Quando finlandeses malucos transformaram um Rolls-Royce Silver Shadow em um carro de arrancada de luxo

Dalmo Hernandes 12 março, 2018 0
Quando finlandeses malucos transformaram um Rolls-Royce Silver Shadow em um carro de arrancada de luxo

Carros de arrancada são feitos levando em consideração o desempenho em primeiro lugar. É por isso que, quanto mais velozes e potentes, mais distante seu visual fica de um carro “normal”. Os carros de arrancada mais rápidos do mundo, como os Top Fuel e seus motores de mais de oito litros e 10.000 cv, são bastante compridos, têm pneus dianteiros fininhos e enormes pneus traseiros bem macios. O motor muitas vezes vai atrás do piloto, que se senta entre os dois pneus gigantes – tudo para garantir a maior tração possível nas rodas motrizes e um mínimo de estabilidade na hora de chegar a mais de 500 km/h em menos de quatro segundos.

Mas mesmo os carros que não são tão extremos assim diferem muito de um carro de rua: eles usam estrutura tubular de aço ou alumínio, bolha de fibra à guisa de carroceria (geralmente lembrando de leve o formato da carroceria de um modelo de rua) e motores feitos para entregar todo seu potencial em alguns segundos, com durabilidade bastante reduzida – não é raro que se precise refazer o motor por completo uma vez por mês.

É por isso um carro como um Rolls-Royce Silver Shadow preparado para arrancadas é tão desconcertante: pegar um carro caríssimo, feito para rodar com conforto e luxo acima de tudo, e desconstruí-lo completamente transformando-o em um dragster, é algo que desafia o senso comum. Mas este carro existe – e, olhando rapidamente por fora, parece um Silver Shadow original e muito bem cuidado. Mas ao abrir a porta você se depara com isto:

_1624337348

E nem é preciso abrir o capô para ver o motor – ou ao menos parte dele: um V8 big block General Motors de sete litros com dois carburadores Holley Dominator de corpo duplo, sobrealimentado por um supercharger Mooneyham com carcaça de fibra de carbono e blower. Eles nunca deram números de potência do carro, mas sabe-se que o motor tem injeção de óxido nitroso para entregar mais 200 cv ao toque de um botão.

_246367281

O carro foi feito na Finlândia, por dois caras chamados Petri e Raine, que juntos têm uma oficina chamada PJP Design. Já faz alguns anos que eles fizeram o carro, e o mesmo é conhecido na cena escandinava de arrancada. Ele não costuma disputar provas, mas marca presença rebocando outros carros, dando puxadas de exibição ou simplesmente estacionado nos arredores da pista. O carro foi feito para isto, mesmo: chamar atenção para o projeto em si, como uma vitrine para a capacidade dos caras por trás dele.

348 387 386 405

E não há como duvidar: os caras começaram com um Rolls-Royce Silver Shadow 1974 azul que não estava impecável, mas estava íntegro. Então, depenaram o carro completamente, até sobrar só a carroceria – que não sofreu nenhuma alteração em suas dimensões; apenas recebeu um corte no capô e foi repintada de vermelho bordô.

_374616845 _395014983 _1609973281 _768540375

Todos os acabamentos cromados, assim como faróis, lanternas, emblemas e a icônica grade com o ornamento Spirit of Ecstasy no topo, foram restaurados à perfeição.

O interior, por sua vez, é dominado pela complexa gaiola de proteção que se encaixa perfeitamente no carro e é integrada à estrutura – tudo de cromo-molibdênio, a mesma liga usada nos chassis de kart profissionais. Ela foi encaixada na carroceria por baixo.

_1777852334 _676248343 _766056739

Antes disto, porém, o carro também foi todo restaurado e customizado por dentro. O teto é revestido de couro costurado à mão, assim como os acabamentos do painel e dos revestimentos de porta, que foram feitos sob medida usando painéis de fibra de carbono. O volante e a madeira do interior são originais do carro, assim como os instrumentos e saídas de ar. Lá dentro cabem quatro pessoas, sendo que os dois ocupantes da frente vão em bancos concha de fibra de carbono e os de trás, no banco original modificado para acomodar a gaiola de proteção.

_1869412494 _766255781

Outro detalhe que chama a atenção no interior são as três alavancas de câmbio. À primeira vista, parece que o carro é equipado com um câmbio Lenco, transmissão manual clássica no mundo das arrancadas com uma alavanca para cada marcha, que permite que se troque as marchas sem pisar na embreagem e sem aliviar o acelerador.

_8127404045958950058_3686e00546_b HO-p3

No entanto, trata-se de uma TH400, automática de três marchas, equipada com uma alavanca Hurst Lightning Rods, que permite trocas manuais usando duas alavancas auxiliares ao lado da alavanca principal. Você pode ver o sistema funcionando no vídeo abaixo:

O carro já está por aí há alguns anos e, recentemente, seus criadores decidiram vendê-lo. O Rolls-Royce Silver Shadow está anunciado em um site de classificados norueguês (a noruega fica logo ao lado da Finlândia) por 890.000 coroas norueguesas, o que dá cerca de R$ 372.000 em conversão direta.

Só não espere ouvir o relógio do carro a 100 km/h.

rolls_royce_stor