A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Segredo

Será que desta vez o Corvette terá mesmo motor central-traseiro?

A cada geração do Corvette surgem boatos de uma possível versão de motor central-traseiro do grande esportivo americano, mas na hora do lançamento, ele sai como sempre foi: um cupê/conversível de motor dianteiro e tração traseira.

Foi assim em 1969, quando Zora Duntov, o pai do Corvette, criou o Chevrolet Engineering Research Vehicle II, ou CERV II. Embora ele não parecesse um Corvette, ele foi o embrião da terceira geração do modelo, o Stingray —  que, como todos sabemos, tem seu V8 posicionado em posição central, mas na dianteira.

genereal-motors-CERV-II-concept

Depois, essa história se repetiu nos anos 1970, quando a GM pirou de vez e fez uma série de conceitos baseados no Corvette, que incluíam uma espécie de berlinetta de motor central-traseiro e até uma versão com motor rotativo — e que chegou a ser aclamada como a nova geração do modelo pela imprensa americana, mas foi cancelado devido às crises do petróleo daquela década. No fim, o Stingray sobreviveu até o começo dos anos 1980, quando foi substituído por outro cupê com motor dianteiro.

17ubq1m2osqijjpg

Os boatos de um Corvette com motor central voltaram em 1985, quando a Chevrolet apareceu com um supercarro conceitual que trazia todas as especificações dos supercarros modernos. Era o Corvette Indy Concept, feito com carroceria de plástico reforçado com fibra de vidro, tração integral, câmera de ré, e um V8 biturbo montado em posição central-traseira com borboleta acionada eletronicamente — além, é claro, de um perfil que faria o Jaguar XJ220 morrer de inveja.

CorvetteIndy1

Mesmo sendo apenas um show-car, a imprensa americana novamente cravou que ele antecipava a geração seguinte do Corvette, a C5. De fato, ele antecipou, sim, mas não a quinta geração, e sim a sexta. Repare como a tomada de ar inferior e os faróis têm o mesmo estilo que seriam visto no Vette vinte anos mais tarde.

17ubu0433kqmcjpg

Em 1989 a Chevrolet apareceu com outro conceito insano inspirado pelo Corvette, o CERV III. Como o CERV II dos anos 1960, ele era um supercarro com carroceria de fibra de carbono e kevlar, e motor central-traseiro — um V8 de 5,7 litros preparado pela Lotus (que pertencia à GM na época) para produzir 650 cv, que eram enviados às rodas traseira por duas transmissões (não pergunte como isso funcionava).

1990_Chevrolet_Corvette_Cerv_III_concept_001_4756

Na época ele foi recebido como uma prévia do Corvette C5, que chegaria dali a seis anos. A dianteira acabou indo parar na versão final de produção, mas o motor voltou para a frente do carro. O vidro traseiro envolvente, por sua vez, inspirou a traseira do Camaro dos anos 1990. Não foi desta vez.

A última vez que vimos um Corvette de motor central-traseiro foi em 2012, quando a fabricante construiu o Corvette Daytona Prototype. Como seu nome sugere, ele era apenas um Daytona Prototype (uma espécie de versão americana dos Le Mans Prototypes), que disputou as 24 Horas de Daytona de 2012. Como o Corvette C7 já era esperado na época, chegou a se cogitar que ele fosse uma prévia da nova geração, mas os caras do Jalopnik US já haviam conseguido acesso aos detalhes do novo Vette (que resultou em um furo mundial) e ele não parecia nem um pouco com um supercarro de motor central-traseiro.

Agora, os americanos da Motor Trend divulgaram a notícia de que, segundo “múltiplas fontes” suas afirmaram que a próxima versão do Corvette ZR1 terá motor central-traseiro. Uma dessas fontes chegou a dizer que, na verdade, toda a próxima geração do esportivo usará motor central-traseiro — e não apenas o ZR1.

O que suporta as afirmações destas fontes do site americano são dois fatos bastante contundentes: o primeiro é que a Chevrolet estava trabalhando em um C7 e motor central-traseiro, mas o projeto acabou arquivado quando Bob Lutz deixou a GM e o ex-engenheiro-chefe do Corvette, Tom Wallace, se aposentou. Isso significa que o desenvolvimento de um Vette de motor centra já começou a ser feito para esta atual geração. O outro fato, é que em 2 de junho, a Chevrolet patenteou o nome Zora para uso em “veículos terrestres motorizados, ou automóveis”.

Fazendo um exercício de imaginação, isso pode significa que um futuro Corvette de motor central (ou uma versão) pode receber o nome do homem que tentou dar ao Vette um motor-central traseiro e transformá-lo em um esportivo de nível mundial, como se tornaram as Ferrari e os Lamborghini a partir dos anos 1960.

CadillacATSCOupe

Segundo a Motor Trend, há ainda um terceiro motivo para crer que o Corvette de motor central-traseiro pode se tornar finalmente uma realidade: a próxima geração do Camaro. Ela será baseada na plataforma Alpha, da GM, a mesma do Cadillac ATS, que pesa 1.560 kg. Um Camaro baseado nessa geração, com entre-eixos encurtado pode pesar ainda menos que o Cadillac. O Atual Corvette Stingray com câmbio manual pesa 1.560 kg, enquanto o Camaro SS com o pacote 1LE de pista chega a 1.765 kg. Só que o Corvette Z06 com seu compressor e auxílios aerodinâmicos, deve esbarrar nos 1.600 kg.

Agora, imagine se o Camaro Z/28 conseguisse uma redução de, digamos, 200 kg com a nova plataforma mais moderna e mais leve? Isso colocaria a relação peso / potência do muscle car muito próxima do Vette, e permitiria que a próxima geração do Camaro ocupasse o papel do Corvette. Assim, o Vette ficaria livre para se tornar um esportivo de motor central-traseiro capaz de encarar em igualdade os modelos europeus como Ferrari 458 Italia, Lamborghini Huracan e Audi R8.

Vette-Central

Ainda de acordo com a Motor Trend, há a possibilidade do Corvette crescer e formar família. Como ele tem um nome forte o bastante para sustentar uma própria sub-marca, a Chevrolet poderia fazer algo como a Land Rover está fazendo (com as famílias Range Rover e Discovery) e criar uma linha de modelos com a marca Corvette, não apenas de motor central-traseiro, mas também com a tradicional configuração de motor dianteiro central, e até híbridos e versões com tração integral.

Mas a grande questão, que arremata todas essas especulações é: por que a GM continua investindo em conceitos de motor central-traseiro do Corvette se geração após geração ele continua com o motor dianteiro? Será que desta vez eles finalmente irão transformar o Corvette em um supercarro americano de motor central-traseiro?

Matérias relacionadas

O canto do cisne: última geração da HSV Maloo deverá ser a picape mais rápida da história

Dalmo Hernandes

VAZOU! – Este é o novo Alfa Romeo Giulia, primeiro sedã de tração traseira da marca desde 1992

Gustavo Henrique Ruffo

Exclusivo: Peugeot 208 GT brasileiro, 1.6 THP de 173 cv, sai da geladeira e será lançado em breve!

Leonardo Contesini