A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

Simuladores voltam a ser obrigatórios em auto escolas, Koenigsegg One:1 quebra recorde de Spa, Fiat Toro flagrada com menos camuflagem e mais!

Este é o Zero a 300, nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo, caro car lover. Assim você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere com a gente!

 

Simuladores voltam a ser obrigatórios nas auto escolas

simulador-de-direcao-veicular

Depois de serem parcialmente suspensos em 2014, os simuladores de direção voltam a ser obrigatórios nas auto escolas. A decisão foi publicada na segunda-feira pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran) a pedido dos Detran de todo o país. As auto escolas terão até o dia 31 de dezembro para se adaptar.

Inicialmente, os simuladores serão exigidos somente para a habilitação na categoria B. Posteriormente ele será adotado também para a formação das categorias A, C, D e E. Os candidatos precisarão fazer, no mínimo, 5 horas/aula de simulação, e ao menos uma dela com simulação noturna. As aulas de simulação, logicamente, são feitas antes das aulas práticas em via pública e após as aulas teóricas. Com os simuladores, a carga horária mínima ao volante para habilitação será de 25 horas/aula.

 

Koenigsegg One:1 bate o recorde de Spa-Francorchamps por cinco segundos!

Proibida de tentar estabelecer o novo recorde em Nürburgring por conta de limites de velocidade impostos ao circuito, a Koenigsegg resolveu mostrar que seu carro é estupidamente rápido em outro circuito, o de Spa-Francorchamps, na Bélgica, onde também houve testes do McLaren P1 e do Porsche 918 Spyder, atual recordista do Inferno Verde, com 6:57.

Na pista belga, o One:1 fez o tempo de 2:33,26, no mês passado, e 2:32,14 neste mês. Esse tempo é 5 segundo melhor que o estabelecido pelo McLaren P1 e 7 s melhor que o do Porsche 918 Spyder. Só nos resta imaginar em quanto ele melhoraria o recorde do Porsche em Nürburgring. Especialmente porque a pista alemã é bem mais longa.

 

Fiat Toro é flagrada com menos camuflagem

image2

A nova picape médio-compacta da Fiat, conhecida como projeto 226 ou como Toro, possivelmente seu nome de comercialização, já roda em Pernambuco com um pouco menos de camuflagem. É o que mostram as fotos de Jorge Souza e Jorge Herbster, feitas na região metropolitana de Recife, onde elas estariam rodando em grande número.

image4

 

Com menos camuflagem, a picape confirma a solução de ter faróis diurnos mais altos, semelhantes aos faróis comuns, mas estes ficarão mais abaixo. Quem quiser ver a carroceria mais limpa pode ver nossa reportagem sobre a picape, que traz imagens do “body in white” da Toro.

image5

Outra novidade sobre o modelo é que ele terá uma versão RAM para exportação. Será chamada de Rampage. Ambos serão equipados com motor 2.0 Multijet, turbodiesel, que rende 170 cv a 3.750 rpm e tem torque de 35,7 mkgf a 1.750 rpm. É o mesmo do Renegade, com o qual a picape divide plataforma. Ela terá versões com tração dianteira e integral, possível devido à capacidade de carga da picape, que deve passar de 1 tonelada.

image7

O motor a gasolina ainda é dúvida. Pode ser o 1.8 E.torQ, de 132 cv a 5.250 rpm, mas também existe a chance de uma versão mais potente, com o 2.4 do Freemont, de 172 cv a 6.000 rpm.

 

Renault testa o novo Alpine com uma mula do Lotus Exige

Alpine-Mule-255

Se você também tem o Lotus Exige como uma referência de dirigibilidade, imagine um com bitolas mais largas a ponto de precisar de extensores de para-lamas. Se não for lá muito criativo, nem precisa imaginar. Só olhe as fotos da mula do novo Renault Alpine, que usa exatamente a carroceria do Exige. Com os extensores de para-choque que mencionamos antes.

Alpine-Mule-4

Se só isso não for suficiente para ficar salivando à espera do novo Alpine, vale lembrar que se falava em um 2.0 turbo de 250 cv, mas ele deve ter mesmo é 300 cv, segundo os relatos mais recentes, com um motor 1.8 turbo, e pesar menos 1.100 kg. O Exige pesa 1.182 e tem 350 cv, mas com um V6 3.5 com compressor. O lançamento do novo esportivo francês está previsto para o ano que vem. Vai demorar pra passar…

 

Duster Oroch roda em Curitiba sem disfarces

IMG-20150720-WA0025

Se a Fiat Toro ainda esconde o jogo, a Renault Duster Oroch não tem mais pudor nenhum em rodar por aí. Como mostram as fotos de uma Oroch circulando sem nadinha de camuflagem, feitas por um leitor nosso de Curitiba, no Paraná, que prefere não se identificar

O FlatOut! foi o primeiro meio do mundo a mostrar as formas finais da picape, no finalzinho de maio deste ano, graças à ajuda de outro de nossos leitores.

IMG-20150720-WA0026

Com dianteira igual à do utilitário, a Oroch tem 4,7 m de comprimento, 1,80 m de largura, 1,69 m de altura e possivelmente o mesmo entre-eixos do Duster, de 2,67 m, com uma caçamba de 1,35 m de comprimento, com a opção de ter um extensor, usando a tampa da caçamba, para ampliar um pouco o espaço.

IMG-20150720-WA0024

Sua carga útil será de 650 kg, o que explica o fato de ela não ter motor diesel. Com opções de motor 1.6 16v de 110 cv com gasolina e 115 cv com etanol e de um 2.0 16v de respectivamente 145 cv e 148 cv, ela terá câmbio manual de seis marchas ou automático de quatro marchas e opções de tração dianteira ou integral.

 

Lamborghini coloca Asterion na geladeira em favor do Urus

asterion-1 (1)

Em entrevista à revista britânica Autocar, o CEO da Lamborghini, Stephan Winkelmann, disse que uma versão de produção do híbrido Asterion seria “improvável” no momento. “Ele foi criado para mostrar o que poderíamos fazer se as leis nos impusessem uma autonomia elétrica de 50 km aliada a alta performance. Como as baterias eram pesadas, aproveitamos para criar um carro maior e mais espaçoso. Queríamos ver as reações de nossos clientes.”

Diante de uma recepção para lá de calorosa, a marca chegou a cogitar a produção do híbrido, mas a produção do Urus era vista como prioritária e exigiu até um acordo especial da marca com o governo italiano, para a produção do modelo em Sant’Agata Bolognese. Isso porque o SUV terá volumes muito expressivos, podendo chegar a 8.000 unidades anuais, o que quadruplicaria a produção atual da empresa.

Como a produção do SUV só começará em 2018, o Asterion pode nunca ver a produção em série, visto que ficaria provavelmente muito velho. Espere, portanto, um outro híbrido da Lamborghini. Mas espere sentado porque vai demorar.

Matérias relacionadas

De Ascari a Villeneuve: dez dos pilotos mais importantes da história da Scuderia Ferrari

Juliano Barata

Project Gold: um Porsche 911 993 Turbo S 1998 zero-quilômetro… feito 20 anos depois

Dalmo Hernandes

Este Renault 8 “Gordini” é a melhor herança que um entusiasta pode receber

Dalmo Hernandes