A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Pergunta do dia Zero a 300

Qual é seu post favorito nestes quatro anos de FlatOut?

Era dia 22 de dezembro de 2013 quando o FlatOut Brasil foi ao ar pela primeira vez. O post mais antigo é datado do dia 19 de dezembro, mas é que a gente já tinha deixado pronto para vocês. Se quiser vê-lo, é só ir até a página 547 (sim, mais de 500 páginas!) – você vai encontrar o post “Camaro SS perde os freios no Velopark (RS) a quase 200 km/h”, sobre… um Camaro SS que perde os freios no Velopark a quase 200 km/h.

Na época, o FlatOut era uma aposta cega do trio formado por Juliano Barata, Leo Contesini e Dalmo Hernandes (nós três… não vamos ficar falando em terceira pessoa aqui, não) para manter vivo o legado do Jalopnik Brasil depois de seu sofrido fim. E, claro, para continuar sustentando a nós mesmos e a nossas famílias. Era tudo ou nada. E hoje, depois de mais 7.600 posts em quatro anos, podemos dizer que estamos conseguindo.

É muita coisa. É por isso que, como já virou tradição, queremos saber: qual foi o seu post favorito nestes quatro anos?

Como me deram a caneta para fazer a pergunta a vocês, vou citar qual é meu post favorito neste momento como sugestão: “Grande Prêmio do Brasil de 1973, a corrida que virou samba-rock”, publicado em novembro de 2016.

Fã de música brasileira, sempre procuro coisas novas antigas (ou antigas coisas novas) para ouvir durante a produção de textos do FlatOut. Se você não sabe, fique sabendo: a barra lateral de vídeos recomendados do Youtube é o lugar perfeito para descobrir e desenterrar música. Exceto que a canção “Lotus 72D”, de Zé Roberto, estava nos relacionados de um vídeo sobre o motor V8 Cosworth DFV, motor do Lotus. Deve ter sido um sinal.

Curioso, cliquei. Como poderia ser uma canção sobre o carro de Fórmula 1 da equipe britânica entre 1970 e 1973? Pois bem: era uma homenagem a Emerson Fittipaldi que, ao volante do Lotus 72D, última encarnação do monoposto, venceu o GP do Brasil de 1973 no Autódromo de Interlagos.

brazil_profil_4

Para quem não lembra, Fittipaldi entrou na F1 em 1970 e já em 1972 conquistou seu primeiro título. Ou seja, ele voltou a correr no ano seguinte com os ânimos bem elevados. Como escrevi no post original:

O primeiro GP do Brasil, realizado em 1972, foi como um teste: se os organizadores da Fórmula 1 aprovassem o circuito, o Autódromo José Carlos Pace tinha chances de passar a fazer parte do calendário oficial. E foi o que aconteceu em 1973, certamente no embalo do título de Emerson.

O GP de Interlagos de 1973 foi a segunda corrida do campeonato – a primeira havia sido o GP da Argentina, realizado no Autódromo Juan y Oscar Gálvez em Buenos Aires. Fittipaldi venceu no território dos hermanos e levantou a expectativa para GP do Brasil.

Emerson largou na segunda posição, logo atrás do colega de equipe Ronnie Peterson, que conquistava sua primeira pole position. Com o abandono de Peterson na quinta volta por problemas em uma das rodas, Fittipaldi assumiu a liderança, que defendeu sem problemas por 40 voltas até encontrar a bandeira quadriculada no retão principal e vencer a corrida com mais de 13 segundos de vantagem sobre o Tyrrell de Jack Stewart.

A música de Zé Roberto faz menção ao traçado antigo de Interlagos e exalta a habilidade de Emmo ao som de um samba-rock suingado que é a cara do Jorge Ben, mas a letra é muito mais FlatOuter. Não tive dúvidas de que os leitores gostariam de conhecer.

O que eu não esperava é que, entre os leitores, estivesse o próprio Zé Roberto. Recebemos um email escrito por ele, agradecendo por ter feito um post sobre sua obra.

Recentemente pra minha alegria deparei-me com esta publicação através do Google, retratando a história do Grande Prêmio do Brasil de 1973. Percebi que a pessoa que fez a publicação é um grande entusiasta da Fórmula 1. Gostaria muitíssimo de entrar em contato para que possamos estreitar amizade, e no sentido também de poder contar um pouco da trajetória da minha vida profissional. Continuo atuando na música, me apresentando no Brasil e no exterior.

Este feedback foi um dos mais bacanas que já recebi em quatro anos de FlatOut. Depois de falar sobre Zé Roberto, me perguntei mesmo por onde andaria Zé Roberto. Não encontrei muita coisa a seu respeito no Google, e nem consegui achar outras canções para ouvir.

fittipaldi_lotus72d_interlagos_1973

Vou mandar um email para o Zé Roberto ainda hoje. Fico aqui pensando que este tipo de coisa é uma das partes mais legais de escrever para o FlatOut – o alcance que temos é impressionante. Parece que a ficha não caiu. E é por isso que, hoje, meu post favorito é este.

Mas a gente quer saber de vocês: qual é seu post favorito do FlatOut? Como já dissemos, temos muito material e sabemos que vai ser difícil decidir. Mas puxe na memória, dê uma olhada nos seus favoritos, escolha uma página aleatória do site e dê sua sugestão.

Matérias relacionadas

Estes são alguns dos importados dos anos 90 mais bacanas do GT40

Dalmo Hernandes

Os carros usados mais vendidos em maio, Porsche 911 Speedster em testes, TT da Ilha de Man se torna o circuito de rua mais rápido do planeta e mais!

Leonardo Contesini

As versões especiais do Chevrolet Chevette no Brasil

Dalmo Hernandes