A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture

Rali, trapalhadas e ronco de motor: mais momentos inesquecíveis do Goodwood Festival of Speed 2014

O Goodwood Festival of Speed é um dos eventos automotivos mais importantes do mundo — não apenas por reunir carros de corrida clássicos, mas pela oportunidade de ver bólidos lendários de todas as categorias do automobilismo rodeados por pilotos jovens e veteranos, superesportivos modernos e até carros conceito — tudo em um só lugar.

É uma tarefa difícil escolher o que rolou de mais legal no FoS 2014 e, por isso, o FlatOut traz para você a segunda parte da lista com as atrações mais fodásticas de Goodwood neste ano!

 

Rali! Rali! Rali!

O trecho de subida de montanha não é o único lugar onde os carros de Goodwood podem acelerar. A propriedade no Reino Unido também conta com um estágio de rali em uma floresta — e não faltam carros perfeitos para aproveitá-lo como se deve. Assim, podemos ver várias lendas do Grupo B devorando a pista, como no vídeo acima, ou Sébastian Loeb mostrando, ao volante de um Citroën DS3, porque conquistou nove títulos no WRC:

 

O espetáculo sonoro da Porsche

A volta da Porsche a Le Mans evidenciou (como se fosse preciso) o valor que a Porsche dá a sua história no automobilismo, especialmente nas corridas de longa duração, e Goodwood serviu como palco para que a fabricante de Stuttgart apresentasse parte de seu acervo de protótipos — 917K, 962C, 911 GT1, RS Spyder, você escolhe.

Contudo, o Porsche que nos deixou mais impressionados não foi nem mesmo construído pela Porsche: trata-se de um Fabcar 935  — naquela época, a Porsche licenciava seus projetos e fornecia componentes para outras empresas, e a americana Fabcar era uma delas.

Este carro foi construído em 1982 e conta com a frente baixa (slant nose) e a traseira longa que ficaram famosos no 935 “Moby Dick”. Nas mãos do piloto John Paul Jr, o carro foi vencedor da temporada de 1982 do campeonato da IMSA.

Não importa se não é um Porsche “de verdade”: ele usa componentes Porsche e um boxer de seis cilindros biturbo capaz de entregar 840 cv — e o ronco é simplesmente ensurdecedor.

 

Um Maserati MC12 novinho em folha

fos2014-p2 (19)

Em 2004, a Maserati pegou a Ferrari Enzo e a transformou no MC12, um carro feito para o FIA GT Championship. O MC12 era mais baixo, mais largo e mais comprido do que a Enzo, mas o motor e câmbio são os mesmos — um V12 de seis litros e 660 cv e uma caixa manual sequencial de seis velocidades. Cinquenta unidades legalizadas para as ruas foram feitas para homologar a versão de corrida, e mais 12 MC12 “Corsa”, que foram vendidos a particulares mas só podiam ser usados em pista.

Estes 62 MC12 eram os únicos que existiam no mundo (fora os carros de corrida) — até agora. Para comemorar seu centenário no Goodwood Festival of Speed, a Maserati construiu mais um MC12 usando um monobloco que ainda estava na fábrica. Cerca de 95% dos componentes são novos, e o carro tem uma pintura exclusiva que homenageia a história da marca no automobilismo: Sir Stirling Moss em um Maserati 250F (que também foi levado para o Festival), os carros de corrida da FIA GT e até o traçado do hillclimb de Goodwood.

 

Sir Stirling Moss e Lord March acelerando Mercedes-Benz clássicos

Falando em Sir Stirling Moss, o homem está aí para provar que é possível se tornar uma lenda da Fórmula 1 mesmo sem conquistar nenhum título. E ele foi um dos convidados de honra do FoS 2014, onde pilotou nada menos do que o Mercedes-Benz W196 de Juan Manuel Fangio, seu mentor, amigo e companheiro de equipe em 1955 na Mercedes-Benz. O W196 se tornou o carro mais caro da história a ser vendido em um leilão ao ser arrematado, no ano passado, pelo equivalente a US$ 70 milhões.

mercedes-benz_300_slr_5

Lord March, o anfitrião da festa, pilotou a versão streamliner do W196. Ambos os carros têm motores de oito cilindros em linha e 2,5 litros, capazes de entregar algo entre 275 e 290 cv. Com eles a Mercedes venceu duas vezes o mundial de construtores, em 1954 e 1955 — que também foram os anos em que Fangio conquistou dois de seus cinco títulos mundiais.

 

Burnouts, muitos burnouts

Há quem pense que burnouts são perda de tempo e desperdício de borracha. Podem até ser, mesmo, mas a gente liga? Não! E tudo fica mais interessante em Goodwood: só lá mesmo para vermos protótipos Le Mans, motos, carros de Fórmula 1, dragsters e e supercarros queimando borracha no asfalto antes de arrancar com toda sua força.

 

Mas como nem tudo são flores…

Apesar do espetáculo proporcionado por tantos carros incríveis acelerando, o Goodwood Festival of Speed também traz muitos acidentes. Todos os anos vários carros enfiam a fuça nos montes de feno ao lado da pista — e, obviamente, 2014 não foi exceção.

Todos os vídeos mostram exatamente o acidente ou começam no ponto em que o acidente ocorre

Kimi Räikkönen dormindo

kimiiiii

Antes de pilotar a Ferrari F2007 que o levou a seu título naquele ano, o Homem de Gelo resolveu tirar um cochilo… dentro do carro. Esse é o nosso Kimi. Ele sabe o que está fazendo. Sempre sabe.

Matérias relacionadas

Aprenda a importar peças para seu carro sem ter problemas com a Receita Federal

Leonardo Contesini

O que significam os nomes dos carros? – parte 4: os brasileiros

Dalmo Hernandes

General Lee: tudo o que você sempre quis saber sobre o “outro” Dodge Charger mais famoso do mundo

Dalmo Hernandes
error: Direitos autorais reservados