A saga do Citroën ZX Coupé: a montagem dos coletores e elétrica

André Lenz 25 julho, 2017 0
A saga do Citroën ZX Coupé: a montagem dos coletores e elétrica

Beeeem, amigos da rede FlatOut de comunicação, estamos novamente entrando em campo para continuar com esta saga absolutamente maravilhosa pelo mundo dos franceses e suas taras por mangueiras. Hoje teremos a prova absoluta da minha insanidade e a certeza que a felicidade não custa caro.

Bom, voltando a saga, paramos no ponto que o carro estava pirado e falhando horrores, neste momento a única coisa que me ocorreu foi solicitar ajuda aos universitários para que pudessem me dar uma luz ao final desse túnel. Se você lembra, eu fiz um vídeo mostrando as dificuldades que estava enfrentando e até fui ver um carro com o mesmo motor pra tentar me ajudar.

Enquanto a galera não me mandava o vídeo por conta da correria compreensível do dia-a-dia, eu resolvi desmontar por completo a sucata vermelha. Desmontei tudo dessa vez, muito mais do que a primeira sucata. Depois que aprendi que o eixo traseiro, varão e até o agregado são itens muito interessantes de se vender ou de se guardar, resolvi que este carro eu iria depenar até o talo. No primeiro desmonte ainda não tinha plena noção de tudo que deveria guardar e de que seria importante, e acabei enviando o carro com o eixo traseiro, com o varão e o agregado. Deveria ter guardado mas agora paciência, já foi. Já neste vermelho o eixo vou guardar para reposição e o agregado também, já o varão da marcha vendi rapidinho, para um rapaz que comprou o câmbio do prata e trouxe de volta a vida um Xsara automático condenado ao abandono.

Segue vídeo do carro completamente desmontado.

Depois do vídeo foi só esperar o pessoal do reciclo na terça de manhã às 7 da manhã e dizer que eles tinham ganhado um carro de brinde. Dessa vez os caras vieram de caminhão e com uma prancha de madeira subiram o carro empurrando-o lá debaixo e puxando uma corda amarrada na frente da carcaça e lá na frente da carroceria do caminhão. Cinco caras empenhados na briga, não? Mas deu tudo certo e a sucata seguiu viagem para virar alguma outra coisa de ferro, quem sabe um bloco de motor…

Olha como o Citroën ZX é um carro versátil, vocês sabiam que até pouco tempo atrás o carro era vendido novinho em folha na China e em outras partes do Oriente? Lá ele tem o nome de Citroën Fukang e Citroën Elysee, o que é uma maravilha, pois nos faz ter peças do danado a venda no Aliexpress. E tudo a um preço bem convidativo, como por exemplo um ventilador interno novinho em folha por menos de R$ 100, com o frete incluso. Mais barato que nos desmanches aqui do Brasil

Olha ele novinho em folha como é:

Fora a nossa versão duas ou quatro portas deste simpático hatch, no mundo o ZX desfila com outras caras até bem interessantes, como um conversível, sedan, wagon e até um projeto de pick-up — embora essa última pareça feita em casa. Mas as demais versões originais rodam na gringa e até bem próximos de nós, em países como Uruguai e Chile. É possível entrar no Mercado Libre destes países e digitar na busca Citroën ZX para ver as demais versões que nunca vieram para cá (e como elas são baratas). Será que quando completar 30 anos dá pra trazer? Olha? Como bom retardado que sou já estou pensando em um ZX Wagon. Seria único do Brasil!

Outra coisa bem bacana que existe na gringa são os kits para personalizar ainda mais, tem adesivos de um gosto um tanto duvidoso, até faróis duplos, passando por aerofólios anabolizados e um aplique de tampão traseiro bem bacana, que vai entre as placas e que inclusive estamos querendo desenvolver no nosso grupo em fibra para colocarmos no nossos carros. No Uruguai tem bastante coisa a venda, no Mercado Libre de lá encontramos bastante coisa, mas muito difícil trazer pro Brasil inclusive essas peças grandes que ultrapassam o limite dos correios por exemplo, mas vamos ver se conseguimos fabricar aqui mesmo.

Bom, então me afundei novamente nos estudos e no service e fui revisar as mangueiras do meu carro. A galera do grupo também me ajudou, principalmente com o problema das ligações elétricas erradas na caixa de fusível, isso deu um trabalhão pra resolver. Tinha a questão das mangueiras que iam no regulador de pressão e outros mais. Fiquei acho que uns dois finais de semana estudando tudo e vendo como ia arrumar no meu carro, então chegou um belo domingo e me afundei na manutenção. Pega vídeo, volta vídeo, pega esquema impresso do service, olha aqui, compara ali e aos poucos fui resolvendo primeiro os problemas de ligação das mangueiras de arrefecimento e depois fui tentar resolver o problema das mangueiras do coletor de admissão e regulador de marcha lenta etc.

Passei o domingo todo das 9 da manhã as 10 da noite, só parando pro almoço.

Video com meus questionamentos para a galera do grupo e a resposta do Dennys e do Lucas, nem tenho como agradecer os auxílios deles.

Quando achei que tinha terminado, chamei minha esposa pra me ajudar a dar partida no carro. Então peguei a bateria e coloquei no carro e quando liguei os polos estava dando uma pequena faísca. Daí pensei que era mal contato e encostei de novo. O resultado foi que subiu uma fumacinha ali perto do alternador, daí pensei, mas que m****. Foi daí que, no calar da noite, minha bateria Moura ainda estava dentro do plástico só com um buraco para os bornes, e eu no cansaço que estava aliado a ansiedade e burrice mesmo liguei os polos trocados.

Durante a semana o Cleocir, meu amigo que era mecânico Citroën veio me ajudar a desmontar o alternador, daí levei ao eletricista e, além de queimar o regulador de tensão, também consegui queimar o rotor. Apelei para um das minhas sucatas, mas ele estava roncando um pouco, resolvi trocar o rolamento, morri com uns R$ 300 nessa brincadeira toda. Pelo menos foi escola, para aprender. Prefiro pensar assim, que isso aconteceu para aprender e não fazer mais essas tontices de novo. Melhor do que ficar se lamentando depois no que deu errado.

Quando fomos ligar o carro, o bicho pegou, mas continuava um fumacê de mosquito da dengue. Deixamos uns 30 minutos ligado e mais uns cinco ou chegava um caminhão de bombeiro ou índios atraídos pelo sinal de fumaça. Alguma coisa estava errada e o carro sequer estava segurando a lenta. Foi então que mexe daqui e mexe dali, descobrimos que a danada da tbi estava montada sem o sensor de marcha lenta. Como o dono da sucata vermelha queria colocar uma programável, este carro estava com várias alterações de chicote e sensores, e por algum motivo tiraram o sensor de marcha lenta. Então corre atrás do sensor aqui na cidade, vai aqui, vai ali e nada. Aceitava até pagar mais caro só pra ter o sensor na hora, mas foi em vão, apelei novamente para o mercado livre e em uma semana veio o sensor. Engraçado que eu jurava que o sensor do meu motor antigo estava aqui em casa, procurei, procurei, procurei e nada de achar, depois de duas semana após a compra do sensor do mercado livre, minha mulher achou o tal do sensor com outros dois sensores na sala de jantar dentro do aparador, como foi parar lá? Só Deus sabe.

Agora pelo menos já tinha uma cobertura pra mexer no carro, lembra que antes estava no tempo? Aproveitei também para envelopar a sucata lá fora e não chamar tanto a atenção pra ela.

O sensor chegou, colocamos no lugar, liguei as mangueiras corretamente, ligamos o carro e ele tinha lenta agora, não ficava variando mais, mas a fumaça estava comendo solta. Bom, tinha chegado o momento de levar ele para mãos mais habilidosas.

Então escolhi levar o carro para o Bruno da Weber Motorsports aqui de Joinville/SC, juntamente com o Denner, o seu sócio, eles são uns dos maiores entendedores de PSA dos anos 90 aqui do sul, tendo no currículo alguns swaps PSA de respeito. Um deles é XU7 com coletor e comando de XU10RS, o vulgo xurros, e o outro um Peugeot 306 swap para Xurros do próprio Bruno, criando assim uma réplica do 306 GTI.

Ali eu sabia que o carro estaria em boas mãos, pois além da expertize eles tinham também o lexia, rs…..com a caixinha adaptadora para entrada do meu carro, isso porque o conector de leitor do ZX é como se fosse um plug normal de uma buzina ou farol de milha, o plug é este aqui:

plug

Dá uma olhada na oficina e veja se não é um caso extremo de tráfico de drogas fortes. Além do meu carro um Peugeot 106 Quick com swap para 1.6, o 306 “GTI” e um ZX Dakar do meu amigo Lucas.

Bom, agora o meu problema era problema da Weber. Até mandei um whats para ele dizendo isso, e eles começaram a saga da solução do chicote elétrico. Quando plugaram o lexia no carro apareceu uma porrada de erros, sensor de temperatura marcando 35 graus negativos, rs….entre outra peripécias a mais. Tinham alguns sensores queimados, outros trocados, como eu já imaginava e outros sem estar ligados.

Tendo em vista a gravidade do problema levei meu calhamaço de impressões do Service e mais outra porrada de documentos que eu havia pesquisado para oficina e eles decidiram começar revendo e marcando todo o chicote. Retiraram ele do carro e foram testando pino por pino, não somente pelo fato de eu ter refeito o chicote, pois eu fiz com todo o cuidado e carinho, rs, mas pelo fato de terem pinos iguais para funções diferentes com mata burros iguais também, o melhor seria decifrar cada um deles e depois fazer a ligação corretamente.

Enquanto o carro estava na mecânica surgiu a oportunidade de adquirir algumas peças para uns ups. Primeiro foi um cara em um grupo do whats que anunciou um coletor de admissão de Dakar por R$ 650, não tive dúvida e na hora chamei no privado e falei, é meu. Desde o principio eu estava querendo construir um carro completamente OEM, mas as danadas das ACAVS, são ruins de acertar, na verdade o bicho é tão ruim de funcionar que acho que todo motor XU10J4 do mundo, uns 80% já devem estar sem elas, rs, e além disso dos que tem só uns 10 a 15% estão funcionando, e olha lá. O que é ACAV? Explico no próximo post — sim, teremos próximo sim, porque este PC só morre se cortar a cabeça, igual o Highlander.

Voltando, eu queria deixar o carro totalmente original, e além disso, como eu sou retardado, eu guardei praticamente tudo dobrado do carro, ou seja, eu tenho mais um coletor de admissão, mais ACAVS guardadas em um cofre, oito pra ser preciso. Estão no cofre porque descobri que até na gringa elas valem ouro, e daí pensei, poxa, porque não colocar um coletor de admissão de Dakar? Daí eu deixo o carro mais esperto e guardo o original bem guardado e posso até vender o outro, ou seja, não iria gastar muita grana nessa troca. Além disso, todo mundo no grupo que tinha trocado o coletor falou dá uma diferença gritante que o carro fica com ele, daí por R$ 650? Toquei o terror e falei pro cara fazer o anúncio no Mercado Livre. E nisso o bicho me enrolou, me enrolou e daí do nada veio com um papo que o galpão aonde estavam as peças foi arrombado e roubaram o coletor.

Como é? Temos um ladrão especialista em peças PSA? Cuidado, galera! A criminalidade não tem limites, e a cara de pau do sujeito também não porque fontes seguras me informaram que este coletor foi vendido para outrem por um preço maior. Agora que se dane, joguei m**** no ventilador! Fiquei puto sim, porque já aconteceu de eu vender uma peça rara super barata por não ter o conhecimento de quanto ela valia, mas mesmo assim eu honrei meu compromisso e entreguei a bendita por uma miséria. Fiz isso porque sou cara de palavra, do fio do bigode ainda, pena nem todo mundo ser assim né?

Agora tinha virado questão de honra essa budega. Vou comprar um coletor desse. Foi então que nos grupos surgiu um anúncio de um cara vendendo um motor completo Xurros funcionando por R$ 2.000. Entrei em contato com ele e perguntei se ele me vendia só o coletor. Expliquei que vender o motor inteiro é cabreiro por causa de transporte e tal, e ele disse que um cara iria ficar com o motor inteiro. Falei pra ele: “Olha, se o cara não comprar e tu quiser me vender só o coletor estamos aí.”

Dito e feito, como tem muito barrão nesse meio, sempre tem os gargantas que só falam e falam e não fazem, o tal não foi buscar o motor, então vendo uma possibilidade de ganhar algum dinheiro o rapaz me vendeu o coletor com TBI e tudo, depois ele quis cobrar a caixa de ressonância dizendo que tinha mandado errado, mas ela estava tão destruída que ele deixou por isso mesmo. Foi honesto. Ao menos um.

Aí está o coletor maxi das galáxias para apreciação os senhores

admissão

Pronto, o coletor de admissão eu já tinha, já iria ganhar alguns pocotós, quando no nosso grupo do whats aparece um senhor querendo vender um coletor de exaustão do Citroën BX Soupapes, um outro carro nervoso da Citroën muito a frente do seu tempo.

Daí o seu Antônio anuncia e nada, ninguém quis comprar, todo mundo fica calado, depois de um mês de novo ele manda pra galera novamente, daí falei, se é pra fazer m**** vamos fazer a m**** completa. Chamei ele no privado e acertamos o valor, ele fez um descontinho que sou muito grato e me vendeu, e de quebra ainda soldou uns suportes para colocar o coletor corretamente no furo do cabeçote, visto que sem estes suportes ele teria que ser adaptado com algumas presilhas de fixação. Olha só que carinho, obrigado seu Antônio, aplausos de pé pro senhor.

Bom, agora tudo estava comprado, tudo certinho, estava garantindo um carro bem mais esperto e com certeza alguns ganhos de pocotós (vamos passar no Dino o antes e o depois), e a galera da Weber trabalhando no carro. Aquela agonia foi me tomando inteiro, porque pra quem acompanha, eu tinha comprado o carro e até o momento não tinha dado uma voltinha sequer nele, só meu pai tinha dirigido ele e ficado pelo caminho, quanto a mim? Não tinha passado só de admiração visual e umas sentadas no banco do motorista. Que agonia nervosa de ter um carro e não poder dirigir, pior ainda é estar no grupo do whats e a galera conversando a respeito do carro e tu ali só na vontade.

zx cinza

Mas no meio deste caminho tinha uma pedra, quer dizer, no meio deste caminho tinha um carro. O que aconteceu? Bom isso eu só vou contar no próximo capítulo, que espero escrever em menos de um mês. Até lá, galera!

Por André Lenz, Project Cars #417

0pcdisclaimer2