FlatOut!
Image default
Car Culture Pergunta do dia

Quais foram as chegadas mais disputadas da história do automobilismo?

Cada curva, cada ponto de tangência, cada reta, cada ultrapassagem… tudo o que acontece em uma corrida leva a este momento: a chegada. E, para o bem da emoção, quanto mais disputada, melhor. Mas qual foi a chegada mais apertada que você já viu?

Como é de praxe na Pergunta do Dia, o FlatOut sempre dá início à brincadeira com uma sugestão da equipe. E, neste caso, não havia como ser outra: a chegada do Grande Prêmio da Espanha de 1986, protagonizada por Nigel Mansell e Ayrton Senna.

sennamansell (1)

Na época, Ayrton estava em seu segundo ano pela Lotus, e ainda faltavam dois anos para que ele se sagrasse campeão mundial pela primeira vez em 1988, pela McLaren. Ele pilotava o Lotus 98T, movido por um motor V6 Renault de 1,5 litro e algo em torno de 900 cv a cerca de 12.500 rpm — dependendo da pressão do turbo, que podia chegar a 5,5 bar nos treinos de classificação.

O GP da Espanha, realizado em 13 de abril, foi a segunda corrida da temporada de 1986 da Fórmula 1. Realizada no circuito de Jerez, a corrida foi dominada por três pilotos. Senna, Mansell (Williams) e Alain Prost (McLaren), que havia ficado com o título mundial em 1985. Mas em abril daquele ano o campeonato ainda estava longe de ser definido — e a disputa entre os três primeiros colocados naquela corrida ilustrava isto muito bem: o francês, o britânico e o brasileiro andaram colados na segunda metade da prova.

Mas foi perto do fim que a disputa esquentou de verdade — Mansell havia acabado de colocar novos pneus e, ao voltar à pista, conseguiu acabar com uma desvantagem de 19 segundos nas últimas 10 voltas. Nos instantes finais da corrida a briga foi tão intensa que Mansell só chegou em segundo por meio carro — e ambos cruzaram a linha de chegada com uma diferença de apenas 0,014 segundo.

Foi a terceira menor diferença entre o primeiro e o segundo colocado na história da Fórmula 1. Depois da corrida, Nigel Mansell disse que não se importou com a pilotagem “defensiva” de Senna, afirmando que seu Williams era mais rápido que o Lotus do brasileiro e que Ayrton tinha o direito de defender a liderança. E ainda brincou, dizendo que o correto era que os pilotos dividissem a pontuação do primeiro colocado.

Senna se tornou o líder do campeonato depois da corrida, com 15 pontos, seguido por Nelson Piquet (9), Mansell (6), e Jacques Laffite e Alain Prost, que dividiam a quarta posição (4 pontos cada). No fim das contas, Alain Prost ficou com o título pela segunda vez consecutiva, mas a chegada do GP da Espanha permaneceu como um dos momentos mais marcantes da F1 naquele ano.

Formula One World Championship

Mas Laffite não posou para a clássica foto em Estoril

Que outras chegadas disputadíssimas como esta você conhece? Não deixe de postar (com vídeo, de preferência) nos comentários. E não esqueça: vale tudo, e não apenas Fórmula 1!

Matérias relacionadas

Este Bugatti Veyron não está meio esquisito?

Dalmo Hernandes

Jules Proto II 6×4: o protótipo mais esquisito que já correu no Rali Dakar

Dalmo Hernandes

Estes são os 16 Porsches raríssimos que Jerry Seinfeld colocou à venda

Dalmo Hernandes