A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture Sessão da manhã Vídeo

Se você não entende a paixão por muscle cars, assista a este vídeo

Os detratores dos muscle cars usam a suspensão macia, os motores beberrões e a suposta incapacidade de fazer curvas como argumentos. Mas acontece que estas características são exatamente parte da razão para gostar deles, e o fato de serem beberrões é só um detalhe. Mark Lundquist, personagem do mais recente vídeo do Petrolicious, pode te ajudar a entender melhor.

Eu mesmo sou um daqueles que, quando perguntam, dizem preferir carros menores, bons de curva e com motores razoavelmente potentes — hot hatches, por exemplo. Mas é impossível não fantasiar com um motor V8 de centenas de cavalos e torque de sobra debaixo do capô de um clássico americano dos anos 60 ou 70, como é o caso dos carros favoritos de Mark, um Chevrolet Malibu SS e um Chevelle SS.

O Malibu é um sonho de adolescente. Mark era jovem quando estes carros começaram a ser fabricados mas, como muita gente, não tinha condições de ter um — desejo realizado apenas décadas depois, já aposentado e com uma boa reserva financeira disponível. Foi mais ou menos há 12 anos que ele comprou seu Malibu SS 1965. Naquele ano, a versão SS podia ser equipada com um V8 327 de 250 ou 300 cv, mas o carro de Mark recebeu um crate engine de 502 pol³ (8,2 litros!) com injeção eletrônica, 508 cv e generosos 78,4 mkgf de torque — e Mark diz que ele anda mais e ainda bebe menos do que o original. Com câmbio manual e visual praticamente stock, deve ser uma experiência incrível dirigi-lo pelas retas infinitas do deserto americano.

Por outro lado, seu Chevelle SS 1972 ainda tem o mesmo V8 402 (6,6 litros) de quando deixou a fábrica. Com “apenas” 240 cv, mas muito torque, o carro é uma verdadeira barca, e mesmo equipado com a suspensão esportiva opcional, ele ainda “flutua pela estrada”, palavras do próprio Mark. Depois de seu Malibu modificado, ele disse que precisava de um carro todo original, numbers matching, e o Chevelle, que ele encontrou no eBay, era perfeito — todo original, só precisava de uma reforma no interior e na pintura.

Ele enxerga seus dois carros como yinyang — um deles com motor moderno e confiável e absurdamente potente debaixo do capô, e o outro totalmente original, com câmbio automático e o mesmo coração há décadas. Um para se divertir, viajar e curtir e o outro para voltar no tempo. E, além dos dois carros, Mark tem alguns outros na oficina que ele construiu há 15 anos para viver seu sonho, com decoração de época e lembranças de toda uma vida como entusiasta.

Se, depois de assistir a este vídeo você não pensar, pelo menos por um instante, em ter um muscle car, assista de novo.

Matérias relacionadas

Nissan GT-R de 1.000 cv e Civic de 250 cv juntos na pista? Sim – e foi uma bela corrida!

Dalmo Hernandes

O BMW M3 V10 de Phil Morrison e seu ronco de Fórmula 1: revisitando um clássico

Dalmo Hernandes

Seria o GT2 993 o melhor Porsche 911 já feito?

Dalmo Hernandes