A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Achados meio perdidos Carros Antigos

Tração traseira e 143 cv: este Lada Laika com motor Fiat 2.0 está à venda!

Goste ou não, o Lada Laika é um ícone do mundo automotivo. Não por seu visual (que não é exatamente descolado) ou pelo desempenho (que é apenas suficiente), mas por sua robustez e sua origem soviética — a gente até já abordou este assunto aqui. No Brasil, em especial, o Laika tem outro atrativo: ele é um dos carros de tração traseira mais baratos que se pode comprar, e uma excelente base para um project car.

Sendo assim, você já deve ter sacado, Achado Meio Perdido de hoje é um Lada Laika. E não estamos falando de um exemplar totalmente original, mas de um Laika equipado com um motor Fiat de dois litros com comando duplo no cabeçote e preparação para render 143 cv.

lada-lada (8)

Nós já pincelamos a história do Laika aqui no FlatOut e talvez você já a conheça, mas não custa relembrar: trata-se de um projeto italiano, baseado no Fiat 124, sedã lançado em 1966 e produzido até 1966. Em 1970, a recém-formada companhia russa AutoVAZ começou a produzi-lo sob licença como VAZ-2101.

vaz_2101_zhiguli_2

Este foi só um dos vários nomes pelos quais o Laika foi chamado nos últimos 45 anos. Diversas reestilizações e atualizações mecânicas foram realizadas neste período, e foram suficientes para que o Laika só deixasse de ser produzido na Rússia em 2012, sua produção ainda segue firme no Egito.

vaz_2101_zhiguli_2

 2107

Lada em 1970, Lada em 2012

 

Ainda que tenha sido pensado para o mercado soviético, o Laika foi exportado para diversos mercados pelo mundo — incluindo o Brasil a partir de 1990. Seu projeto já era defasado naquela época, porém adequado à sua proposta: ser um carro básico, barato e robusto. Ainda que não tenha sido um best seller, por não conseguir concorrer com os importados mais modernos que desembarcaram na mesma época, o Lada Laika fez relativo sucesso no Brasil, onde foi oferecido como sedã ou perua.

Os motores de quatro cilindros e 1,5 e 1,6 litro rendiam 75 cv e 78 cv, respectivamente. O câmbio era manual de cinco marchas, e a suspensão trazia braços sobrepostos na dianteira e eixo rígido na traseira. Projeto simples e eficiente, que esteve disponível no Brasil até 1995 — tempo suficiente para que o Lada Laika seja um carro relativamente comum no Brasil.

lada-lada (3)

De qualquer forma, o Laika nunca se tornou um clássico, o que torna possível encontrar exemplares bem conservados a um preço bastante camarada. Foi o que atraiu o atual dono deste carro, Samuel Siebel, que mora em Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul.

No início de 2014, Samuel decidiu que faria um projeto de tração traseira. Além de um carro barato, ele queria algo que fosse diferente da maioria e ainda permitisse adaptações mecânicas de forma relativamente simples. Não demorou para que ele optasse pelo Lada Laika — inspirado também pela versão de rali, chamada VTFS, produzida na Lituânia entre 1978 e 1990.

O carro foi encontrado em um anúncio na Internet e comprado por Samuel em abril de 2014. Fabricado em 1992, o Lada pertencia a um senhor de idade e tinha cerca de 40.000 km rodados. De acordo com Samuel, o carro estava em plenas condições de funcionamento e ele trouxe rodando para casa.

lada1

O carro na primeira noite com seu atual proprietário

O Laika foi todo desmontado e repintado, pois havia vários riscos na lataria, porém a estrutura estava bastante íntegra. O motor escolhido foi o quatro-cilindros de 8 válvulas com comando duplo no cabeçote (projetado pelo lendário Aurelio Lampredi), vindo de um Fiat Tempra. Considerando a origem italiana do Laika original, a escolha faz sentido.

IMG_4759[1]

Com injeção eletrônica monoponto, o motor 2.0 8v do Tempra entrega originalmente 105 cv — um ganho de potência já bastante significativo em comparação à potência original do Laika. No entanto, a instalação de um sistema de injeção programável Hardware Car e do coletor de admissão dos modelos 16v, além da substituição do coletor de escape por um menos restritivo, elevaram a potência para 143 cv, aferidos em dinamômetro. Câmbio e embreagem são originais do Lada, e foram completamente revisados.

lada-lada (7)

Trata-se de um projeto simples e eficiente: um carro antigo, leve e de tração traseira, com um motor mais moderno e potente. O visual é quase 100% original, com exceção dos faróis auxiliares na dianteira — que de forma alguma denunciam que este lada tem quase o dobro da potência original e certamente é capaz de divertir quem estiver ao volante.

lada-lada (2)

O preço está um pouco além do que se costuma pagar por um Lada original, pouco rodado e bem conservado: enquanto estes estão cada vez mais próximos dos R$ 10 mil, o carro de Samuel está sendo oferecido por R$ 14 mil. O que você nos diz?

[ OLX


“Achados Meio Perdidos” é o quadro do FlatOut! na qual selecionamos e comentamos anúncios de carros interessantes ao público gearhead, como veículos antigos, preparados, exclusivos e excêntricos. Não se trata de uma reportagem aprofundada e não nos responsabilizamos pelas informações publicadas nos anúncios – todos os detalhes devem ser apurados com o anunciante.

Matérias relacionadas

Boschert B300: o 300SL Gullwing dos anos 1990 que a Mercedes não fez

Leonardo Contesini

Um dos três únicos Peugeot 205 GTI 1.9 do Brasil está à venda!

Gustavo Henrique Ruffo

Este Saab 900 Turbo é único no Brasil e pode ir para a sua garagem

Dalmo Hernandes