A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Salão do Automóvel de SP Zero a 300

RS4 Avant, um Fórmula-E e os destaques da Audi no Salão do Automóvel 

No mar de crossovers e SUVs, mesmo razoavelmente pequeno, o estande da Audi se destaca. A fabricante alemã trouxe apenas seis carros. Dois sedãs, um cupê de quatro portas, uma perua esportiva, um carro da F-E e apenas um SUV. E mesmo o SUV é um carro bem interessante do ponto de vista entusiasta.

Ainda não é assinante do FlatOut? Considere fazê-lo: além de nos ajudar a manter o site e o nosso canal funcionando, você terá acesso a uma série de matérias exclusivas para assinantes – como conteúdos técnicoshistórias de carros e pilotosavaliações e muito mais!

FLATOUTER

Plano de assinatura com todos os benefícios: acesso livre a todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site, download de materiais exclusivos, participação em sorteios e no grupo secreto no Facebook (fique próximo de nossa equipe!), além de veiculação de até 7 carros no FlatOuters e até 3 anúncios no site GT40, bem como descontos em nossa loja, oficinas e lojas parceiras*!

R$20,00 / mês

*Benefícios sujeitos ao único e exclusivo critério do FlatOut, bem como a eventual disponibilidade do parceiro. Todo e qualquer benefício poderá ser alterado ou extinto, sem que seja necessário qualquer aviso prévio.

CLÁSSICO

Plano de assinatura na medida para quem quer acessar livremente todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site1, além de veiculação de até 3 carros no FlatOuters e um anúncio no site GT402.

De R$14,90

por R$9,90 / mês

1Não há convite para participar do grupo secreto do FlatOut nem há descontos em nossa loja ou em parceiros.
2A quantidade de carros veiculados poderá ser alterada a qualquer momento pelo FlatOut, ao seu único e exclusivo critério.

 

Você já o viu por aqui em junho deste ano, quando a Audi divulgou as primeiras informações sobre o modelo. O Q8 é o primeiro “SUV-cupê” da marca das quatro argolas e uma resposta aparentemente tardia aos demais SUV cupês do mercado. Mas esqueça o BMW X6 e o Mercedes GLE Coupé. O Q8 está em um patamar acima destes.

flatout-salao-automovel-2018-audi-44

Ele é baseado no Q7, com quem compartilha as mesmas dimensões, embora pareça bem mais baixo devido à sua linha de teto truncada — que, afinal, faz dele um “cupê”. Como o número no final de seu nome sugere, ele é o modelo de topo da linha de SUVs da Audi, e irá oferecer “a elegância de um cupê de quatro portas e a versatilidade de um SUV grande”. Com 2,99 metros de entre-eixos, ele promete oferecer um pouco mais de espaço interno que seus rivais — GLE e X6 têm, respectivamente, 2,92 m e 2,93 m de entre-eixos.

flatout-salao-automovel-2018-audi-46

O porta-malas também se destaca, com 605 litros com os bancos traseiros em uso e 1.755 litros se forem rebatidos — o GLE Coupé tem 650 litros, porém 1.720 com os bancos rebatidos, enquanto o BMW X6 tem somente 550 litros.

Apesar da relação parental com o Q7, o Q8 tem visual próprio, baseado na nova linguagem de estilo da Audi, que estreou no A8 — marcada pela grade octogonal com barras verticais e faróis de matriz de LED. Nas laterais, o elemento marcante é a coluna C larga e, claro, a linha de teto em queda, bem como as portas sem molduras nas janelas. O interior também o aproxima do A8, com duas telas sensíveis ao toque no console central e o quadro de instrumentos digital Virtual Cockpit.

flatout-salao-automovel-2018-audi-45

Mecanicamente o Q8 é baseado em uma plataforma leve que combina 15% de alumínio fundido e 14,4% de aço de alta resistência para manter o peso do Q8 em 2.145 kg quando equipado com o 3.0 TDI, que é combinado a um motor elétrico de 48 volts que o ajuda a produzir 290 cv e 61 kgfm. Este sistema permite que o SUV seja embalado pela eletricidade em velocidades até 160 km/h. Com os dois motores em ação o carro vai de zero a 100 km/h em 6,3 segundos.

flatout-salao-automovel-2018-audi-48

Para o mercado Brasileiro, contudo, o Q8 virá com um powertrain a gasolina, usando o V6 3.0 TFSI de 340 cv e 50,9 kgfm combinado ao motor elétrico de 48 volts e ao câmbio automático de oito marchas que modera a força enviada para as quatro rodas pelo sistema quattro. A distribuição padrão é 40% para o eixo dianteiro e 60% para o eixo traseiro.

Colaborando com o baixo peso, a suspensão é feita majoritariamente de alumínio, assim como as pinças de freio dianteiras. O sistema pode usar suspensão pneumática adaptativa como opcional, com quatro modos de rodagem e uma variação de até 90 mm na altura da carroceria, e o eixo traseiro ainda tem esterçamento de até cinco graus para mais estabilidade em alta velocidade ou para reduzir o raio de giro em baixas velocidades.

flatout-salao-automovel-2018-audi-47

Infelizmente ainda não há data certa para a chegada do SUV no Brasil, mas não espere vê-lo antes da segunda metade de 2019.

flatout-salao-automovel-2018-audi-52

O mesmo vale para a nova geração do A8, que também foi apresentada no Salão de São Paulo. O modelo tem como principal novidade o sistema elétrico de 48 volts que permite que o carro use tecnologias mais avançadas e fornece uma “hibridização leve”, que o ajuda a melhorar o desempenho e a reduzir o consumo e emissões. Entre estas tecnologias está o sistema eletromecânico da suspensão ativa, capaz de ler a superfície da pista e ajustar a suspensão constantemente em tempo real.

flatout-salao-automovel-2018-audi-19

O novo A8 também terá três níveis de condução autônoma; o mais avançado deles permite que o motorista solte completamente o volante e “encaixe” o carro em uma vaga apertada automaticamente e remotamente — sim: fora do carro.

Quanto ao visual, o novo A8 é largamente inspirado pelo conceito Prologue de 2014, o que tornou o carro mais esguio que seu antecessor, sem que isso significasse simplificar seu visual ou deixá-lo menos encorpado ou sem presença. Na dianteira os faróis finos usam DRLs de LED e a grade deve ser a maior já vista em um Audi desde os supercarros de corrida da Auto Union nos anos 1930.

flatout-salao-automovel-2018-audi-43

A linha do teto também é mais fluida, de forma que o carro tenha um quê de cupê de quatro portas. Aparentemente esta é a nova tendência dos sedãs premium, visto que o BMW Série 7 e o Mercedes Classe S também lançam mão deste recurso. A traseira, por sua vez, é a parte que mais foge do padrão dos Audi, e ganha um ar retro-futurista, com um conjunto óptico estreito e interligado por uma barra luminosa. É meio como se as lanternas do Dodge Charger fossem feitas pelo designer da Kia. E isso não é uma crítica.

Sob o capô, o novo A8 tem o mesmo powertrain do Q8 — um V6 TFSI de três litros a gasolina combinado ao motor elétrico de 48 volts para produzir 345 cv. Mais adiante o modelo terá um V8 biturbo a gasolina de quatro litros e 466 cv, além do 6.0 W12 que equipa os modelos Bentley.

flatout-salao-automovel-2018-audi-38

Esse mesmo powertrain ainda embala outros dois modelos da Audi no Salão: o A7 e o A6. Diferentemente dos modelos 8, eles jás receberam o visto brasileiro e chegarão às lojas em abril de 2019. Os preços ainda não foram definidos, uma vez que dependem de uma série de fatores voláteis como a flutuação cambial.

flatout-salao-automovel-2018-audi-26

No caso do A7, o visual do carro é resultado do design evolutivo, uma tradição das marcas alemãs. Ele manteve as portas sem arcos na janela, o capô longo e a traseira “liftback” que lhe confere uma postura “assentada” sobre o eixo traseiro e ares de grã-turismo, mas ganhou um aspecto mais atual com o redesenho dos faróis, lanternas, grade e capô. Na dianteira a grade ficou mais larga e baixa, com arestas mais demarcadas, enquanto o capô ganhou novos vincos que o deixam mais musculoso e agressivo, enquanto a traseira recebeu um spoiler ativo que se eleva a partir de 120 km/h para produzir downforce e otimizar a estabilidade em alta velocidade. As lanternas agora são interligadas por uma faixa luminosa, o que dá um ar retro-futurista ao modelo.

flatout-salao-automovel-2018-audi-22

As principais mudanças, contudo, estão no lado de dentro do cupê-fastback-gt-sedan-etc: a Audi apostou alto nas telas TFT, começando por seu Virtual Cockpit, a tela de 12,3 polegadas que substitui o quadro de instrumentos tradicional e oferece telas configuráveis de acordo com a necessidade/gosto do motorista. Mais ao lado há outra tela de 10,1 polegada para o sistema multimídia e logo abaixo uma terceira tela, de 8,6 polegadas, que controla os demais sistemas do carro, como ar-condicionado, desembaçadores, modos de condução e controles de tração e estabilidade. Particularmente não gostamos de controles touch por serem impossíveis de tatear como os botões físicos, porém a Audi até fez um seletor de marchas mais largo e revestido para que você possa apoiar o pulso enquanto opera a telinha.

flatout-salao-automovel-2018-audi-21

Os bancos dianteiros foram remodelados e ganharam novos ajustes para se moldar ao corpo dos ocupantes, além de manter as funções de massageamento e ventilação. Na traseira, você pode optar pelo layout 2+1 ou trocar o banco por dois assentos individuais. O porta-malas se manteve com os mesmos 535 litros, apesar da redução de 1,5 cm no comprimento total.

Outra novidade tecnológica é o sistema que estaciona/retira o A7 de vagas de garagem o trazem até o motorista de forma autônoma. Isso é possível devido aos cinco radares, cinco câmeras, 12 sensores ultrassônicos e um scanner a laser que equipam o A7. No total, esse hardware é usado para 39 sistemas auxiliares diferentes.

flatout-salao-automovel-2018-audi-30

Os 340 cv do powertrain híbrido são canalizados para as quatro rodas através do câmbio S-tronic de sete marchas e embreagem dupla. A tração integral, contudo, é por demanda, e as rodas traseiras só recebem a força do motor quando o sistema detecta a necessidade de tração adicional. Com esse conjunto o A7 irá de zero a 100 km/h em 5,3 segundos e chega aos 250 km/h — velocidade limitada eletronicamente. Ao mesmo tempo, o motor pode rodar até 14,7 km/l.

A Audi também instalou um eixo traseiro direcional no A7 para ajudá-lo a contornar as curvas com mais desenvoltura. Segundo a fabricante, o sistema reduz o diâmetro de giro em 1,1 metro em relação ao seu antecessor, que tinha o mesmo entre eixos. Em velocidades inferiores a 60 km/h as rodas traseiras giram na mesma direção das dianteiras. Acima disso, elas esterçam na direção oposta.

flatout-salao-automovel-2018-audi-33

A suspensão também é completamente nova, e tem quatro opções de setup: fixa com molas helicoidais convencionais; fixa com acerto esportivo e 10 mm mais baixa; ajustável com amortecedores eletrônicos; e auto-nivelante com molas pneumáticas.

flatout-salao-automovel-2018-audi-27

Já o A6 também será equipado com o powertrain híbrido dos irmãos maiores, e ainda terá uma variação menos potente, com o motor 2.0 TFSI combinado ao motor elétrico de 48 volts para produzir 245 cv.

flatout-salao-automovel-2018-audi-28

Por dentro ele segue a escola sóbria-moderna do A7 e do A8, e abusa das telas para o quadro de instrumentos, comandos de ventilação e sistema multimídia. O pacote de equipamentos inclui luzes ambiente, controle de cruzeiro adaptativo, interface para smartphones, câmera de 360 graus, e bancos esportivos na versão V6.

E já que falamos em esportivo… hora de falar do que realmente nos interessou no estande da Audi: a nova geração do RS4 Avant, que chega em fevereiro de 2019. Se quiser contar os dias, são pouco mais de 90.

flatout-salao-automovel-2018-audi-32

Nesta geração da RS4 Avant Audi contou com a ajuda da Porsche como fez com a RS2. Começando pelo motor, sai o antigo 4.2 V8 da Audi e entra o novo 2.9 V6 biturbo, que estreou no RS5 Coupe e, mais tarde, no Panamera e no Cayenne. O motor foi desenvolvido em parceria pelas duas fabricantes e produz 444 cv e 61,1 mkgf.

flatout-salao-automovel-2018-audi-13

É a mesma potência do antecessor, porém o torque é 17,2 mkgf maior — é praticamente um up! TSI de diferença, e também uma grande diferença na hora de arrancar e ganhar velocidade. Com uma ajudinha do peso 80 kg mais leve (1.790 kg vs. 1870 kg da antiga) — apesar de todos os sistemas novos incluídos no carro —, o novo RS4 Avant vai de zero a 100 km/h em 4,1 segundo (0,6 segundo mais rápido que seu antecessor). A velocidade máxima é limitada eletronicamente em dois níveis: 250 km/h de série ou 280 km/h mediante uma modesta quantia cobrada pelo pacote RS dynamic.

Além do desempenho superior, a nova RS4 Avant também ficou mais econômica, algo relevante até mesmo em um esportivo versátil como a perua. Enquanto o V8 rodava 9,3 km/l, o novo V6 pode chegar a 11,3 km/l.

flatout-salao-automovel-2018-audi-12

Diferentemente da sua ancestral dos anos 1990, a nova RS4 não tem um câmbio manual nem mesmo um automatizado de embreagem dupla: o câmbio é um automático convencional, com conversor de torque e oito marchas controladas pelo computador ou pelas borboletas no volante. Essa troca dos automatizados pelos automáticos, aliás, é uma tendência no mercado, iniciada com a atual geração de câmbios automáticos que podem ser tão rápidos quanto as caixas de embreagem dupla de especificação equivalente. Prova disso é que a Chevrolet e a BMW M não se importaram em instalar caixas automáticas no Camaro ZL1 e no novo M5.

flatout-salao-automovel-2018-audi-7

Quanto ao visual, a dianteira tem um para-choques ainda mais agressivo que o da antecessora (mais agressivo que o dos Porsche atuais, na verdade), com tomadas de ar imensas e salientes na parte inferior e uma grade enorme que parece pronta para devorar qualquer um que se meter na faixa da esquerda de uma autobahn.

Na traseira o visual é menos agressivo, porém a esportividade é anunciada pelo difusor traseiro ladeado pelas saídas de escape pretas enormes e pelo spoiler na borda do teto. O toque de agressividade volta nas laterais, com as soleiras largas e encorpadas, para-lamas traseiros igualmente musculosos para acomodar a bitola 150 mm mais larga , e retrovisores exclusivos com carcaça de fibra de carbono. Faróis e lanternas são de LED, uma das assinaturas da Audi nos últimos anos.

flatout-salao-automovel-2018-audi-5

A suspensão RS sport é 7 mm mais baixa que a do A4 Avant convencional, e o RS4 também usa rodas de 20 polegadas e freios de carbono-cerâmica, um opcional que acompanha a suspensão adaptativa e uma caixa de direção mais direta.

Entrando no carro você topa com um volante com base plana da linha RS, o quadro de instrumentos digital “Virtual Cockpit”, um console central também exclusivo da linha RS e uma tela suspensa no painel para o sistema multimídia. O quadro de instrumentos, aliás, inclui um programa próprio para o RS4, com displays de aceleração lateral e longitudinal, monitoramento de pressão dos pneus e entrega de torque.

flatout-salao-automovel-2018-audi-10

flatout-salao-automovel-2018-audi-9

E antes que eu esqueça, o carro de corridas mencionado lá no topo é um Spark-Audi usado por Daniel Abt na temporada 2017-18 da Fórmula-E, equipado com o motor Audi e-tron FE04.

flatout-salao-automovel-2018-audi-15 flatout-salao-automovel-2018-audi-16 flatout-salao-automovel-2018-audi-17 flatout-salao-automovel-2018-audi-18

Matérias relacionadas

Governo suspende radares móveis, Bugatti EB110 vazou antes do lançamento, o novo Dodge Daytona e mais!

O lendário Nissan Skyline GT-R R32 de Keiichi Tsuchiya e Kunimitsu Takahashi vai a leilão

Dalmo Hernandes

Os carros com os faróis mais legais da indústria automotiva – parte 2

Dalmo Hernandes
error: Direitos autorais reservados