A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Mercado e Indústria

Quem cobra menos por pouco peso e mais potência entre os SUVs compactos?

Quem acompanha nossa série de potência/peso/preço desde o início nem precisa mais de muitas explicações sobre nossas contas, mas tem cada vez mais gente “se achegando” para acompanhar a série. Depois de falarmos dos campeões entre todos os carros à venda no Brasil, partimos para os segmentos de mercado. O primeiro foi o dos hatchbacks médios. Hoje, falaremos dos SUVs compactos .

Vale repassar o raciocínio por trás do levantamento, que durou uma semana inteira para ser tabulado. E que nunca termina: quando fiz o levantamento, o Jeep Renegade, ainda sem a versão mais em conta, que nem nome tem, custava R$ 69.900. Com a chegada da versão sem nome, que custa R$ 68.900, a Sport subiu R$ 2.000 e agora custa R$ 71.900. Isso em menos de cinco dias.

Voltando ao levantamento, ele incluiu os 471 modelos e versões mais leves e mais baratos de cada carro à venda no Brasil, com cada um dos motores e das carrocerias que eles oferecem. Com os dados de peso, potência e preço de cada um. O objetivo era estabelecer uma relação matemática entre estes três elementos para determinar quem cobra menos por menos peso e mais potência.

Consultamos engenheiros, economistas e contadores e a melhor fórmula que eles nos sugeriram foi potência/peso/preço, ou, mais tecnicamente, (potência/peso)/preço. Eis a calculadora que criamos para esta conta:

Imaginamos um carro de 200 cv, 1.500 kg e R$ 90.000. O resultado da divisão da potência pelo peso e disso pelo preço dá 14,81 x 10e-7, ou 0,000001481, mas preferimos a forma reduzida. Quanto maior é o número, melhor é o equilíbrio do carro entre os três fatores.

Experimente mudar a potência para 500 cv. Vai dar 37,04 (x 10e-7…). Ótimo! Experimente, agora, diminuir o peso para 900 kg. O resultado será 24,69, se os demais valores continuarem os iniciais. Por fim, diminua o preço para R$ 50.000. O índice pula para 26,67. Percebeu? Pode brincar à vontade com a calculadora acima. Inclusive para ver como se saem os carros que você andam considerando comprar.

Escolhemos o segmento dos SUVs compactos por ele ser, hoje, o mais quente do mercado. Mesmo com vendas em baixa, há filas de espera pelo Honda HR-V e o Jeep Renegade anda fazendo a FCA, que controla Fiat e grupo Chrysler, esfregar as mãos de tanta satisfação. E não é só por aqui. A Car and Driver americana fez um comparativo com seis opções, entre elas o HR-V e o Renegade, dizendo que por lá acontece o mesmo que por aqui: eles andam vendendo muito. Lá, quem se deu bem foi o Mazda CX-3

Mazda CX-3

Ao contrário das outras reportagens, vamos apresentar os resultados do 10º colocado para o 1º, como nos sugeriu o leitor Roberto Macedo. Cria um suspense legal para descobrir quem oferece mais por menos neste segmento. Pelo menos no que se refere a potência.

Por fim, fazemos a mesma ressalva presente desde o princípio: o que apresentamos não é nenhuma recomendação de compra ou coisa que o valha. São apenas os resultados matemáticos e democráticos a nosso questionamento inicial. Eles não levam em conta acabamento, comportamento dinâmico, sensação ao dirigir nem itens de série (ou a falta deles). Só a melhor relação entre peso, preço e potência.

E os vencedores entre os SUV compactos são…

 

10º – Jeep Renegade Sport flex (13,18)

Renegade_Sport-foto_Marcos_Camargo (6)

O carro que subiu de preço não teve sua posição no ranking alterada por conta disso. Considerado também o modelo mais seguro produzido no Brasil, o Renegade tem um preço alto em relação aos concorrentes mais antigos e é bem pesado comparado a eles. O motor 2.0 TigerShark faria maravilhas por ele, com seus cerca de 160 cv, mas deve demorar a aparecer. Se mantiver o mesmo preço, ou conseguir reduzi-lo, melhora bem a posição do carro por aqui.

 

9º – Ford EcoSport SE 1.6 (13,8)

ford-ecosport

Essa versão do Eco é pouco mais de 160 kg mais leve do que o Renegade e custa R$ 4.000 e uns quebrados a mais que o concorrente. Estaria em posição de estar bem distante dele nesta lista se não fosse seu motor. O 1.6 Sigma, que rende 135 cv no Ford Focus, não passa dos 115 cv no utilitário. Seria uma programação para ter mais torque? Não: o Focus 1.6 também tem mais força.

Por que, então, a Ford não usa logo este motor no seu utilitário? Já podia ter feito isso e, em nossa opinião, perdeu a chance de fazê-lo, já que o motor 1.5 turbo de três cilindros que a marca produzirá no Brasil também deve estrear no utilitário de cara nova.

 

8º – Ford EcoSport SE 2.0 (14,87)

A versão mais forte do EcoSport também seria bem mais interessante se usasse o mesmo motor que o Focus. Em vez de seu Duratec 2.0 de 147 cv, deveria ter o de 178 cv com injeção direta. Mas este é outro motor que o 1.5 de três cilindros tem vocação para aposentar. 2016 será um ano interessantíssimo para os automóveis!

 

7º – Renault Duster 1.6 (15,24)

Renault-Duster-16

O Duster mais simples, também sem nome de versão, é a segunda mais barata do mercado de SUVs compactos. Empata com o Lifan X60 e é R$ 5.000 mais cara do que o campeão de preço, o Chery Tiggo. Ficou em sétimo porque, apesar do bom preço, é pouco potente, com apenas 115 cv. Seu peso é razoável, para o padrão do segmento.

 

6º – Honda HR-V LX (15,39)

honda-hr-v-2015

Atual queridinho do mercado, o HR-V, em sua versão mais simples, é razoavelmente leve (1.265 kg) e potente (140 cv), mas seu preço é salgado. Empata com o do Renegade. Provavelmente podia ser mais baixo, mas a Honda é famosa por tentar conter a demanda praticando preços mais altos para os modelos que não consegue entregar. Enquanto a fábrica de Itirapina não estiver pronta, e a capacidade de produção da empresa não aumentar, será essa a balada. E muita gente está disposta a dançar conforme essa música.

 

5º – Renault Duster Dynamique 2.0 (15,89)

Renault Duster-20

A versão 2.0 do Duster também tem bom preço e peso razoável, mas seu motor 2.0 não é nada impressionante (148 cv). Com isso, ela só consegue chegar ao 5º lugar. Mas sejamos justos: é mais por mérito dos concorrentes do que por falha do utilitário da Renault. Como se poderá ver logo adiante.

 

4º – Lifan X60 (16,04)

lifan-x60

Eis que surge o primeiro chinês do comparativo. A Lifan jura de pés juntos que quer ter fábrica por aqui e vem cuidando pessoalmente das operações brasileiras para crescer. O X60 não é potente (128 cv) e está entre os modelos mais pesados do segmento. Seu segredo é custar muito pouco, falando de modo relativo. É ele que empata em preço com o Renault Duster 1.6. E, por aqui, quem cobra menos se dá melhor.

 

3º – Peugeot 2008 Allure 1.6 (16,72)

Peugeot-2008-Allure

A Peugeot deve estar orgulhosa de seu SUV. Com apenas 1.086 kg, ele é o mais leve do segmento. Isso permite que seu motor 1.6 de 122 cv com etanol seja suficiente. Os R$ 67.190 que ele cobra também são o menor preço disponível para os novos lançamentos. Se não vende melhor, isso se deve provavelmente ao tamanho de rede ou à má fama que ela adquiriu. É algo que os executivos da Peugeot vêm tentando corrigir com bastante empenho.

 

2º – Peugeot 2008 Griffe 1.6 THP (17,66)

Peugeot-2008-Brasil-1

Nenhum modelo, a não ser o Jeep Renegade diesel, oferece potência nem remotamente próxima da que a versão THP do 2008 tem à disposição. Os 173 cv de seu motor 1.6 turbo flex são um espanco, assim como o baixo peso, que rende a melhor relação peso/potência desta categoria, com 7,12 kg/cv. Se não ganhou, isso se deve ao preço, de R$ 79.590. Muita coisa para um modelo pequeno.

 

1º – Chery Tiggo 2.0 (18,28)

Chery-Tiggo

E mais um chinês leva o título para casa. Só por ser o SUV mais barato do Brasil, vendido a R$ 54.900? Em boa medida. O motor 2.0 rende pouco se for comparado aos concorrentes, com 138 cv. O peso, de 1.375 kg, também é um dos mais altos da categoria. A relação peso potência pode não ser impressionante, com 9,96 kg/cv, mas nem de longe é a mais alta. E isso explica um bocado.

Para ver a posição de todos os SUVs compactos do mercado, confira a tabela abaixo:

Matérias relacionadas

Conheça os carros mais vendidos do Brasil por motorização em 2014

O que move a inovação?

Gustavo Henrique Ruffo

Quer comprar a Puma? Ela está à venda… na África do Sul

Dalmo Hernandes