Toyota Celica GT 2002: novos upgrades no motor e mais uma etapa do Time Attack com o Project Cars #114

Junior Gaboardi 9 agosto, 2018 0
Toyota Celica GT 2002: novos upgrades no motor e mais uma etapa do Time Attack com o Project Cars #114

E aí pessoal? Décimo Segundo post do PC #114! Trazendo algumas novidades e contando um pouco sobre a segunda vitória na minha categodria do Time Attack Paraguay!

Começando o post queria explicar aqui sobre o que vinha acontecendo nos últimos time attacks. Desde o terceiro e ultimo time attack do ano pasado comecei a notar que a velocidade na reta principal começou a diminuir gradualmente.

No post que eu tinha feito do segundo time attack do ano pasado eu tinha dito que o carro estava chegando a 150kmh no final da reta, ja no time attack seguinte o carro estava chegando a 145kmh o que achei que poderia ser pelo clima diferente e tal, mas no primeiro este ano, que no dia do evento a temperatura estava mais baixa que no anterior, cheguei a só 138kmh no final da reta, então comecei a achar que tinha alguma coisa errada.

Outra coisa que notei foi um pequeno consumo de oleo e tambem ao arrancar o carro em frio ele começou a soltar um pouco de fumaça azulada, o que indica que tinha alguma coisa errada com o cabeçote do motor.

Então decidimos abrir e ver o que estava acontecendo, e acabamos descubrindo que os retentores de válvulas estavam com problemas. Provavelmente por não ser de boa qualidade, não aguentou ja que tinha comprado na época de uma marca aftermarket.

Acabei decidindo trocar os retentores por outros de melhor qualidade da Monkey Wrench racing que foram testados em motores 1ZZe 2ZZ com mais de 700cv. 

Ja que ia desmontar o cabeçote, decidi tambem fazer o que não fiz quando forjei o motor que era instalar válvulas forjadas, para poder aumentar ainda mais a potencia em caso que eu queira no futuro.

Bom o resultado foi que nas primeiras voltas no dia de treino acabei chegando a 155km/h no final da reta, um aumento de 5km/h no meu recorde e 17km/h a mais que o ultimo time attack.

1 2 3

Aproveitei tambem para trocar as buchas dos cabos do cambio por buchas de metal da Speedsource o que melhorou bastante as trocas de marcha deixando ainda mais precisas e rapidas.

4

Tambem fiz um upgrade no sistema de arrefecimento trocando o radiador por um radiador de 2 linhas bem melhor que o original.

Em uso normal com o obd2 vi que quando abre a válvula termostática a temperatura baixa muito rápido e acaba nem ligando mais as ventoinhas, já em pista quando parava o carro as ventoinhas ligavam menos de 10 segundos e já paravam, com o radiador original ficavam muito tempo ligadas até baixar a temperatura.

9

Por ultimo acabei vendendo os pneus Federal que ja estavam na metade da vida e comprei pneus Hankook Ventus TD Z221 composto macio, para se ter uma ideia da diferença de composto o Federal tinha um treadwear de 140 e o Hankook de 80.

Ele gasta bem rápido mas tambem gruda bem mais e tambem senti que o Hankook passa melhor feeling da pista no volante que o Federal

Não da para negar que o Hankook é melhor, mas o custo benefício do Federal para mim ainda é insuperavel ja que o Hankook custa o dobro e gasta muito mais rápido.

10

 

Time Attack Paraguay 2018 – Terceira Etapa

11

No sabado dei algumas voltas na pista para sentir o carro e estava bem melhor que na etapa anterior, conseguimos ajustar melhor a suspensão ja que tive problemas na etapa anterior com a barra estabilizadora traseira e tambem como ja havia comentado com a velocidade final na reta.

No domingo ja na primeira saida a pista melhorei meu tempo anterior e fiz 59.268 e na segunda saida a pista fiz o meu melhor tempo do dia 58.749 o que me garantiu o primeiro lugar da categoria.

Decidi fazer uma tabela dos tempos desde o primeiro time attack até agora para ver a evolução dos tempos.

FlatOut 2018-08-07 às 16.19.44

Diferença de 5.864 segundos e 10.011 Km/h na media de velocidade.

Pódio de todas as categorías:

Livre (Só teve tres participantes nesta etapa):

  1. Miguel Larreinagabe (Mitsubishi Lancer Evolution VIII) 52.747
  2. Nestor Acosta (Subaru Impreza STI) 53.168
  3. Aldo Nuñez (Misubishi Lancer Evolution X) 1:00.091

RS:

  1. Horacio Arcondo (Subaru Impreza WRX) 54.995
  2. Mauricio Barreto (Subaru BRZ) 56.201
  3. German Borda 57.428

Super Sports:

  1. Victor Muñoz (BMW M4) 55.921
  2. Victor Chavez (Mercedes Benz E400) 57.964
  3. Jorge Quiñonez (BMW M3) 1:00.951

AWD:

  1. Abraham Rodriguez 56.933
  2. Mariano Cabrera (Subaru Impreza STI) 57.031
  3. Torky Amarilla (Subaru Impreza STI) 57.242

TS-B:

  1. Allan Aquino (Honda Civic Type R FK2) 55.692
  2. Ariel Agüero (Nissan 350z) 56.430
  3. Oscar Fernandez (BMW Z4) 58.908

TS-A:

  1. Airton Gaboardi (Toyota Celica GT) 58.749
  2. Eduardo Del Puerto (Toyota Celica TRD Sports M) 1:00.263
  3. Oscar Torales (Toyota Runx Z) 1:01.359

Motos:

  1. Jonathan Carvalho (BMW S1000 RR) 56.793
  2. Leandro Buzinaro (BMW S1000 RR) 56.923
  3. Luis Martinez 59.544

Video onboard andando junto com o Toyota Altezza RS200 da categoría RS:

 

Por Junior Gaboardi, Project Cars #114

0pcdisclaimer2