Radares de velocidade média autuam 230 mil em SP, os lançamentos da Volkswagen nos próximos dois anos, Pagani lança mais um Zonda exclusivo e mais!

Leonardo Contesini 5 dezembro, 2017 0
Radares de velocidade média autuam 230 mil em SP, os lançamentos da Volkswagen nos próximos dois anos, Pagani lança mais um Zonda exclusivo e mais!

Este é o Zero a 300, nossa rica mistura das principais notícias automotivas (ou não) do Brasil e de todo o mundo, caro car lover. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere com a gente!

 

Radar de velocidade média autua 230.000 motoristas em um mês

1512401221

Foto: Osvaldo Cornetti/Fotos Públicas

A prefeitura de São Paulo começou a divulgar os dados dos radares de velocidade média depois do primeiro mês de operação. Instalados em quatro pontos da cidade de São Paulo, eles autuaram 230.000 motoristas em um único mês. Por enquanto, a prefeitura de São Paulo está enviando apenas cartas de advertência como medida educativa, mas os dados serão usados para solicitar a liberação deste tipo de fiscalização ao Contran.

Os números parecem alarmantes, mas eles também podem ser reveladores com uma análise mais ponderada, sem pressa para apontar o excesso de velocidade como razão dos males do trânsito. Os sistemas de velocidade média estão instalados nas avenidas Jacu-Pêssego, 23 de Maio e Bandeirantes, e na pista expressa da Marginal Tietê. Destes locais, o que mais teve infrações foi a avenida Jacu-Pêssego, com 221.000 das 230.000 infrações — 96% delas. Nas demais avenidas, Bandeirantes e 23 de Maio, houve 9.000 autuações em 30 dias. Na pista expressa da Marginal Tietê, foram apenas 250 autuações.

O discrepância nos números chama a atenção: como a via mais movimentada teve o menor número de infrações? A resposta pode estar no limite de velocidade.

Um dos conceitos básicos da engenharia de tráfego no que diz respeito aos limites de velocidade é a velocidade operacional da via. Já falamos dela aqui, mas resumidamente, é a velocidade abaixo da qual 85% dos condutores trafegam sem que haja elementos que os faça reduzir a velocidade, como lombadas, ilhas, escolas, travessias e semáforos. Quando o limite de velocidade adotado é inferior à velocidade operacional sem que haja outros elementos que auxiliem a percepção da necessidade de reduzir a velocidade, os motoristas trafegam na velocidade operacional, que no caso será considerada excessiva por um limite artificialmente baixo.

Na Avenida Jacu-Pêssego, foi onde ocorreu a maior redução de limites em 2015, passando de 80 km/h para 50 km/h. Os motoristas que trafegam pelo local também citam tentativas de assalto na região, o que pode estar estimulando a velocidade “excessiva”. Na Marginal Tietê, onde os limites foram aumentados de volta à velocidade operacional, as infrações foram menos recorrentes: apenas 250, ou pouco mais de oito por dia. Em uma via por onde passam mais de 20.000 veículos por hora.

É preciso, portanto, que a prefeitura analise os fatores que levam a essa velocidade excessiva na Av. Jacu-Pêssego antes de solicitar ao Contran a liberação desse tipo de fiscalização ou considerar uma velocidade natural como “excessiva”. Não há, por exemplo, estudo de volumes e velocidades na Av. Jacu-Pêssego. Não há estudo das causas dos acidentes fatais ocorridos naquela via. Como determinar se a velocidade é realmente um fator relevante nesses acidentes?

 

Volkswagen começa a vender Up! GTI na Alemanha

img

Depois de quase um ano de apresentações e espera, a Volkswagen finalmente começou a vender o Up! GTI, mas somente na Alemanha. O carro parte de 16.975 euros, equivalentes a R$65.800 em conversão direta.

UP1462_gti-rear-in-motion

Como já vimos anteriormente, o Up! GTI é equipado com uma versão de 115 cv do motor 1.0 TSI, capaz de levá-lo aos 100 km/h em 8,8 segundos e chegar à máxima de 196 km/h. Pode chamá-lo de herdeiro espiritual do Golf GTI original.

Como um legítimo GTI ele recebeu o tratamento completo para receber o emblema das três letras: as rodas são de 17 polegadas, a suspensão é 15 mm mais baixa, a caixa de direção é emprestada do Polo com uma relação mais direta, a grade dianteira usa o padrão “colmeia”, a traseira ganhou um spoiler maior e os bancos, claro, o padrão xadrez de todo GTI. Ele será oferecido em branco, vermelho, preto perolizado e prata escuro.

 

Pagani Zonda ganha mais um exemplar exclusivo

Pagani-Zonda-Riviera-2

O Pagani Zonda acaba de ganhar mais um exemplar exclusivo “post-mortem“. Apesar de ter saído de linha em 2011, a Pagani ainda aceita construir um exemplar a quem oferecer a quantia certa à fabricante, e é isso o que tem acontecido desde então. O mais novo modelo é o Pagani Zonda Riviera, que foi entregue nesta semana à loja Seven Car Lounge, na Arábia Saudita.

Por fora ele usa um esquema de pintura que combina o branco perolizado com fibra de carbono exposta e envernizada, com detalhes em azul no capô, nas rodas e nas saias laterais, sempre sobre o fundo de carbono. O visual do carro é muito parecido com o do Zonda Cinque, com aletas aerodinâmicas nos para-choques (dive planes/canards), um scoop no teto para a admissão do motor, barbatana e asa fixa.

Por dentro ele tem bancos revestidos de couro azul e alcantara também azul. Nas portas, a alcantara azul combina com a fibra de carbono exposta, que também aparece no painel e no console central. No restante da cabine o revestimento é de alcantara preta e alumínio.

Pagani-Zonda-Riviera-6

Não há detalhes sobre o conjunto mecânico, mas ele certamente usa o V12 de 7,3 litros e 760 cv como todos os demais modelos da família Zonda 760.

 

Os lançamentos da Volkswagen nos próximos dois anos

VW-2020-2

Você já deve ter lido aqui no Zero a 300 que a Volkswagen planeja lançar 20 novos modelos no Brasil até 2020. Dois deles já foram: o Polo e seu sedã Virtus. Restam 18 e, embora a gente já imaginasse quais seriam (como a nova geração do Jetta), os modelos acabaram revelados na internet pela imprensa argentina.

A imagem exibida aos argentinos a mostra que a Volkswagen ainda irá insistir no Fox, lançando duas novas versões do compacto (Connect e Extreme) e aparentemente irá lançar uma versão esportiva (ou esportivada?) do Polo e do Virtus, identificados pela sigla GTS. Não está claro se eles terão algum upgrade mecânico — na África do Sul o último Polo GTS, de 2016, tinha apenas adereços na carroceria e na cabine, e suspensão rebaixada.

VW-T-Cross-Breeze-9

O nome Saveiro NF na imagem indica que a picape ganhará uma nova geração (NF significa neue familie), o que significa que ela deverá se separar do Gol e do Voyage, tornando-se um modelo independente. Já a dupla Gol e Voyage continuam com mais um facelift e receberão câmbio Tiptronic até a chegada da próxima geração, que deverá acontecer em 2020.

Outra novidade é o SUV T-Cross, que será baseado na plataforma MQB e irá rivalizar com Hyundai Creta e Honda HR-V. Teremos ainda um outro SUV compacto, o T-Track, sobre o qual falamos aqui mesmo no Zero a 300 em agosto. Ele será baseado na plataforma MQB, mas terá um porte menor que o T-Cross, e deverá usar o motor 1.0 TSI de 115 cv ou 125 cv.

VW-Taigun-Production-2-620x413

Golf e Golf Variant constam no quadro porque chegarão ao Brasil com o facelift que o modelo recebeu na Europa. Em seguida virão os SUV Atlas — que é um modelo grande, com sete lugares, já vendido no EUA —, a nova geração do Tiguan, a nova geração do Jetta, a Amarok V6 e o Tarek, que pode ser o nome do SUV da Amarok ou, como especula o Autoblog Argentina, um novo SUV compacto que irá substituir o SpaceFox.