A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Projetos Gringos

Sim, isto é uma moto com motor V12 Flathead — e você pode ter a sua!

Algo que nos fascina nas motos é que, com motores bem menores e muito mais eficientes elas conseguem desempenho igual (e não raramente superior) ao dos carros — e por uma parcela do valor. Mas tem gente que não está nem aí para tudo isso e quer mesmo uma moto com motor de carro. Melhor ainda se for o V12 Flathead do Lincoln-Zephyr da década de 1930, algo possível graças aos malucos da Olson’s V8 Flathead Motorcycles.

Como o nome explica, a empresa é especializada em fabricar motocicletas usando o motor V8 Flathead da Ford — criado pelo fundador da companhia, criado para combater o seis-em-linha da Chevrolet. Deslocando entre 3,8 e 4,9 litros e entregando perto de 80 cv, os motores com válvulas integradas ao bloco e cabeçotes planos (flat head, entendeu?) não eram exemplos de eficiência, mas estamos falando de um projeto de 90 anos (que você pode conhecer melhor neste post). Além disso, você não precisa do V8 mais avançado do mundo para fazer uma moto absurdamente descolada como esta.

Só que a moto do vídeo acima é diferente — e ainda mais absurda: em vez do V8, o motor usado é um V12 Flathead. Não erramos a conta: você está olhando os oito escapes, mas desvie o olhar um pouco mais para cima e conte os cachimbos de velas: seis de cada lado.

Embora tenha semelhanças com o motor V8, não se trata apenas de uma versão com quatro cilindros a mais: o ângulo entre as bancadas é menor, de 75°,  e a potência dá um salto: 110 cv a 3.900 rpm na versão de 4,4 litros, podendo chegar aos 130 cv com deslocamento ampliado para cinco litros.

moto-v12 (1)

 

OK, e como se coloca um enorme e antiquado V12 em uma moto? Certamente que o processo é parecido com o descrito pela Olson’s para os motores V8: primeiro, o motor recebe componentes mais modernos, garantindo maior durabilidade e eficiência. Depois, eles são colocados em um chassi feito do zero, e não adaptados em motocicletas que já existem (é bem menos burocrático colocar um veículo fora-de-série nas ruas do EUA do que aqui).

A Olson’s garante que, equipadas com freios a disco e partida elétrica, as motos são fáceis de andar — mesmo com os quase 250 kg de um motor Flathead entre as pernas do motociclista — e, com o radiador frontal, não superaquecem mesmo “nos dias mais quentes do verão”. O preço varia de acordo com as especificações do cliente, mas normalmente gira em torno de R$ 10 mil.

Agora, é impossível ver uma moto como esta e não lembrar da Tomahawk, a moto de quatro rodas que, para nós, é mais o motor V10 de 8,3 litros e 500 cv de um Dodge Viper com guidão, bancos e pneus.

Sua velocidade máxima estimada é de 480 km/h, mas ninguém jamais a pilotou acima dos 160 km/h. Pensando bem, já é loucura o suficiente. E pensar que existem nove destas coisas no mundo todo…

Matérias relacionadas

Algum maluco está transformando um Fórmula 1 da Honda em carro de track day – e nós já somos fãs dele

Dalmo Hernandes

Este australiano está fazendo “Fórmula 1 para as ruas” com motor Ferrari V12 de 740 cv

Dalmo Hernandes

Splinter, o supercarro de madeira com um V8 de sete litros e 600 cv

Dalmo Hernandes