comprei meio que na loucura, sem pensar muito. Como somos de BH teríamos que comprar o trecho até Brasília. Ok, sem problemas! Então, ficou-se decidido! O destino seria os EUA por 14 dias.

É sempre bom lembrar que em fevereiro o dólar estava cotado a R$2,77. Alto, mas ainda assim valia a pena.

Em 2007/8 eu fiz um intercambio de três meses nos Estados Unidos. Trabalhei dois meses em Rawlins (uma cidade no interior do fim do mundo dos Estados Unidos) no estado de Wyoming (fim do mundo) onde peguei temperaturas médias de -18 e mínima de -36! O outro mês eu rodei um pouco pelos EUA (uma noite em Vegas, uma em Denver, 20 dias em Reno, sete dias em NY).

2- Rawlins

Sou eu encostado à direita da rampa de neve, digo, Chevrolet Lumina!

Então eu já conhecia um pouco de Las Vegas. Bem pouco, mas sabia que não era uma cidade que se leva mais de 4 dias para conhecer. Mas a passagem era para 14 dias! O que nos deu a possibilidade de rodar por outras cidades da região.

Pesquisando a região vimos que teríamos muitas possibilidades, desde Grand Canyon, Yosemite, e Vale da Morte até toda a costa Oeste da Califórnia (San Francisco, San Diego, Los Angeles etc). Eu já ouvia falar muito bem da descida da costa oeste pela Highway 1, que contorna toda a costa da Califórnia com vistas indescritíveis. E como todo gearhead, uma descida de carro por ela me parecia irrecusável! E assim eu decidi por unanimidade (informei a decisão a ela depois).

3- Highway one Google

Mar, montanhas e curvas. O que mais eu ia querer?

Primeira opção de trajeto: Sair de Las Vegas para San Francisco e de lá descer a costa parando em Monterey, Santa Barbara, Los Angeles e San Diego. De San Diego voltaríamos para Las Vegas.

4- Rota 1 Google

Mas o caminho entre Las Vegas e San Francisco é muito longo e monótono. Como dá pra ver no mapa, existe uma cadeia de montanhas que tem que ser “contornada”, fazendo desse trecho o mais longo e cansativo. Cogitamos fazê-lo de avião, mas a passagem não estava barata, principalmente por cair em um final de semana. Dessa forma, os planos tiveram que ser alterados.

Como a cidade mais próxima à Las Vegas é Los Angeles (270milhas – 432Km), decidimos que ela seria o primeiro destino e por lá ficaríamos 3 noites. De lá subiríamos até San Francisco de carro (389 milhas / 622Km). A partir daí desceríamos a costa até San Diego. Então o trajeto final ficaria assim:

5- Rota 2 Google

  • Las Vegas (05-07/Ago – 2 noites)
  • Estrada 432 Km até Los Angeles
  • Los Angeles (07-10/Ago – 3 noites)
  • Estrada 622 Km até San Francisco
  • San Francisco (10-12/Ago – 2 noites)
  • Estrada 193 Km até Monterey
  • Monterey (12-13/Ago – 1 noite)
  • Estrada 368 Km até Santa Barbara
  • Santa Barbara (13-14/Ago – 1 noite)
  • Estrada 364 Km até San Diego
  • San Diego (14-16/Ago – 2 noites)
  • Estrada 540 Km até Las Vegas
  • Las Vegas (16-18/Ago – 2 noites)

Pode parecer um trajeto estúpido. Ele é. Mas acredite, eu fiz mais de 20 possíveis trajetos analisando quilometragem, preço de aluguel de carro, gasolina, avião, tempo de estrada/voo, horário de partida e chegada dos voos, preço de hotéis nos finais de semana, resumindo… Olhei tudo! E o melhor custo benefício foi esse!

Nota do editor: Se você tiver cacife (em tempos de dólar nas alturas  devo estar falando com as paredes), chegue em San Francisco de avião e desça a costa.

Ok! Roteiro definido. Hora de definir os detalhes.

Com exceção de Las Vegas, onde os casinos são “baratos”, definimos por ficar hospedados pelo Airbnb – site de compartilhamento e aluguel de quartos/apartamentos/casas/trailers/sofás e o que mais você estiver disposto -. Nunca tinha experimentado, mas já adianto, é sensacional! Escolhemos ficar sempre em locais com quarto individual, banheiro privativo e cama de casal. Digo que a economia entre o orçamento dos hotéis e o do Airbnb foi de cerca de 50%!

Mas assim como todos vocês estão aqui pra ler, meu interesse maior eram as estradas e os carros, afinal seriam mais de 1500 milhas (2,4 mil Km) de estradas lisas, carros bons e paisagens fantásticas! Mais uma vez devido ao CAFE (Cahu Analisando as Finanças e a Economia) tive que dividir o aluguel do carro em 2 partes. De Las Vegas até San Diego ficaria com um. Devolveria numa manhã e pegaria outro na noite do mesmo dia para a volta à Vegas!

Cheguei a ser chato na hora de escolher a locadora e os carros a serem alugados! Liguei para várias locadoras perguntando quais eram as opções de carros de cada categoria, analisei os preços, o consumo, o porta malas, o motor, a autonomia. Eu tomei pra mim duas premissas: Tinha que ser econômico e diferente dos carros que encontramos no Brasil ou pelo menos que eu nunca houvesse dirigido.

Como nossas malas eram grandes, excluí as categorias de carros econômicos e dos compactos. Dessa forma se encaixaria no orçamento os intermediários e, talvez apertando um pouco o orçamento, os full size. Bora procurar as informações deles!

Opções da categoria intermediária:

  • Toyota Corolla  (Consumo estrada: 15,7 Km/l)
  • Nissan Sentra (Consumo estrada: 17,0 Km/l)
  • Hyundai Elantra (Consumo estrada: 16,2 Km/l)
  • Dodge Dart (Consumo estrada: 15,3 Km/l)
  • Mazda 3 (Consumo estrada: 17,5 Km/l)

Opções categoria full size:

  • Kia Optima (Consumo estrada: 14,5 Km/l)
  • Toyota Camry (Consumo estrada: 14,9 Km/l)
  • Chrysler 200 (Consumo estrada: 14,5 Km/l)
  • Hyundai Sonata (Consumo estrada: 14,9 Km/l)
  • Chevrolet Malibu (Consumo estrada: 14,5 Km/l)

Com esta lista em mãos excluí algumas opções não-gearhead e montei na minha cabeça a ordem de preferência. Por algum motivo eu fiquei vidrado no novo Mazda 3! Ele era o topo da lista.

6- Doge Hellcat

Não posso ser o único que entra em sites das fabricantes estrangeiras e fica montando carros e imaginando qual compraria com o mesmo dinheiro daqui! Claro que eu começava no Corolla e acabava no Charger Hellcat! Mesmo que curta, a sensação de estar montando a sua própria supermáquina é muito boa!

Voltando à viagem… Fiz o aluguel e o pagamento dos carros ainda no Brasil pela Hertz. Preferi escolher uma empresa que conhecia a alugar pela internet em sites duvidosos e ter surpresas em cima da hora. Porém a decisão do  modelo do carro ficou para o momento da locação porque dependia da disponibilidade de modelos na hora.

Pesquisando um pouco mais sobre cada cidade descobri pontos/passeios turísticos que desconhecia como a maior roda gigante do mundo (Vegas), Grifhty Observatory  (LA), passeio de bike até Sausalito (SF), USS Midway (San Diego), Pebble beach (Monterey). Calma… Pebble beach… Já ouvi falar esse nome. Num é onde tem aquele encontro de carros clássicos? É! Que legal! Será que tem algum museu a respeito? E lá fui eu pesquisar. Entro no site deles e vejo que o famoso Concours D’elegance de Pebble beach 2015 iria acontecer em agosto! Mais exatamente as audições seriam entre 12/08 e 16/08.

Loading…

Que dia eu vou para Monterey? 13/08!

7_N_o_pode_se

Sem planejar, sem saber e sem querer eu iria estar presente no dia e no local que ia acontecer um dos maiores eventos de carros clássicos do mundo! Fantástico! Pesquisei tudo a respeito! Planejei horário de chegada à cidade, locais de exposições (eram diversas) e descobri que no dia em que eu iria sair da cidade ia acontecer o último dia de exposição e audições abertas ao público! Cara! Sensacional! E foi! Mais detalhes na terceira parte da história!

Com tudo resolvido, partimos! BH-BSB-Miami-Las Vegas. Foram 36 horas de Belo Horizonte até  Vegas! Conexões, espera em aeroportos, voo perdido… Chegamos muito cansados! Mas como todo apaixonado por carro, a primeira coisa que eu vi quando cheguei foi… o tanto que tava quente! Sério! Com 43˚ e um clima de deserto eu demorei uns 10 minutos para começar a prestar atenção ao meu redor.

Na área do desembarque o que mais tinha eram limusines! De todos os tamanhos e modelos. Lincolns eram a maioria. Desde o sedã MKS até os SUV’s MKT e MKC (tive que pesquisar agora pra saber quais eram. Sopa de letrinhas nunca foi minha especialidade). Todos com motoristas de terno e gravata, água gelada e toda a comodidade de um Uber. Não… pera.

8- Lincoln

Sopa de letrinhas da Lincoln

A cidade de Las Vegas é difícil de se descrever. Tudo que se vê em filmes é real! Desde um grupo de velhinhas apostando em casinos, malucos em despedidas de solteiro e luz, muita luz! Tudo é grandioso e feito para ostentar! E exatamente por isso tudo, a cidade é fantástica!

Mas eu não vim aqui pra fazer um guia turístico. Vim pra falar dos carros. E, cara…com 30 minutos eu vi mais Mustangs do que Palio no Brasil. O trio american muscle é muito comum por lá. Perdeu a graça. Capaz de que se passasse um Voyage eu ia tirar fotos!

8A Voyage 8B Voyage

Eu vi um Voyage nos Estado Unidos! Ele não tinha capota, estava embaixo de muita neve, carregava um pinheiro de natal e chamava Fox! Mas isso foi lá em 2007 no inverno rigoroso de Wyoming.

Me chamou muita atenção o fato de que 99% dos Mustangs, Camaros e Challenger eram dos modelos mais recentes (2014 ou 2015)! E o novo Mustang, apesar de ser menos Muscle e mais europeu, é muito F#*@! Apesar disso, entre os muscles eu ficaria com o Challenger, apesar de não ter visto o Hellcat por lá…

Lamborghinis, Porsches, Maseratis, Ferraris, Jags, Bentleys… Cada hora era um mais legal que outro! Mas de tantos que passavam também começou a ficar sem graça.

Mentira. Eles nunca ficam sem graça!

Las Vegas é a cidade dos exageros. E com os carros não podia ser diferente.

Sexta feira era o dia de partir de Vegas para Los Angeles! Eu estava ansioso! Pegar uma estrada  em outro país, com paisagens maravilhosas e chegar em outra cidade icônica! Mentira. Estava ansioso mesmo para saber qual carro eu ia dirigir. De verdade. Não é porque estou escrevendo para vocês. Minha namorada me conhece muito bem e sabia que aquele dia eu acordei diferente e não foi pra conhecer Hollywood! Foi pra escolher o carro!

Chegando ao aeroporto onde ficava a locadora, fui muito bem atendido no balcão.

— Bom dia senhor!

— Bom dia! Moça, qual carro tem?

— Calma… me empresta seu voucher, deixa eu fazer seu cadastro. Carlos né?

— Isso! Tem Dodge Dart?

— Um instante, vou finalizar aqui. Olha! Do Brasil! Que legal! Você está com sua mulher?

— É namorada. Quanto é pra fazer um upgrade?

— Pronto meu senhor. Agora vou verificar a disponibilidade. Vamos ver…

— Eu vi que vocês têm Mazda 3, Dart…

— Ergh… não é bem assim… Aqui não temos todos esses deixa eu ver… Corolla…

— Não.

— Não… ele tem GPS, não serve pra sua reserva.

— Isso! Não serve!

— Uhm…. temos vários Corollas, mas todos com GPS…

— Quanto é para fazer um upgrade?

— Achei!

— Mazda 3?

— Elantra!

— Não! Upgrade? How much? (com os dedos com sinal de dinheiro)

Ela pega a calculadora. Faz contas… e fala que para a categoria de cima seria mais U$58 para os sete dias. Mas que teria que verificar quais os carros disponíveis. Enquanto isso eu insistia…

— Não tem o Mazda 3?” (Eu realmente gostei muito do design! E o consumo era bom!)

— Com esse carro a gente não trabalha…

— Tá… Mas e o upgrade? Seria qual carro?

— Tenho um Toyota Camry”

Nesse momento eu fiquei com muita dúvida… Gastar mais U$58 e pegar um carro maior e mais confortável, mas que por outro lado consumia mais ou permanecer no Elantra e economizar para outros fins? Eu olhava pra moça… olhava pra Camila, que estava de longe sem entender nada… olhava pro meu cartão de crédito… até que decidi não pegar o upgrade.

Nesse instante a Camila fala pra mim lá de longe: “Pega o carro que você está com vontade! Pode pegar! Só não faz nenhuma loucura!”

— Ok. Decidi! Vou fazer um upgrade! (Sabe aquela decisão que só depende de um empurrãozinho da patroa?)

— Moça! Desce um upgrade aí!

— Vi que vocês estão com muitas malas e que você gosta de Mazda! Encontrei um carro que você vai gostar muito! Mais alto e mais espaçoso! Mazda 5!

— Isso! Fechou! Vai esse aí mesmo! Não sou fã de SUV, mas a Mazda anda acertando no design e curti esse último. Qual a cor? Pode ser vermelho?

— Ok! Vaga 137. Só temos um dele e não consegui ver a cor.

Peguei as malas e fui quase em êxtase! No caminho, por pura maldade, eles colocam Porsches, Mustangs conversíveis, Chargers R/T… Mas eu continuei firme em busca do meu carrinho desejado!

Vaga 135… 136… 137!

Estava lá o Mazda 5!

13- Mazdas

Por algum motivo ainda não muito claro, na minha cabeça o Mazda que ela se referiu era o MX5! Quando vi esse carro na minha frente eu quase desejei que fosse um Pontiac Aztec! Eita carrinho feio! Fiquei uns 2 minutos incrédulo no que tinha acontecido. Quando vi, já estava dentro de um Elantra achando o carro mais bonito do mundo!

Imaginei todas as fotos da beira da estrada. Uma vista incrível, eu e minha namorada super felizes, toda a história da Highway One e um inconveniente Mazda 5 prata aparecendo atrás. Não deu… voltei pro balcão.

— Quero outro! Volta pro Elantra. (Desta vez quem me atendeu foi outro cara).

— Elantra não tenho mais. Aliás, não tenho da categoria inferior. Consigo pra você um Toyota Camry. Pode ser?

— Mas eu não quero pagar pelo upgrade mais… Quero o menor mesmo…

— Ok. Você fica com o Camry sem pagar mais por isso!

— Ótimo!

O Camry esse aí da foto. Muito bom carro! Extremamente espaçoso e muito confortável, como um bom nipo-americano deve ser! Ele foi nosso companheiro de viagem a partir daí.

14- Camry

Camry alugado. Carros sem a placa dianteira são permitidos por lá. E são muito mais bonitos!

Saímos direto da Hertz e pegamos a Interstate 15, que, entre outras cidades, liga Las Vegas à região de Los Angeles (devido a custos, ficamos na região metropolitana de LA. Uma cidade chamada Alhambra).

Como eu já citei, eu havia planejado tudo na viagem! Entrei no Google Maps e vi cada interseção que ia pegar, cada trecho de rodovia e tudo mais! E ficou assim:

I 15 até a I 210 à direita. Mais algumas milhas e chegaríamos à nossa casa. Ok. Waze em ação para caso de dúvidas e para ter idéia da hora da chegada. Vamos nós estrada a fora. Deserto a fora! E que paisagem! Não que seja a mais bonita que já vi, mas é muito diferente de tudo que já tinha visto! E é isso que eu acho incrível em viagens! Conhecer lugares novos, culturas diferentes, formas de viver, plantar, construir, dirigir… Tudo de maneira diferente e incrível.

Pelo caminho vimos muitas coisas interessantes! Desertos intermináveis, carros super luxuosos, carros caindo aos pedaços, casinos no meio do deserto, muitos SUV’s e muitos Prius…

A estrada era sensacional! Variava de 2 a 4 faixas, mas na maioria das vezes eram 3. Asfalto impecável e pessoas educadas, apesar de que eu reparei que eles não têm tanto respeito pela faixa da esquerda mais rápida. Por várias vezes vi ultrapassagens pela direita e pessoas impacientes tentando ultrapassagem pela direita. Mas eram exceções, na maior parte das vezes tudo correu muito bem!

A velocidade máxima permitida na I15 virava a cada trecho, mas na maioria das vezes era de 75 milhas/hora (120km/h), mas quando colocava esta velocidade no piloto automático eu tinha que ficar na pista da direita. O fluxo andava perto dos 85 MpH! Depois cheguei a conversar com um americano que disse, meio irônico, que quem chama a atenção da polícia é quem anda fora do ritmo da maioria. Na dúvida eu ficava ao redor de 75. E, pela confiança que carro e estrada me passavam, em momento algum senti inseguro pela velocidade.

E depois das montanhas tinha mais reta!

21- Trem

Linha de trem nos acompanhou durante muito tempo na estrada.

22- Eclipse Estrada

Quem disse que falta espaço pra bagagem no Eclipse? 

Em dado momento o Waze me mandou virar à direita e assim o fiz, mesmo não me lembrando de ter visto aquele trevo no Google Maps. A estrada passou a variar entre pista dupla e pista única, o que não estava nos planos. Mas mais uma vez estrada boa, muito bem sinalizada e motoristas educados. Depois de algumas milhas eu percebi que tinha algo errado. Aquela estrada não lembrava em nada a que eu tinha visto no Google Maps. O Waze desviou o caminho para a CA-18 por algum motivo, mas eu já estava longe de onde entrei e resolvi continuar. A previsão de chegada permanecia a mesma, então estava tudo ok!

23- Porsche estrada

Um dos vários Porsches que passaram por nós.

24- Estrada 4

O pior trecho da estrada.

25- Estrada 5

Onde estávamos nos metendo…

Mas o Waze mandou virar novamente e a estrada que era bem sinalizada e quase sempre reta passou a ser uma subida de serra cheia de curvas e sem nenhuma sinalização! Para um fã de hillclimb e que curte paisagens espetaculares o passeio estava sensacional! E pra mim estava! Pra Camila não. Realmente estávamos fora da rota, numa estrada pequena, perigosa, vazia, sem sinalização. O GPS perdia sinal constantemente, mas como não havia nenhum caminho alternativo, nem bifurcações, não tinha erro!

26- Estrada 6

Estávamos em um parque nacional, o Angeles National reserve. Uma reserva florestal muito bonita! Estrada com curvas perigosas e maravilhosas! Desfiladeiro para os dois lados e uma paisagem que eu não imaginava ver nessa viagem! O que mais preocupava a Camila, e eu depois de certo tempo, era que todos os carros da estrada vinham na direção contrária! Todos. Só uma moto passou na mesma direção que nós! Pensávamos que tinha algo errado. A cada cinco milhas haviam cancelas que bloqueariam o trânsito em caso de algum problema (neblina, chuva, acidente etc). Chegamos a cogitar que a estrada tinha sido fechada na nossa direção e por algum motivo não vimos.

Esta moto que passou foi o único ser vivo indo na mesma direção que nós.

31- Estrada 11 32- Estrada 12 33- Estrada 13

Após cerca de 96 milhas surgiu a primeira placa de indicação de LA! Faltavam cerca de 25 milhas! A Camila passou a sorrir e a estrada passou a ficar mais movimentada. Paramos em um mirante antes de chegar e a vista era espetacular! Fica a dica pra quem pretende passar por lá! A estrada é imperdível! Depois descobrimos que houve um acidente na I-15 e quem optou pela estrada “certa” demorou duas horas a mais. O Waze acabou nos salvando e proporcionou vistas incríveis!

34- Mirante 1

LA está lá embaixo. Perceba a nuvem de poluição da metrópole.

35- Mirante 2

Após seis horas de viagem chegávamos a Los Angeles. Ou melhor, Alhambra! Uma cidade charmosa e bem legal a 40 minutos do centro de LA!

36- Alhambra 1 37- Alhambra 2

Como já falei, ficamos em um apartamento alugado pelo Airbnb. Combinamos com o dono e chegamos antes dele em casa. Estava aberta. Caso não estivesse, a chave estaria na mesa do lado de fora. O portão do prédio tinha um metro de altura e servia mais como decoração. Tudo muito diferente daqui… quando o anfitrião chegou conversamos muito e ele viu que eu gostava de carros e disse que tinha um carro legal que queria me mostrar! Mas que não era pra ligar pro estado que ele estava pois a Califórnia está em seca e ele não lavava o carro a muito tempo!

É… ele não lavava mesmo. Mas o carro é muito legal! Um Camaro 307 1969 (V8 – 5.0l – 200Hp). Ele acabou não ligando o motor (vi que ficou com vergonha do estado que o carro estava por dentro), mas já valeu! Muito bacana! Mal cuidado, mas bacana!

42- Camaro 5

Esse é o tapete que o carro pisa na garagem! Seria pra controlar a quantidade de vazamento?

A primeira parte termina por aqui! Espero que vocês estejam gostando! Na segunda parte vai ter Los Angeles, carros interessantes (mais do que na primeira parte), a estrada para San Francisco e alguns imprevistos!

0-Foto de Capa

Por Carlos Casadei, Project Cars #278

0pcdisclaimer2

Matérias relacionadas

Project Cars #201: a preparação do motor e uma nova cor para meu Golf GTI

Leonardo Contesini

Fiat Palio 1.8R Turbo: a reconstrução do motor do PC #361

Leonardo Contesini

Project Cars #302: a instalação do V8 no meu Chevrolet Opala

Leonardo Contesini