A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Técnica Vídeo

Red Bull Racing explica em detalhes as novas regras da Fórmula 1

Dentro de poucas horas os motores da Fórmula 1 finalmente voltarão a roncar pra valer em Albert Park, na Austrália. Enquanto isso, que tal um resumo das mudanças e novidades para este ano, apresentados pelo atual campeão Sebastian Vettel e seu novo colega de equipe Daniel Ricciardo?

A Red Bull pode não ter feito um carro primoroso para esta temporada, mas eles prepararam este vídeo repleto de detalhes em computação gráfica para explicar o regulamento técnico deste ano de uma forma prática e fácil de entender.

Os carros ainda têm cara de F1, mas bico, asas, motor e câmbio, tanque de combustível e sistema de recuperação de energia são totalmente diferentes do ano passado. O total de combustível, por exemplo,  foi reduzido em 30% e agora é limitado a 100 kg/140 litros. Para possibilitar o mesmo ritmo de corrida usando menos gasolina, os carros agora terão um novo sistema de recuperação de energia e um novo câmbio de oito marchas, em vez de sete.

As mudanças do motor vão além do turbo e da redução de cilindros. Agora o sistema de alimentação usa injeção direta com maior pressão para proporcionar uma queima mais completa e eficiente — com os injetores no coletor, parte do combustível injetado se perdia antes de entrar nos cilindros, o que resulta em um consumo mais elevado em relação à injeção direta. Os pilotos também precisam ser mais cuidadosos com ele, pois em vez de oito motores por temporada, agora são apenas cinco para as 19 corridas.

Além dos cerca de 600 cv do motor turbo, a potência será complementada pelo sistema de recuperação de energia ERS, que usa duas unidades geradoras. Uma delas, movida pelos gases da turbina, e outra pela energia cinética dos freios. Com isso, o pacote de baterias tem capacidade 10 vezes maior e permite um overboost que fornece 160 cv durante 33 segundos por volta, um aumento significativo em relação aos 6,6 segundos do sistema antigo.

Por último, a aerodinâmica também teve mudanças que visam aumentar a competitividade e a segurança. Os bicos, que ficaram bem estranhos neste ano, ficaram mais baixos visando aumentar a segurança em colisões tipo “T”, quando um carro é atingido na lateral pelo bico do outro. A asa dianteira agora é mais estreita, o que reduziu a downforce em 20%, enquanto a traseira ficou mais plana e ganhou um DRS com abertura maior, o que deve permitir ainda mais velocidade em retas/ultrapassagens.

Os treinos livres do GP da Austrália começam às 22:30 de hoje, a classificação às 03:00 do sábado e a corrida às 03:00 de domingo. Acho que dessa vez vai valer a pena ficar acordado. Quais as suas expectativas para esta abertura de temporada?

Matérias relacionadas

Autódromo Velo Città: guia de pilotagem – a bordo de um Lancer Evo X!

Juliano Barata

Especial Lubrificantes, parte 1: rótulos e especificações

Juliano Barata

Como é usar um supercarro para ir ao shopping fazer compras?

Leonardo Contesini