A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture História Técnica

Quando a Ford tentou fazer um Fiesta com motor de dois tempos

Hoje, mesmo a contragosto, boa parte dos que entendem de carro admite que a palavra downsizing ainda será muito usada no futuro. A adoção de motores de menor deslocamento com sobrealimentação — via de regra, mais potentes e econômicos — já chegou e se faz presente. Basta lembrar do Speed Up, com motor 1.0 turbo de três cilindros e 105 cv, não se vende como esportivo, e sim como uma opção mais potente, moderna e econômica a um motor maior (supondo que um motor de maior deslocamento coubesse no pequeno cofre do Up, o que é improvável). No entanto, não é de hoje que a indústria automotiva não para de buscar soluções inovadoras para reduzir consumo de combustível e emissão de poluentes dos motores, além de aumentar sua eficiência energética. São aplicações que caem muito bem não apenas a esportivos, mas a qualquer automóvel — ainda que só mais recentemente os turbos tenham começado a ser adotados por modelos mais acessíveis sem tanta pretensão esportiva. [you

Matérias relacionadas

Scuderia Moto: a esquecida equipe de motociclismo da Ferrari

Dalmo Hernandes

Ford Mustang de “Need For Speed” é vendido por R$ 300 mil

Dalmo Hernandes

São Paulo, 1988: lembre como eram as ruas e o trânsito da cidade (e do Brasil) há três décadas

Leonardo Contesini