A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Achados meio perdidos GT40 Classificados Zero a 300

Que tal uma perua esportiva preparada? Esta Subaru Impreza WRX SW está à venda!

Quando lançou a RS2, em 1994, a Audi meio que inventou as super peruas esportivas com tração integral. Mas não é só o pessoal lá de Ingolstadt que sabe fazer carros assim: nas décadas de 1990 e 2000 a Subaru vendeu o Impreza WRX na versão SW (de Sport Wagon), com o mesmo conjunto mecânico dos sedãs e cupês, porém mais espaço para a bagagem e um charme todo especial. E o nosso Achado Meio Perdido de hoje, anunciado no GT40, é exatamente uma perua WRX de segunda geração – que ainda recebeu uma dose extra de pimenta em seu boxer turbinado.

O Subaru Impreza WRX teve versões perua na primeira e na segunda gerações – com direito à variante STi, mais potente. As duas primeiras gerações são carros de proporções parecidas, na verdade, com silhuetas bastante similares. A partir da terceira geração, lançada em 2006, a Subaru mudou completamente a identidade visual do Impreza e, por extensão do WRX e do WRX STi. A maior mudança, porém, estava na versão de dois volumes, que ganhou perfil de hatchback mais curto e arredondado. São esportivos consagrados e há quem os considere mais atraentes e arrojados, pois enquanto o Subaru Impreza hatchback de terceira geração seja mais distinto do sedã e mais harmônico, as peruas das duas primeiras gerações deixam claro que são sedãs adaptados com teto mais longo e janelas laterais extras. Para nós, como já dissemos, é charme.

subaru_impreza_1

Nosso Achado Meio Perdido de hoje, anunciado no GT40, é um exemplar de 2006 do Subaru Impreza WRX SW. Isto significa que o carro já passou pelo segundo facelift frontal, com os faróis de desenho mais agressivos conhecidos como hawk eyes – “olhos de falcão” em português. Há quem considere esta a dianteira mais atraente, por seu desenho mais harmônico.

28938833_1660913677311475_1899165566_o

O ano de 2006 também foi o primeiro no qual o WRX veio com motor EJ25, de 2,5 litros. Anteriormente, o motor era o EJ20 de dois litros, com 218 cv a 5.600 rpm e 29,8 mkgf de torque a 3.600 rpm. O EJ25, por sua vez, tinha 230 cv e 32,6 mkgf de torque às mesmas rotações. O fôlego a mais melhorou o desempenho, obviamente: enquanto o WRX com motor 2.0 turbo ia de zero a 100 km/h em 6,7 segundos, o modelo 2.5 turbo fazia o mesmo em 5,9 segundos. A velocidade máxima, em ambos os casos, era de 230 km/h.

28822533_1660913547311488_1662484859_o

O Impreza WRX SW em questão, porém, recebeu algumas modificações. O carro pertence a Gustavo Falavinha, de Curutiba/PR. Ele conta que está com o WRX há cerca de dois anos e que, ao longo deste tempo, realizou nele algumas modificações interessantes.

28944273_1660913100644866_1417499813_o

O carro tem pistões forjados CP Carrillo, bielas forjadas Eagle e diversos componentes do WRX STI: virabrequim, cabeçotes e intercooler. O motor ainda recebeu coletor de admissão Ingen, bomba d’água Gates, bomba de combustível Walbro 450 e injetores Injector Dynamics ID1050. Além disso, passou por uma reprogramação MRace, com acerto para etanol. O sistema de escape é direto.

28944222_1660913550644821_1401098909_o

Outra modificação comum nos WRX desta época, pela qual este exemplar também passou, é a remoção das válvulas TGVs (tumble generator valve), que ficam nos corpos de borboleta. Acionadas eletronicamente pelo sensor de posição do acelerador, elas obstruem a passagem da mistura ar-combustível em determinadas situações para obter mais economia de combustível e reduzir a emissão de poluentes. Contudo, elas também diminuem o rendimento do motor, e por isso costumam ser eliminadas durante o processo de preparação. Gustavo diz que o WRX ainda não passou pelo dinamômetro, mas estima que a potência esteja na casa dos 280 cv nas rodas.

Ele também observa que o carro teve os freios trocados recentemente, com pastilhas Stoptech Sport e que os pneus são novos, assim como as lanternas traseiras.

28938809_1660913673978142_1628002375_o

28943055_1660913670644809_1803052795_o

O interior do carro é praticamente original, com exceção de um suporte de fibra com manômetros auxiliares (pressão do óleo, pressão do turbo e pressão do combustível), alavanca do tipo short shifter e central multimídia Sony.

28907200_1660913710644805_1384048522_n

Por fim, Gustavo diz que sua perua WRX tem cerca de 88.000 km rodados. Ele afirma que estuda trocas, e que o valor pedido é negociável.

Se você ficou interessado, basta clicar aqui para acessar o anúncio no GT40 e pegar os contatos do proprietário.

inbanner-fim-post


“Achados Meio Perdidos” é o quadro do FlatOut! no qual selecionamos e comentamos anúncios do GT40.com.br de carros interessantes ao público gearhead, como veículos antigos, preparados, exclusivos e excêntricos. Não se trata de publieditorial. Não nos responsabilizamos pelas informações publicadas nos anúncios nem pelas negociações decorrentes – todos os detalhes devem ser apurados atenciosamente com o anunciante!

Matérias relacionadas

BMW Série 8 é revelado, Rubens Barrichello irá dublar “Carros 3”, Hyundai i30 N nas 24 Horas de Nürburgring e mais!

Leonardo Contesini

1.200 cv e 1.100 kg: conheça o Mustang com um V10 supercharged de Dodge Viper

Dalmo Hernandes

Nova Mitsubishi L200 Triton registrada no Brasil, Chevrolet Tracker com motores 1.0 e 1.2 turbo, Audi TT RS de cara nova e mais!

Leonardo Contesini e Dalmo Hernandes