A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Project Cars Project Cars #321

The Best of Project Cars: relembre a história deste incrível Escort XR3 Mk 5 conversível

Estamos de volta com mais uma faixa do Project Cars Greatest Hits! Depois de relembrar dois projetos Mopar, nesta terça-feira vamos relembrar algo mais europeu: o Escort XR3 Mk5 Conversível do leitor Régis Vasconcellos.

 

O início

O Project Cars #321 começa com a paixão de Régis pelo Escort Mk5. Apesar de já ter um XR3 conversível da geração anterior, Régis sempre nutriu maior apreço pelo modelo dos anos 1990, a ponto de certo dia começar um cadastro pessoal com o máximo de informações possíveis sobre cada exemplar do esportivo brasileiro.

Foto-21-620x373

Certo dia, quando decidiu que finalmente compraria um XR3 Mk5, Régis topou com o XR3 de um conhecido que, por acaso, também tinha um XR3 Conversível Azul Europa. Proposta feita, proposta aceita e assim Régis arrematou um XR3 Mk5 1995 com rodas de 16 polegadas do Escort RS europeu.

O carro não estava 100%; o motor tinha vazamentos no cárter e em mangueiras da direção hidráulica, havia alguns problema elétricos e na suspensão. A marcha lenta estava irregular, e a pintura tinha alguns danos que precisavam ser refeitos. Por último, o ar-condicionado não estava muito eficiente, e o ar quente não funcionava.

Foto-08

Note, contudo, que são problemas simples de resolver. Difícil mesmo seria se ele não tivesse os bancos originais em perfeito estado, CD player original com equalizador, faróis e lanternas originais.

 

Os reparos

A primeira coisa a se fazer com um carro antigo é uma revisão geral no motor e no restante da mecânica. Por isso, Régis deu umas voltas com o carro e logo o mandou para a revisão geral.

O motor foi aberto para sanar os vazamentos de óleo e já foram trocadas as bronzinas e a junta do cárter com defletor Sabó. A junta da tampa de válvulas também foi trocada e a linha de combustível foi refeita com mangueiras de malha de aço. A bomba de óleo também foi substituída por uma original, e o trocador de calor passou por uma limpeza. Por último, os chicotes elétricos do cofre foram todos refeitos.

Foto-65

 

No câmbio Régis trocou as buchas do trambulador e acabou comprando um câmbio de relações mais longas para poder viajar com rotações mais baixas. O câmbio curto do XR3 faz o motor girar 3.600 rpm a 100 km/h, o que torna a viagem desconfortável e não ajuda muito na economia de combustível.

Depois foi a vez da suspensão, que recebeu novas bandejas com buchas integradas da Axios, novas bieletas Nakata, uma nova barra axial, amortecedores recalibrados, nova bucha superior da suspensão traseira.

O restante da revisão incluiu a substituição de pequenos componentes para deixar o carro 100% confiável para pegar a estrada. Foram trocados: tampa do reservatório de arrefecimento; cabo e trava do varão do capô; vareta do óleo; correia de comando/tensor e todas as demais correias; velas e cabos; filtros de ar e combustível; mangueira anti-chama; todos os fluídos do carro, inclusive o óleo da caixa; tampa do rotor da ignição; rotor de Eixo Grosso Bosch 300; tampa do óleo no cabeçote; prisioneiros da tampa de válvulas; kit de vedação dos bicos injetores; cabo do acelerador; cabo da embreagem; reservatório da direção hidráulica original alemão.

 

Som e imagem

Com a mecânica em dia, Régis deu um trato no visual do carro. Enquanto o carro estava na oficina ele ganhou novos faróis originais, com os refletores refeitos a vácuo para recuperar a capacidade de iluminação. Nessa modificação também ocorreu a troca dos piscas laranja por modelos transparentes, e as lanternas traseiras por outras mais novas, pois as originais já estavam desbotadas.

Foto-105

Depois foi a vez de um detalhe estético que Régis sempre quis e que é muito comum entre os proprietários do XR3: um spoiler dianteiro do Renault Laguna. Uma peça raríssima e dificílima de se encontrar, uma vez que era vendida apenas com o para-choques completo do carro francês. Régis já tinha a peça guardada e, após a instalação, o carro ganhou um ar mais encorpado na dianteira, ajudando no novo stance do modelo em conjunto com as rodas de 16 polegadas do Escort RS europeu.

Foto-60-620x503

Com a imagem resolvida, hora de cuidar do som. Como dito anteriormente, o carro veio com o sistema de áudio original, com CD player e o raro equalizador gráfico e ainda que haja sistemas melhores hoje em dia, Régis decidiu mantê-los para dar um ar nostálgico ao interior. O único problema era um alto-falante original chiando. Então a solução foi instalar um par de coaxiais de cinco polegadas da Alpine na dianteira e outro par de triaxiais de cinco polegadas da Bomber na traseira, tudo alimentado pelo amplificador integrado do rádio.

 

 

 

Project Life

_Foto 69

Durante a restauração do XR3, Régis soube que seria pai de um garoto. Assim que soube, pensou em buscar o garoto na maternidade com o XR3, algo que infelizmente não deu certo devido ao reparo do ar-condicionado/ar quente. O carro estava na oficina quanto o garoto veio ao mundo.

Foto-78-1-620x349

Mas tudo bem: o carro acabou ficando pronto logo após o nascimento do menino que, segundo nossos cálculos deve estar prestes a completar um ano. Como o Escort tem cintos traseiros de três pontos, ele já pode passear no banco traseiro em seu bebê-conforto, acompanhando seu pai nos encontros e viagens de clássicos.

Foto-91-1-620x374

 

 

Alguém duvida que o garoto irá acompanhar o pai nos fins de semana na estrada e na garagem?

Foto-100-1 Foto-101-1

Não deixe de reler os posts do Project Cars #321 na íntegra:

Parte 1 – A história do Escort XR3 Conversível 1995

Parte 2 –  A primeira revisão e alguns upgrades

Parte 3 – Mais upgrades e alguns detalhes

Parte final –  A conclusão e a primeira viagem

 

Matérias relacionadas

Project Cars #47: a primeira partida e os problemas com o distribuidor do V8 351 do Ford Maverick

Leonardo Contesini

Project Cars #341: comprando, consertando e vendendo carros de leilão

Leonardo Contesini

Project Cars #103: os resultados do Baja SAE Velociraptor nas pistas!

Leonardo Contesini