A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Automobilismo

Quando Stirling Moss perdeu o campeonato de Fórmula 1 por fazer o que era certo

Sir Stirling Craufurd Moss era a última chama de um automobilismo que já não existe mais. Não tanto pelo caráter tão rústico quanto arriscado dos carros da época, nem pela conduta destemida, quase inconsequente de seus praticantes. Mas por uma época em que o automobilismo era visto como um esporte de cavalheiros, acima de tudo, e o fair play era uma força natural entre os competidores. Ao longo da história há dezenas de exemplos de fair play no automobilismo, mas nenhum é mais emblemático que a protagonizada por Stirling Moss. Em nome do jogo limpo e da honestidade, Moss abriu mão do título mundial que jamais teria a chance de conquistar novamente.   Fangio vs. Moss Esta história começa precisamente na metade da década de 1950, mais exatamente em 1955, quando Stirling Moss decidiu quebrar sua regra pessoal de preferência por carros britânicos e assinou com a Mercedes-Benz. Moss no GP da Alemanha com o Cooper

Matérias relacionadas

Silberpfeil: por que os carros de corrida alemães são prateados?

Leonardo Contesini

A história de Mickey Thompson, lenda do automobilismo norte-americano

Dalmo Hernandes

Capacetes pintados: a complexa e interessante arte da identidade | feat. Artmix

Juliano Barata