A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Segredo

Tudo o que sabemos sobre o BMW M3 2020 até agora

Projeção: Aksyonov Nikita

A atual geração do BMW Série 3, revelada em outubro de 2018, ainda é novidade – tanto que as vendas no Brasil só começaram há alguns dias.

Ainda não é assinante do FlatOut? Considere fazê-lo: além de nos ajudar a manter o site e o nosso canal funcionando, você terá acesso a uma série de matérias exclusivas para assinantes – como conteúdos técnicoshistórias de carros e pilotosavaliações e muito mais!

 

FLATOUTER

Membro especial, com todos os benefícios: acesso livre a todo o conteúdo do FlatOut, participação no grupo secreto no Facebook (fique próximo de nossa equipe!), descontos em nossa loja, oficinas e lojas parceiras!

A partir de

R$20,00 / mês

ASSINANTE

Plano feito na medida para quem quer acessar livremente todo o conteúdo do FlatOut, incluindo vídeos exclusivos para assinantes e FlatOuters.*

De R$14,90

por R$9,90 / mês

*Não há convite para participar do grupo secreto do FlatOut nem há descontos em nossa loja ou em parceiros.

Como é costume com grandes lançamentos, inicialmente apenas uma pequena parte das versões está disponível. No caso do Série 3 G20, até agora conhecemos as versões 320i, 330i (cujo modelo Motorsport até já aceleramos no Velo Città) e M340i. Mas o carro que realmente estamos esperando é o novo BMW M3 – que deve ser revelado em setembro de 2019, no Salão de Frankfurt.

Como estamos falando de um dos esportivos mais emblemáticos do planeta, que é considerado uma das referências no segmento desde sua concepção, na década de 1980, com o BMW M3 E30, é natural que a imprensa automotiva esteja atenta a qualquer novidade que possa surgir. A própria BMW sabe disto – e então, além do costumeiros flagras e informações vazadas, também estamos vendo a fabricante divulgar novos detalhes a conta-gotas.

Por isso, decidimos juntar tudo o que se sabe até agora sobre o novo BMW M3 em um único post – este aqui. Algumas destas informações estão espalhadas por aí, incluindo diversas edições do Zero a 300, e nos pareceu uma boa ideia reunir todas elas em um só lugar.

 

Seu visual (provavelmente) não vai ser uma revolução

Esteticamente, a geração G20 não se afastou muito em formas e proporções do Série 3 anterior. Apesar da plataforma totalmente nova, que usa mais alumínio e aço de alta resistência, por fora o que se vê é um visual evolutivo, que mudou principalmente no formato dos faróis e lanternas.

Apesar de ainda rodar com camuflagem pesada na dianteira, escondendo a grade, o contorno dos faróis e, principalmente, o desenho dos para-choques, a aposta é que o M3 ganhe um para-choque dianteiro mais agressivo, com entradas de ar maiores e aerodinâmica mais sofisticada, sem abusar de plásticos pretos para ganhar agressividade – como já acontece no atual M3 e M4, no M5 e no M2. O M3/M4 também terá para-lamas mais largos e uma postura mais robusta.

 

Ele terá um seis-em-linha biturbo de até 510 cv

A BMW provavelmente vai se esforçar muito para manter a estética do novo M3 em segredo até o último instante. Contudo, em relação à mecânica, os alemães já estão bem mais soltos.

No final de março o chefe de planejamento de produto da divisão M, Carston Pries, confirmou o que todos já suspeitavam: o novo M3 usará o motor S58, seis-em-linha biturbo de três litros, que apareceu pela primeira vez debaixo do capô do X3M e do X4M lançados em fevereiro.

O motor S58, que tem a missão de substituir o S55 usado no M3/M4 atual, é um derivado do B58 – o motor que equipa o BMW Z4 e também o Toyota Supra. Ele traz diversas modificações em relação ao B58, como cilindros de maior diâmetro e pistões com menos curso (para atingir rotações mais elevadas) e cabeçote exclusivo.

O S58 é disponibilizado em duas versões; uma com 480 cv e 61,2 kgfm, e outra com 510 cv e o mesmo torque – é assim com os SUVs, e será assim também com o M3. E, da mesma forma que ocorre com o X3M/X4M, o modelo mais potente do M3 ganhará o sobrenome Competition.

 

Câmbio manual e tração traseira? Talvez…

A princípio, a única opção de câmbio será o onipresente ZF 8HP automático de oito marchas, levando a força do motor para as quatro rodas através do mesmo sistema M xDrive usado no BMW M5. Em essência, o sistema possui um botão que, apertado, torna a tração exclusivamente traseira a qualquer momento. Este, aliás, é o mesmo sistema usado pelo X3M e pelo X4M, exceto que eles não possuem o modo RWD.

Não há confirmação, porém existem boatos a respeito de um suposto BMW M3 Pure – uma versão de entrada com tração apenas traseira, câmbio manual de seis marchas e motor um pouco menos potente (algo em torno dos 450 cv).

Manopla do M3 E30 meramente ilustrativa

Isto posto, também não são descartadas diferentes combinações de motor e transmissão – por exemplo, um M3 “Base” com motor de 480 cv, câmbio manual e tração traseira. Só não haverá um M3 Competition de 510 cv com três pedais. Supostamente, porque a BMW não possui uma caixa manual adequada para os níveis de torque e potência.

Segundo informações postadas em fóruns, o BMW M3 “Pure” será equipado com rodas staggered, de 18 polegadas na dianteira e 19 polegadas na traseira; diferencial traseiro M-Sport com blocante; e suspensão adaptativa.

 

Ele terá uma versão cupê de quatro portas

Quando a BMW transformou o Série 3 cupê em Série 4, em 2014, a intenção era simples: os carros de duas portas, roadsters e cupês teriam números pares, e os carros de quatro portas teriam números ímpares. Mas o negócio ficou confuso quando, ainda naquele ano, foi anunciado o Série 4 Gran Coupe – um “cupê de quatro portas” que pode ser descrito como a versão de quatro portas da versão de duas portas do Série 3.

Com a nova geração, pela primeira vez, haverá um M4 Gran Coupé. Ele deverá ser mostrado mais tarde, em algum momento de 2020. De acordo com a BMW, há demanda suficiente de clientes procurando a praticidade do sedã com o visual do cupê – algo que não acontece, infelizmente, quando o assunto é uma versão perua do M3. Ou seja: um M3 Touring está fora de questão.

Carston Pies já deu a letra de que, como aconteceu com o atual M4, a nova geração também ganhará os pacotes CS e CSL – ainda que isto vá demorar um pouco mais. A versão CS será mais discreta, mas o CSL terá um body kit bem mais agressivo, com uma asa traseira generosa, além de freios de carbono-cerâmica, bancos de competição e gaiola de proteção parcial como opcional.

Matérias relacionadas

VAZOU! – Este é o novo Alfa Romeo Giulia, primeiro sedã de tração traseira da marca desde 1992

Gustavo Henrique Ruffo

Tudo o que você queria saber sobre os novos motores 1.0 de três cilindros e 1.6 16v da Renault

Leonardo Contesini

Próximo Nissan GT-R poderá ter 800 cv e KERS desenvolvido na Fórmula 1

Dalmo Hernandes