A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Notícias

Top Gear é apedrejado na Argentina após polêmica envolvendo Jeremy Clarkson

Como você já deve saber, os britânicos do Top Gear estão na Argentina gravando mais um de seus programas especiais de viagem. Bem, ao menos estavam até ontem, quando toda a equipe — incluindo os apresentadores — foi apedrejada por moradores da província da Terra do Fogo. O motivo? Uma polêmica acerca da placa do carro de Jeremy Clarkson. Sim, Clarkson de novo, só para variar.

A ideia inicial do programa era ir de Bariloche a Ushuaia, a cidade mais austral do planeta, dirigindo três esportivos usados. Richard Hammond, que tem tendências americanas, comprou um Mustang Mach I, James May descolou um Lotus Esprit V8 e Jeremy Clarkson comprou um Porsche 928 GT.

O problema que causou todo o incidente foi a combinação alfanumérica das placas britânicas do Porsche: H982 FKL. À primeira vista parece uma combinação aleatória, mas os argentinos — ou talvez os tablóides britânicos — enxergaram uma referência à Guerra das Malvinas, que foi travada entre Reino Unido e Argentina em 1982.

Jeremy-Clarkson

Segundo os tablóides (ou os argentinos), H982 é uma referência ao ano da guerra, enquanto FKL seria supostamente uma referência às ilhas, que em inglês são chamadas de Falkland Islands.

Diante das suposições, o produtor do programa Andy Wilman declarou aos jornais que os três carros foram comprados pelos membros da produção, e é falso afirmar que um deles foi escolhido por sua placa ou que as placas foram alteradas com a intenção de provocar os argentinos.

Isso talvez até seja verdade, mas como o próprio Jeremy Clarkson afirmou em sua última polêmica: “será inevitável que um dia alguém em algum lugar irá dizer que eu o ofendi, e isso será tomado como certeza.”

Logicamente os argentinos não gostaram nem um pouco da possibilidade de estarem recebendo um grupo de ingleses que está debochando daquele que foi o episódio mais doloroso da história recente da Argentina — a Guerra das Malvinas foi uma espécie de “Vietnã dos argentinos”, uma guerra iniciada por uma onda nacionalista da ditadura militar local, que já estava desgastada com o empobrecimento e estagnação do país, e que viu nas Malvinas um foco para estimular o orgulho nacional. O saldo final da guerra que durou dois meses foi a perda do arquipélago para os ingleses e 649 mortos do lado argentino — uma derrota bélica e política.

Como você sabe, os argentinos estão sempre prontos para protestos e manifestações e desta vez não foi diferente. Na noite de ontem (2) um grupo de veteranos da Guerra se reuniu diante do hotel onde os ingleses estavam hospedados em Ushuaia em um protesto contra a presença do programa. A equipe planejava ficar na cidade até domingo (5), mas decidiram sair imediatamente em direção ao Chile. Dizem que até mesmo um computador acabou esquecido no hotel, que foi deixado pela saída de serviço.

A situação ficou perigosamente crítica a 100 km de Ushuaia, na cidade de Tolhuin, quando um outro grupo de manifestantes começou a ofender e apedrejar o comboio da equipe de filmagem. Eles abandonaram os carros na beira da estrada e fugiram para o Chile escoltados pela polícia Argentina.

e40f1e27-f8fd-4864-bc0c-f9a08adc5d97-460x305
No destaque o Porsche com placas diferentes. Será que trocaram para disfarçar?

“Deixamos os carros, não queremos mais problemas. Se quiserem, podem colocar fogo neles”, disse um membro da equipe ao deixar o local. As licenças para gravação do programa foram revogadas pelas autoridades e as filmagens foram canceladas.

 

[ Update ] De acordo com os sites de consultas e “decodificação” da sequência das placas britânicas, a placa do Porsche 928 GT foi emitida entre o segundo semestre de 1990 e o primeiro de 1991, exatamente o ano de fabricação do carro, o que indica que a placa não foi alterada.

FlatOut 2014-10-03 às 18.03.00

galkecgjr75tle52wdse

 

[ Update 2 ] Jeremy Clarkson afirmou em seu Twitter oficial que as placas foram mera coincidência, e que assim que ela foi percebida, as placas foram trocadas por outras (NE: aquelas que aparecem destacadas na foto do Lotus apedrejado).

O apresentador também declarou que os “veteranos de guerra” eram todos homens na faixa dos vinte e poucos anos. Ele também contou que a equipe foi perseguida por uma multidão até a fronteira e que a motivação para a perseguição foi o “capital político” (algo como o anti-americanismo no Brasil).

Clarkson ainda publicou uma foto do carro no último dia de gravações no país, mostrando que ele estava sem placa na dianteira, e agradeceu aos argentinos sensatos que os ajudaram durante o incidente.

 

Matérias relacionadas

Placas do Mercosul podem ser suspensas até a metade de 2019 – entenda de uma vez por todas a controvérsia

Leonardo Contesini

Etanol pode não ter rendimento de 70% em relação à gasolina, aponta levantamento

Leonardo Contesini

Volkswagen irá deixar o WRC no final deste ano

Leonardo Contesini