A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Achados meio perdidos

Quer um fora-de-série diferente? Este raro Adamo CRX está à venda

O Puma foi, de longe, o esportivo fora-de-série mais bem sucedido no Brasil. Seu auge foram os anos 1970, mas o Puma foi vendido no Brasil entre 1967 e 991, usando mecânica DKW, Volkswagen e Chevrolet ao longo desse período. O design inspirado nos carros europeus, o acabamento artesanal requintado (para a época) e a mecânica popular eram alguns de seus atrativos.

Ainda não é assinante do FlatOut? Considere fazê-lo: além de nos ajudar a manter o site e o nosso canal funcionando, você terá acesso a uma série de matérias exclusivas para assinantes – como conteúdos técnicoshistórias de carros e pilotosavaliações e muito mais!

 

FLATOUTER

Plano de assinatura com todos os benefícios: acesso livre a todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site, download de materiais exclusivos, participação em sorteios e no grupo secreto no Facebook (fique próximo de nossa equipe!), além de veiculação de até 7 carros no FlatOuters e até 3 anúncios no site GT40, bem como descontos em oficinas e lojas parceiras*!

R$20,00 / mês

*Benefícios sujeitos ao único e exclusivo critério do FlatOut, bem como a eventual disponibilidade do parceiro. Todo e qualquer benefício poderá ser alterado ou extinto, sem que seja necessário qualquer aviso prévio.

CLÁSSICO

Plano de assinatura na medida para quem quer acessar livremente todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site1, além de veiculação de até 3 carros no FlatOuters e um anúncio no site GT402.

De R$14,90

por R$9,90 / mês

1Não há convite para participar do grupo secreto do FlatOut nem há descontos em oficinas ou lojas parceiras.
2A quantidade de carros veiculados poderá ser alterada a qualquer momento pelo FlatOut, ao seu único e exclusivo critério.

No entanto, existem alguns outros fora-de-série contemporâneos ao Puma que são mais raros e desconhecidos, porém igualmente interessantes para quem curte este tipo de carro. Um bom exemplo é o Adamo – que, assim como o Puma, surgiu no fim da década de 1960 com mecânica VW aircooled, e mais tarde também deu origem a um modelo de motor dianteiro arrefecido a água. Um exemplar dos mais recentes, fabricado em 1986, é nosso Achado meio Perdido de hoje – e pode ser uma boa pedida para quem quer um carro diferente por fora, porém de manutenção mecânica simples e acessível. E mais: ele está muito original e bem conservado para sua idade.

Originalmente, a Adamo era uma fabricante de poliéster em São Paulo/SP. Foi por iniciativa de um dos membros da família, Milton Adamo, que a empresa começou a desenvolver e a fabricar carros – certamente inspirado pelo sucesso do Puma.

O primeiro Adamo, que misturava Buggy e conversível (Foto: Lexicar)

 

Até o começo da década de 1980, os carros da Adamo usavam chassi e mecânica dos Volkswagen a ar, tanto o Fusca quanto a Brasilia. Os modelos prezavam pelo estilo inspirado nas Ferrari e pelo capricho na construção e no acabamento, usando itens como couro legítimo, vidros laminados (algo relativamente incomum na época) e cintos de segurança de três pontos.

Foi na edição de 1984 do Salão do Automóvel que a Adamo apresentou seu primeiro modelo de motor arrefecido a água e tração dianteira: o Adamo CRX 1.8, que usava o mesmo motor AP de 1,8 litro do VW Gol GT na dianteira, com seus 99 cv declarados (ou cerca de 105 cv na realidade, fato omitido para que o carro pagasse menos impostos). A suspensão dianteira era do tipo MacPherson, com braços longitudinais e molas helicoidais na traseira. Já a carroceria continuava lembrando bastante as Ferrari, especialmente a 308. O diferencial era o teto targa removível, dividido em duas partes.

 

É exatamente um Adamo CRX nosso Achado meio Perdido de hoje. O carro, anunciado no GT40, foi fabricado em 1986, e pertence a um entusiasta do Rio Grande do Sul. De acordo com ele, o carro apresenta alto nível de originalidade, com certificado emitido pela Federação Brasileira de Veículos Antigos (FBVA), e está habilitado para receber a placa preta.

 

Segundo o proprietário, a mecânica do CRX foi toda revisada, incluindo carburador, coletor e o sistema de partida a frio. O sistema de arrefecimento recebeu vários componentes novos, como bomba d’água, correias, radiador e reservatório. Os demais elementos do carro também estão funcionando de acordo, como suspensão, freios e a parte elétrica (até os faróis escamoteáveis, grande charme do carro).

A pintura está em boas condições, bem como os acabamentos externos – borrachões, frisos e emblemas, e também os para-choques e as cinco rodas (inclui-se o estepe) originais, com as calotinhas que vinham com o nome do modelo. O anunciante frisa que o interior está com a tapeçaria original de fábrica, que traz alguns poucos sinais de desgaste mas, no geral, está bem apresentável. Repare, abaixo, no painel de instrumento retirado dos Ford com motor AP, como o Del Rey.

Existem pouquíssimos exemplares do Adamo CRX em bom estado e rodando – e carros originais são mais raros ainda, pois muitos deles foram modificados com elementos que remetem às Ferrari, como para-choques, lanternas, emblemas e interior.

Assim, se você não tem um orçamento extremamente alto, mas quer um carro antigo diferente e incomum de se ver nas ruas, e que ao mesmo tempo não apresente muitos empecilhos de manutenção, esta pode ser uma opção interessante.

Se você gostou da ideia e quer saber mais, clique aqui para acessar o anúncio e pegar os contatos.


“Achados Meio Perdidos” é o quadro do FlatOut! no qual selecionamos e comentamos anúncios do GT40.com.br de carros interessantes ao público gearhead, como veículos antigos, preparados, exclusivos e excêntricos. Não se trata de publieditorial. Não nos responsabilizamos pelas informações publicadas nos anúncios nem pelas negociações decorrentes – todos os detalhes devem ser apurados atenciosamente com o anunciante!

Matérias relacionadas

Este Fiat Uno S 1.3 com placa preta está à venda

Dalmo Hernandes

O fastback da Lotus: conheça o raro Eclat 522, nosso Achado Meio Perdido

Gustavo Henrique Ruffo

Este Citroën AX GTi pode ser seu novo brinquedo de fim de semana

Dalmo Hernandes