Edição diária: 15/06/2019
FlatOut!
Image default
Car Culture Zero a 300

Sabe o Chevy Nova de “Death Proof”? Ele foi parar nas mãos de um garoto de 16 anos que o dirigiu todos os dias

Imagine a cena: você é um produtor independente de vídeos quando seu novo estagiário aparece para a entrevista com um Chevy Nova 1970 caracterizado como o carro de Stuntman Mike (Kurt Russell) em “Death Proof” (ou “À Prova de Morte”, caso você tenha visto alguma versão brasileira). “Ah, legal”, você pensa. “O carinha tem uma réplica do carro do filme!”

Só que nesse caso o carro não era uma réplica e sim um dos Nova originais usados nas cenas de “Death Proof” e dirigido pelo próprio Kurt Russell nas gravações. WAT? Sim. E mais: o moleque o ganhou com 16 anos e desde então usa o negócio diariamente, como você dirige seu 1.6.

A história é verídica e aconteceu com os caras da Hoonigan quando foram contratar Kanan Hooker, seu atual assistente de produção. Como ele conseguiu o carro? Do jeito mais improvável e inimaginável: ele ganhou de seu pai! Que tipo de pai dá o Chevy Nova de Stuntman Mike para um moleque de 16 anos? Um pai chamado Buddy Joe Hooker, que é dublê e que trabalhou nas cenas de Stuntman Mike em “Death Proof”.

dl8zzxu8agzu9rhxokqs-640x427

A história é a seguinte: “Death Proof” conta a história de Stuntman Mike, um dublê de cinema psicopata que decide usar seu carro “à prova de morte” para perseguir e matar mulheres. O carro “à prova de morte” é um Chevrolet Nova 1970, com motor V8 350 (5.7), um banco de competição, cinto de quatro pontos e uma gaiola de proteção que faz as gaiolas de competição parecerem uma barraca de praia.

Se você ainda não assistiu, faça um favor a si mesmo e dê um jeito de ver

Como Kanan conta, no vídeo, a produção do filme construiu quatro carros: um “feature car”, que é como se chama o carro usado nas cenas em que os protagonistas aparecem a bordo ou perto do carro, dois “roll cars”, feitos para as cenas de capotamento e um carro reserva. Originalmente este carro que acabou nas mãos de Kanan era um dos carros montados para o capotamento, mas por ser o único a funcionar corretamente sempre que preciso, ele acabou batizado como The Jesus (provavelmente por ser aquele que salva as cenas?) e se tornou o “feature car”.

Após as gravações dois carros estavam destruídos e os outros dois acabaram praticamente intactos e foram vendidos por… US$ 500. Sim: qui-nhen-tos-dó-la-res! Um deles caiu nas mãos de um colecionador e foi vendido há alguns anos pelo eBay (até falamos dele aqui). O outro foi arrematado pelo pai de Kanan, Buddy Joe, que o deu de presente ao filho.

Originalmente o carro foi montado com um carburador Edelbrock 640, coletores Hooker e um regulador de combustível Mr. Gasket, e usava um câmbio Tremec TH350, usado no Camaro e no Nova a partir de 1969 combinado ao diferencial Positraction original. Mas quando o carro chegou à garagem dos Hooker, ele estava com dois cilindros falhando, e por isso, em vez de comprar um 350 novo, Kanan e seu pai retificaram o bloco “abrindo” a cilindrada para 383 pol³ (6,27 litros).

Na remontagem, o carburador Edelbrock foi trocado por um Holley, e o comando de válvulas original foi trocado por outro de maior graduação, os cabeçotes foram substituídos por similares de alumínio, o radiador foi trocado por outro de maior capacidade e o resultado são “apenas” 425 hp nas rodas. “Destraciona o tempo todo”, diz Kanan no vídeo.

sbeprxzfbzryqxygp79b-640x378

Sim: o pai de Kanan está ao volante deste carro nesta cena

Outro detalhe bacana é o pato de metal no topo do capô, uma referência ao clássico caminhoneiro “Comboio” (Convoy – 1978). Foram feitos somente quatro patos, dois desapareceram e os outros dois estão nos carros restantes. Olhando o carro de perto o vídeo revela mais detalhes: a gaiola tem um reforço estrutural para proteger o piloto na cena do capotamento. Kanan conta que seu pai acelerou a cerca de 160 km/h antes de detonar o canhão de ar que lançou o carro para o alto. Sem a placa no teto, a gaiola poderia colapsar ou o arrasto do teto contra o chão poderia simplesmente furar o teto e fragilizar a gaiola.

Mais adiante o vídeo revela que a caveira no capô não é pintada, mas simplesmente adesivada — o que é um pouco decepcionante. Na verdade, o carro foi envelopado e alguns componentes foram envelhecidos e enferrujados propositalmente, e revestidos com verniz incolor para protegê-los. Não é um carro desgastado naturalmente como o Peterbilt de “Encurralado” (Duel – 1971).

Mas sinceramente? Quem se importa? É o carro original de Stuntman Mike, que foi usado diariamente por quatro anos e era o carro que Kanan usava para ir à high school (nosso ensino médio). Você ficaria apegado a detalhes no lugar de Kanan?

Matérias relacionadas

Vandal One: um track toy de fibra de carbono com o motor do Civic Type R, 560 cv e 555 kg!

Dalmo Hernandes

Se arrependimento matasse: os carros que nossos leitores mais lamentam não ter comprado

Dalmo Hernandes

Este Nissan GT-R Black Edition com 1.200 cv no motor está à venda no Brasil!

Dalmo Hernandes