A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Projetos Gringos

“Storm Racing Drone” é como jogar F-Zero em primeira pessoa, só que na vida real

Mesmo aqueles que já nasceram na geração Playstation sabem que o Super Nintendo é uma plataforma lendária e cheia de clássicos, em um universo que vai muito além de Super Mario World. Castlevania IVTop GearFinal Fantasy VI… e, claro, F-Zero, de uma época em que os games de corrida de naves espaciais eram a coisa mais legal do mundo.

Muita gente vai ficar nostálgica ao assistir o vídeo acima, com a mente cheia de memórias de um futuro retrô, colorido e regado a batidas eletrônicas inspiradoras. E nós temos quase certeza de que os caras da Storm, empresa especializada em drones, se inspiraram em games como F-Zero para criar o Storm Racing Drone Type-A.

stormracingdrone (4)

Os drones estão em alta hoje, especialmente entre os video makers, por sua capacidade de ampliar as possibilidades de filmagem. Coloque uma câmera em um drone e você pode criar belas tomadas aéreas e filmar em lugares inacessíveis a alguém com uma câmera. Com um monitor no controle, você consegue até visão em primeira pessoa em tempo real.

Daí para usar drones para disputar corridas é um passo — que foi dado pela Storm com seu Racing Drone. Distribuído pela Helipal, o Storm Racing Drone parte de uma ideia simples: com uma câmera em cada drone um monitor em cada controle, disputar corridas em primeira pessoa como em um videogame, só que de verdade.

O drone usado é perfeito para isto, pois é compacto, leve (com a bateria, o peso é de 537 gramas e, sem ela, apenas 430 gramas) e relativamente fácil de controlar, além de muito resistente graças à estrutura de fibra de carbono. A Helipal garante que o Storm Racing Drone Type-A é durável e de fácil manutenção, com todos os componentes eletrônicos plug and play (sem soldas), e a única parte consumível são as hélices (as que mais se danificam em caso de colisão).

stormracingdrone (2)

Há três modos de pilotagem: sport, recomendado para quem ainda está se acostumando com drones; race, com controles mais precisos e maior velocidade; e freestyle, que permite fazer manobras aéreas como piruetas e parafusos.

O apelo maior, contudo, é mesmo o das corridas: a ideia é trazer de volta a experiência dos games de corrida futuristas com uma dose extra de realismo — e, bem, não dá para ficar mais realista do que isto. É quase como uma corrida de pods no meio da floresta, como na clássica cena de “O Retorno de Jedi”, de 1983, mas sem os e raios laser. E em primeira pessoa.

Além dos monitores individuais de sete polegadas, há também um maior, de 12 polegadas, e até um par de óculos com monitores embutidos, para uma experiência bem mais imersiva. O drone custa US$ 379 (o equivalente a R$ 990) pronto para voar, mas os monitores e óculos são  vendidos separadamente. Não é barato, mas com certeza é bem divertido!

stormracingdrone (8)

 

 

 

Matérias relacionadas

Alguém transformou um Mercedes SLK320 em um 300SL Gullwing – e ficou quase perfeito

Dalmo Hernandes

Esta coleção de carros brasileiros dos anos 70 e 80 ficou anos esquecida em uma chácara em São Paulo

Dalmo Hernandes

Sim, existem pessoas que transformam Rolls-Royce em picapes

Dalmo Hernandes