A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Achados meio perdidos Zero a 300

Que tal um Renault Clio com motor 2.0 e suspensão preparada? Este aqui está à venda

O Renault Clio de segunda geração, vendido no Brasil entre 1996 e 2016, tem nas versões da metade dos anos 2000 sua melhor safra – ao menos na percepção dos entusiastas. Foi nesta época que a Renault adotou o motor 1.6 16v de 115 cv, dando ao hatchback de tração dianteira, que já tinha dinâmica exemplar para a categoria, um bem-vindo sopro de potência.

Mas sabe o que nós, brasileiros, não tivemos? O Renault Clio com motor 2.0, que ficou só na Europa. Contudo, é possível fazer seu próprio Clio 2.0, como o Achado meio Perdido de hoje, anunciado no GT40, mostra.

img_164940_4_2423f715-820a-4c26-a096-41e90e3653f3

O Clio RS, ou Clio RenaultSport, foi lançado em 1998 e tinha uma versão de 172 cv do motor 2.0 F4R – por isso, no Reino Unido ele era vendido como Clio Sport 172. Com duplo comando de válvulas no cabeçote de alumínio, excelente fluxo, bloco de ferro fundido e injeção multiponto, o F4R tem um projeto muito eficiente e aceita muito bem receitas de preparação aspiradas ou turbinadas. Além das versões RenaultSport do Clio, ele também aparece no Mégane RS Trophy 275 (na variante F4Rt) e no Sandero RS – neste último, com 150 cv.

img_164952_4_2423f715-820a-4c26-a096-41e90e3653f3

Hoje em dia esta receita de swap é relativamente comum entre os donos de Clio que buscam potência extra, mas até pouco mais de dez anos atrás ninguém ainda havia feito esta “cirurgia” no Brasil. O primeiro a fazê-lo por aqui foi o especialista em Renault Bruno Ordones, que colocou um 2.0 F4R em um Clio 1.0 entre 2007 e 2008. Você pode ler um pouco desta história aqui.

Voltando, porém, ao nosso Achado meio Perdido de hoje. O carro pertence a Jan Carlo, conhecido como “Dicckie”, que mora em Curitiba/PR. Ele conta que comprou o Clio no ano passado das mãos do dono anterior, Thiago Medvid, que também foi o responsável pelo swap para 2.0. A foto abaixo foi tirada em 2013, quando o carro ainda estava nas mãos de Thiago.

10953292663_f7453680a8_k

Jan Carlo conta que, quando pegou o Clio, o mesmo estava equipado com uma injeção programável MegaSquirt com acerto para gasolina, rendendo cerca de 170 cv. Pouco depois, porém, um dos retentores de válvula estourou, e a válvula foi parar dentro do cilindro. Ou seja: o motor precisou ser todo refeito, com retífica completa de bloco e cabeçote. O motor agora tem bielas do Fluence GT, pistões de Duster para aumentar a taxa de compressão (11,3:1) e o cabeçote do Clio RS 172, completo com coletor de admissão e comandos Cat Cams com a mesma graduação do hot hatch francês. Por questões de confiabilidade e acerto, a injeção MegaSquirt foi trocada pelo sistema original do Renault Mégane Scénic, que também era equipado com o motor 2.0 F4R. Os injetores são os mesmos da Renault Duster.

Aproveitando a oportunidade, Jan fez outras modificações no carro: a bateria foi relocada para o porta-malas, melhorando a distribuição de peso; a suspensão recebeu amortecedores Fênix retrabalhados, molas mais firmes e novas buchas; parafusos de ajuste de cambagem Eibach foram instalados e os freios receberam pinças e discos do Renault Scénic, com 280 mm de diâmetro. Esteticamente, o carro tem a grade dianteira da versão Sport 172, para-choques e frisos pintados na cor do carro (originalmente as peças tem insertos em preto), aerofólio do Clio 182 europeu com brake-light e lavador do vidro traseiro. Por dentro, há detalhes em alumínio escovado no painel.

27335523_1804564872888982_1804153537_o img_164956_4_2423f715-820a-4c26-a096-41e90e3653f3img_164944_4_2423f715-820a-4c26-a096-41e90e3653f3

Jan Carlo observa que o carro ainda precisa de alguns serviços para que o motor renda como deve. Segundo ele, com a injeção original Renault, a potência atual é de cerca de 130 cv. O plano era instalar uma injeção programável FuelTech ou similar, trocar os injetores e acertar o sistema. No entanto, como precisa de outro carro para uso diário, Jan Carlo colocou o Clio à venda. Ele diz que estuda trocas e propostas.

Se você ficou interessado em assumir para si a responsabilidade de transformar este Clio em um foguete, pode clicar aqui para acessar o anúncio e pegar os contatos do dono.

inbanner-fim-post


“Achados Meio Perdidos” é o quadro do FlatOut! no qual selecionamos e comentamos anúncios do GT40.com.br de carros interessantes ao público gearhead, como veículos antigos, preparados, exclusivos e excêntricos. Não se trata de publieditorial. Não nos responsabilizamos pelas informações publicadas nos anúncios nem pelas negociações decorrentes – todos os detalhes devem ser apurados atenciosamente com o anunciante!

Matérias relacionadas

Veja como este Citroën DS3 do WRC foi reparado em 30 minutos (!)

Dalmo Hernandes

Concessionárias podem demitir 20 mil em 2015, Audi lança novo Q3 no Brasil, Renault apresenta novo sedã Talisman, VW reduz preços e mais!

Leonardo Contesini

Uma legítima Toyota Tacoma americana com motor V6 à venda no Brasil? Sim!

Dalmo Hernandes