A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

Renault Clio bate recorde em Nürburgring, os detalhes da versão topo de linha da Fiat Toro, Ford quer rivalizar com Uber e mais!

Este é o Zero a 300, nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo, caro car lover. Assim você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere com a gente!

 

Renault Clio RS 220 Trophy bate recorde em Nürburgring Nördschleife

Captura de Tela 2015-12-14 às 12.10.41

Depois de perder o recorde de tração dianteira em Nürburgring Nordschleife para o Honda Civic Type R, a Renault decidiu mostrar que não tem apenas um hot hatch super rápido no Inferno Verde. Desta vez, quem quebrou um recorde por lá foi o Clio RS 220 Trophy, que agora é o hatch compacto mais rápido do circuito.

Captura de Tela 2015-12-14 às 12.10.49

O carro foi levado a Nürburgring pela revista alemã Sport Auto, e foi pilotado pelo editor Christian Gebhardt em um comparativo que também incluiu o Opel Corsa OPC, o Audi S1 e o Mini John Cooper Works (leia nossa avaliação aqui). O Clio completou a volta em 8:32 — o mesmo tempo do Porsche Boxster S de primeira geração, três segundos mais lento que o Audi TT RS e quatro segundos mais lento que o Porsche 911 Carrera 993.

wcf-renault-clio-rs-220-trophy-at-the-nurburgring-renault-clio-rs-220-trophy-at-the-nurbur

O Mini JCW ficou logo atrás, com 8:35, o Opel Corsa OPC cravou 8:40 e o Audi S1 ficou em último com 8:41. O Clio RS 220 Trophy usa um motor 1.6 turbo de 220 cv e 24,5 mkgf, e câmbio de embreagem dupla.

 

Versão topo de linha da Fiat Toro é flagrada

FiatToroVolcano-002

Nesta nova leva de fotos “vazadas” da Fiat Toro faltou mostrar somente o interior da picape. Ela foi fotografada por todos os ângulos na fábrica da FCA em Goiana/PE e também revelou o nome de uma das versões, Volcano, e algumas características mecânicas.

Captura de Tela 2015-12-14 às 11.42.12

A Fiat Toro Volcano provavelmente será a versão topo de linha da picape, que além dos emblemas Diesel 4×4 e AT9 — ou seja: o mesmo motor 2.0 Multijet diesel do Renegade, com 170 cv e 35,7 mkgf, e o câmbio automático de nove marchas com tração integra — também tinha elementos cromados no exterior. Como já vimos em outro flagra, há uma versão mais simples, sem esses cromados no acabamento externo.

A Fiat Toro a gasolina usará o motor 1.8 E-Torq com algumas modificações para produzir cerca de 140 cv. Esse motor usará o câmbio manual de seis marchas do Bravo ou o automático de seis marchas do Renegade.

 

Lamborghini Aventador não terá versão de tração traseira

Lamborghini-Aventador-SV-Carscoops7

A Lamborghini mostrou há algumas semanas o novo Huracán de tração traseira, o LP580-2, mas quem esperava uma versão semelhante para o Aventador, uma má notícia: não vai rolar.

Mesmo com um V12 de 6,5 litros e 700 cv (ou 750 no SV), o Aventador teve seu desempenho criticado pela imprensa europeia, especialmente quando comparado à Ferrari F12berlinetta, que permanece fiel à tração traseira e não tem o inconveniente sub-esterço apresentado pelo Lambo. No caso do Huracán, a versão de tração traseira corrigiu essa característica indesejada pelos fãs mais hardcore, mas um Aventador empurrado apenas pelas rodas de trás não será produzido pois a Lamborghini afirma que a tração integral é a única forma de controlar a potência e o torque do supercarro.

Lamborghini-Aventador-SV-Carscoops10

Ao menos é o que o diretor de desenvolvimento da Lamborghini, Maurizio Reggiani disse aos britânicos da Autocar: “O Aventador só pode ser um carro de tração integral porque ele tem muita potência e torque para controlar, e isso só é possível com quatro rodas motrizes. Isso se deve principalmente à excelência dos sistemas de controle que temos no carro hoje. Por isso, quando planejamos derivados do Aventador, mantemos a tração integral”.

 

Teste de DNA confirma que Juan Manuel Fangio teve um filho

HbzRpqpDZrNTD85kr1V4AKaPdb2u70l3_598x414

Em seus 84 anos de vida, Juan Manuel Fangio venceu cinco títulos de Fórmula 1, ajudou Horacio Pagani a fundar sua fábrica de supercarros e se tornou o maior piloto do planeta. Mas ele nunca se casou e nem teve um filho. Ao menos até agora. Vinte anos depois de sua morte, um teste de paternidade comprovou que o piloto teve um filho argentino.

Em agosto passado o corpo de Juan Manuel Fangio foi exumado para que seu DNA fosse usado em um teste de paternidade solicitado por Oscar Espinoza, de 77 anos. Ele é um dos dois homens que dizem ser filhos do piloto — o outro é Ruben Vazquez. Na semana passada, o juiz argentino Rodrigo Cataldo confirmou que Espinoza é realmente filho de Fangio com base nos resultados do teste de DNA. Agora, Oscar Espinoza mudará seu nome, passando a assinar Oscar Fangio, conforme declarou aos jornais argentinos.

Quanto a Ruben Vazquez, o outro suposto filho não-reconhecido de Fangio, seu processo ainda corre nos tribunais em Buenos Aires.

 

Ford quer desenvolver serviço semelhante ao Uber

uber4 copy

Há alguns meses publicamos uma pensata sobre a eventual “vitória” do Uber sobre os taxistas, na qual concluímos que, ainda que o Uber desapareça, o modelo proposto pela empresa é disruptivo e veio para ficar — algo como o Napster no começo deste século. Aparentemente nosso palpite vem se mostrando acertado, pois a Ford divulgou sua intenção de desenvolver um serviço de transporte semelhante ao Uber. A informação vem da agência Reuters, que entrevistou o vice-presidente de pesquisa da fabricante, Ken Washington.

A intenção é fornecer serviços e soluções de mobilidade — uma tendência planejada para o futuro pela maioria das fabricantes. Inicialmente o projeto será um serviço de caronas por meio de aplicativo dentro da fábrica de Dearborn, nos EUA. Provavelmente uma etapa de verificação de funcionalidades e eventuais erros e falhas de desenvolvimento. Depois, o serviço será lançado comercialmente e serão usadas as vans Transit.

Matérias relacionadas

Alguns dos Porsche mais bacanas anunciados no GT40

Dalmo Hernandes

Crowdfunding do FlatOut: regredimos.

Juliano Barata

Peugeot, Lotus e Lancia: entenda o sistema de nomes destas três marcas

Leonardo Contesini