A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture Zero a 300

Sbarro Super Eight: um hot hatch com motor V8 Ferrari central-traseiro (e lanternas de Chevrolet Monza)

De uns tempos para cá surgiram alguns projetos interessantes usando motores Ferrari – um Fiat 500 com motor V8 Ferrari, hot rods com tempero italiano e até um Toyota GT86 com o V8 da 458 Italia. Mas… você já viu um hot hatch com motor Ferrari? Pois ele existe – ao menos um. É o Sbarro Super Eight, criado nos anos 80 por uma das marcas mais excêntricas que existem.

Como contamos neste post, a história da Sbarro começou em 1971 com réplicas de esportivos e carros de corrida famosos – réplicas muito bem feitas, por sinal. Mas nos anos 80 o italiano Franco Sbarro começou a projetar automóveis cada vez mais extravagantes, sendo que alguns trabalhos conceituais flertavam perigosamente com o mau-gosto.

1527785366d1427acc0436Screen-Shot-2018-05-31-at-9.48.10-AM

Não dá para dizer que o Sbarro Super Eight era um carro bonito mesmo para os padrões dos anos 80, quando tudo era mais exagerado e não existiam as técnicas atuais para moldar fibra de vidro. Ele media os mesmos 3,15 m de comprimento que o Mini original, porém era 35 cm mais largo, com 1,75 m (o Mini tinha 1,40 m de largura), mas suas proporções nem eram a pior parte – ao contrário, até que eram interessantes. Mas ele tinha uma dianteira estranha, com os faróis ocultos por uma grade do tipo persiana, e misturava linhas retas na parte superior com curvas quase noventistas nos para-choques dianteiro e traseiro. Ah, e ele usava as lanternas traseiras do Opel Ascona/Vauxhall Cavalier – Chevrolet Monza, no Brasil. E, devemos dizer, até que combinou…

Sbarro_SuperEight_arriere_Pontarlier

Agora, o que realmente nos trouxe aqui é o conjunto mecânico. Depois toda a conversa sobre uma Ferrari hatchback que tivemos por estes dias (confira aqui e aqui), agora podemos falar sobre um legítimo hatchback com motor Ferrari – um V8 de três litros e 260 cv vindo da Ferrari 308 GTB, acoplado a uma transmissão de cinco marchas também da Ferrari. A estrutura do carro era tubular, desenvolvida sob medida, e com a carroceria de fibra de vidro e seu conjunto mecânico na da convencional, o Sbarro Super Eight pesava apenas 800 kg – o peso de um Uno Mille, porém com suspensão por braços triangulares sobrepostos, 260 cv e tração traseira. Com esse entre-eixos curto ele deve ser deliciosamente incontrolável.

15277853451427acc0436d0s-l1600

 

O carro ainda trazia alguns componentes da Ferrari 308 no interior – o painel de instrumentos e a alavanca de câmbio com grelha, por exemplo. Tudo era revestido de couro marrom, e havia detalhes em madeira e veludo na cabine. O carro só levava duas pessoas, naturalmente. Atrás dos bancos ficava uma cobertura para o motor que também acomodava o estepe, e o Sbarro Super Eight ainda tinha um sistema de som premium com equalizador e toca-fitas, ar-condicionado e tapetes de veludo.

Sbarro_SuperEight_face Sbarro_SuperEight_arriere

Depois de ser apresentado no Salão de Genebra de 1984, o Sbarro Super Eight desapareceu e não se sabia onde ele estava. Então, há alguns dias, o carro foi anunciado no eBay e, de acordo com o anunciante, estava na Bélgica. Não havia informações a respeito do paradeiro do carro nos últimos 34 anos, mas aparentemente ele não estava muito longe de casa – o adesivo “CH” no para-choque traseiro é usado em automóveis registrados na Suíça (CH vem de Confederação Helvética, o nome oficial da Suíça), onde fica a sede da Sbarro.

15277853556ab689Screen-Shot-2018-05-31-at-9.48.00-AM

O histórico de lances no anúncio diz que alguém ofereceu o equivalente a US$ 50.100 (cerca de R$ 188.000), mas retirou o lance pouco depois. O anúncio saiu do ar, mas pelo menos agora sabemos que o carro existe.

34838236715_9fe862d35b_k

O mesmo não pode ser dito do irmão mais velho do Sbarro Super Eight, o Super Twelve, que foi apresentado dois anos antes, no Salão de Genebra de 1982. Foi ele o primeiro a usar a carroceria hatchback, que trazia as mesmas características básicas – a grade persiana, as enormes entrada de ar nas laterais e o vidro traseiro que funcionava como tampa do porta-malas. Mas era diferente nos detalhes, como a pintura em degradê e as lanternas traseiras que eram integradas à superfície da carroceria.

Sbarro_SuperTwelve_moteur

Repare que os motores ficavam em linha e não em V

Mais insano era seu conjunto mecânico: ele usava dois motores de seis cilindros em linha vindos da Kawasaki Z1300, uma moto estradeira que é uma das poucas com motor seis-em-linha e cardã já fabricadas. Cada um dos motores deslocava 1,3 litro e era ligado à sua própria caixa de câmbio. Cada uma das transmissões era responsável por mover uma das rodas traseiras, e a potência total era de 240 cv.

135_C

De acordo com a Sbarro, o Super Twelve era capaz de ir de zero a 100 km/h em cinco segundos, enquanto a velocidade máxima ficava pouco abaixo dos 220 km/h. Era desempenho suficiente para que a Sbarro chamasse o Super Twelve de “o menor supercarro fabricado nos anos 80” – o que, considerando sua configuração mecânica, até que faz sentido. Agora, diferentemente do que aconteceu com o Super Eight, não se sabe onde foi parar o Super Twelve. Talvez o mundo ainda não estivesse pronto para ele. Talvez nunca esteja.

Matérias relacionadas

Novos itens de segurança em carros brasileiros, Mustang GT500 terá um novo V8 supercharged, nova geração do Toyota Camry chega ao Brasil e mais!

Leonardo Contesini

A evolução do Nissan GT-R, parte 3: a “morte” do Skyline e o renascimento do Godzilla

Dalmo Hernandes

Contran fará baixa automática de carros antigos sem licenciamento, Dodge Demon usará ar-condicionado para resfriar motor, Amazon terá série sobre F1 e mais!

Leonardo Contesini
error: Direitos autorais reservados