A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Sessão da manhã

Subindo as montanhas com o Alfa Romeo 155 V6 Ti da DTM — e seu ronco de F1

Poucas marcas evocam tanto a “paixão” e a “alma” dos carros quanto a Alfa Romeo — há hordas de fãs dedicados à marca (os alfistas ou, mais apropriado, alfisti), ao ronco  dos motores e às linhas sempre elegantes dos italianos não nos deixam mentir. Por isso, não há nada como vê-los acelerando como se deve — especialmente se for em uma subida de montanha nos alpes do país em forma de bota. Duvida?

O lugar se chama Verzegnis — uma pequena comuna no norte da Itália que tem apenas 908 habitantes, mas que todos os anos recebe a Subida de Montanha de Verzegnis, evento que faz parte do calendário oficial do campeonato internacional de subida de montanha da FIA (International Hillclimb Cup, ou IHCC). E como todo bom evento de subida de montanha, Verzegnis reune todo tipo de carro — protótipos, clássicos e carros de turismo como o Alfa Romeo 155 V6 TI usado no DTM.

A edição 2014 do evento aconteceu em maio, e está difícil nos perdoarmos por ter demorado tanto tempo para ver este vídeo, que traz o piloto Marco Gramenzi ao volante de seu 155 V6 Ti — conhecido no circuito de subidas de montanha na Europa.

O carro foi um dos feitos pela Alfa Corse, equipe de fábrica da Alfa Romeo na década de 90, e era feito sobre um monobloco de 155 de rua, porém modificado ao extremo para correr no campeonato de turismo alemão: reforços estruturais, gaiola de proteção, para-lamas alargados para acomodar as rodas de 18 polegadas calçadas com pneus slick e, claro, o motor V6 de 2,5 litros e até 495 cv a estratosféricos 11.800 rpm

Gira quase tanto quanto um motor de Fórmula 1 — e o ronco que ecoa pelas montanhas é bem parecido com o dos clássicos e saudosos V12, também. Veja-o em ação em um evento mais recente — a subida de Paolino Teodori, na Itália, em julho deste ano (com direito a cenas onboard!):

O Alfa Romeo 155 V6 Ti ficou com o título da DTM em 1993 nas mãos de Nicola Larini, que venceu 11 das 22 corridas da temporada — e poderia ter vencido mais caso o campeonato não fosse tão dispendioso para as equipes: depois daquele ano, Audi, BMW e Opel abandonaram a categoria. A Alfa foi a última a partir, em 1996, deixando apenas a Mercedes-Benz. Como não se tratava de uma categoria monomarca, a DTM (que àquela altura já havia mudado de nome e se tornado International Touring Car Championship (ITC) foi extinta. Uma pena.

dtm

No momento Gramenzi é o sétimo colocado no IHCC e, embora não tenha vencido nenhuma etapa — seus melhores resultados foram nos dois eventos que aconteceram na Itália até agora —, ele é um dos nossos favoritos: além de ser um excelente piloto (com histórico no WRC, inclusive, tendo competido no Rali de Monte Carlo lá em 1996), seu carro é um dos nossos bólidos favoritos de todos os tempos.

 

 

Matérias relacionadas

Será que o Civic Type R é páreo para o Audi RS3 e o BMW M3?

Dalmo Hernandes

Este 917K foi restaurado pela própria Porsche para voltar às pistas depois de quatro décadas

Dalmo Hernandes

Duelo de extremos: o Audi RS6 Avant enfrenta a Ducati 1199 Panigale. Quem vence?

Dalmo Hernandes