A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture

Que tipo de maluco viaja da Coreia do Sul até Nürburgring com uma Honda Dream… e dá só DUAS voltas?

Foto: Martin Stollenwerk / Tourifotos.de

Que o sonho de dez entre dez entusiastas é visitar Nürburgring Nordschleife, isso todo mundo aqui sabe. O circuito alemão de 20 quilômetros, com seus mais de 20 km e 73 curvas, é um dos mais desafiadores do planeta e considerado por muitos a Meca da velocidade.

Fomos até Nürburgring em 2014 e, em uma série especial de posts, falamos a respeito da pista, da viagem e de toda a experiência. Fizemos até um guia bem completo, para ajudá-lo a planejar a sua ida, que sempre é uma boa ideia conferir. Isto porque para a maioria nós, brasileiros, é a viagem de uma vida – o cara faz planos e economiza por meses, escolhe a melhor época do ano, pega o avião, aluga um belo carro e dá quantas voltas conseguir pagar.

No entanto, há quem faça diferente. Que tal pegar uma scooter com motor de 110 cm³ (e 8 cv!), dirigir 18.000 km de sua casa até Nürbrugring e dar só duas voltas na pista? Parece uma ideia bizarra para você, um cara realmente fez isto!

Quem conta a história é o excelente Bridge to Gantry, site especializado no Nürburgring Nordschleife. O cara é sul-coreano, se chama Lee e, na tarde de ontem, finalmente chegou ao Inferno Verde depois de dirigir sua Honda Supercub 110 por mais de 18.000 km, saindo de Seul e atravessando toda a Ásia e Europa. Uma vez no ‘Ring, ele deu duas voltas. Duas!

Mais precisamente, foram 18.020,8 km dirigidos com a Honda Supercub. Você pode até não conhecer o nome, mas certamente conhece a scooter. Trata-se de nada menos que a famosa Honda Dream, como era chamada aqui. A receita básica da Supercub é a mesma desde 1958, sempre com motor monocilíndrico de 49 a 109 cm³ e construção underbone, além de uma transmissão de três ou quatro marchas com embreagem automática. Não é a toa que, desde que foi lançada, a Supercub já foi fabricada em 15 países.

Ainda que seja um excelente meio de transporte urbano, a Supercub definitivamente não foi feita para viagens, nem para acelerar na pista. Só que Lee não está nem aí para isso. O Bridge to Gantry conta que, assim que chegou, ele foi recebido “de braços abertos” pelos frequentadores regulares dos Touristen Fahrten (os dias em que o circuito fica aberto ao público), que ficaram impressionados quando souberam como ele havia ido parar lá.

Um dos caras, chamado Thilo, se ofereceu para levar Lee no banco do carona para uma volta no Nordschleife. Esta foi, oficialmente, a primeira vez de Lee no ‘Ring, e foi logo com um Seat León Cupra, ex-recordista de tração dianteira do circuito, que tem um motor 2.0 TSI de 250 cv. E é claro que Thilo gravou um vídeo do “passeio”. Ele diz que tentou presentear o novo amigo coreano com “uma carona inesquecível”.

Lee parece ser um cara gente boa, e se empolga a cada curva. Tanto que, depois que a sessão de voltas dos carros acaba, ele decide montar em sua scooter e dar uma volta sozinho pelo circuito. Com fotos para provar, feitas pelos caras do Tourifotos.de! O site alemão especializado em cobrir os Touristen Fahrten que acontecem no Nordschleife, e os caras foram gentis o bastante para nos ceder as imagens.

IMG_3109

Foto: Martin Stollenwerk / Tourifotos.de

Agora, aparentemente, dar umas voltas no Nürburgring foi só um bônus para Lee. Pelo que dá para ver em sua conta no Instagram, o cara gosta mesmo é de viajar com sua scooter. E ele faz parecer que é só colocar toda a bagagem na garupa e curtir a estrada, sem se intimidar pela distância ou pelos outros veículos, mais velozes e pesados, com os quais divide o caminho.

Talvez a gente fizesse diferente, dando mais algumas voltas pelo Green Hell e escolhendo uma moto maior. Ou um carro. Mas dá para entender o apelo da estrada para Lee. Ainda mais depois de ver as fotos de sua viagem.

 

[ Fotos: jaeyeong_92/Instagram e Tourifotos.de ]

Matérias relacionadas

FlatOuters em ação: os melhores comentários da semana!

Leonardo Contesini

Esta garota e seu Integra Type R mostram que a paixão por carros é para todos

Dalmo Hernandes

Cinema sobre rodas: a história dos drive-ins

Dalmo Hernandes