FlatOut!
Image default
Lançamentos

Tudo o que sabemos sobre o novo Corvette com motor central-traseiro até agora

A gente já sabia (todo mundo já sabia), mas agora a Chevrolet assumiu, finalmente, que a próxima geração do Corvette, a C8, terá o motor montado em posição central-traseira. Será a mais radical transformação do Corvette o lançamento da segunda geração, em 1963, quando foi lançado o primeiro cupê Sting Ray. Aliás, trata-se de uma mudança ainda mais importante – o Corvette nunca deixou de ter o motor na frente.

Ainda não é assinante do FlatOut? Considere fazê-lo: além de nos ajudar a manter o site e o nosso canal funcionando, você terá acesso a uma série de matérias exclusivas para assinantes – como conteúdos técnicoshistórias de carros e pilotosavaliações e muito mais!

 

FLATOUTER

Membro especial, com todos os benefícios: acesso livre a todo o conteúdo do FlatOut, participação no grupo secreto no Facebook (fique próximo de nossa equipe!), descontos em nossa loja, oficinas e lojas parceiras!

A partir de

R$20,00 / mês

ASSINANTE

Plano feito na medida para quem quer acessar livremente todo o conteúdo do FlatOut, incluindo vídeos exclusivos para assinantes e FlatOuters.*

De R$14,90

por R$9,90 / mês

*Não há convite para participar do grupo secreto do FlatOut nem há descontos em nossa loja ou em parceiros.

Não que a Chevrolet já não tivesse brincado com esta ideia outras vezes – existiram ao menos nove protótipos do Corvette com motor central-traseiro construídos entre 1964 e 1990. No entanto, cada uma delas foi engavetada pouco tempo depois, quase sempre pelo mesmo motivo: o modelo de motor dianteiro vendia bem, e o investimento em uma versão mais radical com o motor atrás dos bancos era um risco que não se justificava.

Bem, as coisas mudaram. As gerações mais recentes do Corvette, em suas versões mais radicais como Z06 e ZR1, conquistaram os entusiastas ao oferecer desempenho próximo ao de supercarros muito mais sofisticados e exclusivos, por uma fração do valor. Entretanto, o desempenho dos superesportivos – mesmo os modelos “de entrada” de fabricantes como Ferrari, Lamborghini e McLaren – atingiu um patamar altíssimo nos últimos anos. Um patamar difícil de alcançar com o motor na frente, pois o equilíbrio dinâmico de um carro com motor central-traseiro é naturalmente superior.

Talvez por isso a Chevrolet tenha guardado (muito mal, diga-se) segredo sobre o Corvette C8 até agora, faltando três meses para a apresentação oficial – marcada para o dia 18 de julho de 2019.

Inúmeros flagras e informações vazadas circulam há pelo menos três anos e, consequentemente, diversas características do novo Corvette C8 já são conhecidas. Com a revelação da data de lançamento, decidimos compilar aqui tudo o que já se sabe sobre o primeiro ‘Vette de motor central-traseiro.

Vale lembrar que a maior parte destas informações não está confirmada de forma oficial pela Chevrolet. Ou seja, daqui a três meses, no dia 18 de julho, podemos descobrir que estávamos errados. Tudo bem, faz parte.

 

Seu design será evolutivo

Embora os protótipos ainda estejam camuflados, já é possível perceber que o design do Corvette C8 será uma evolução do que se vê na geração atual – levando em conta, obviamente, a mudança na silhueta causada pela migração do motor para a traseira.

O palpite é que o visual final Corvette C8 ecoem o C7 no formato dos faróis, capô e lanternas, apostando em linhas retas e vincos bem marcados – possivelmente de forma proposital, para que a ligação entre o antigo e o novo seja imediata e indiscutível, mesmo com as proporções radicalmente diferente. A ideia é passar a mensagem: “sim, ele mudou, mas continua sendo um Corvette” – aliás, é forte a possibilidade de que ele tenha um teto targa removível, algo que já é tradicional do modelo.

A projeção que abre este post foi feita por um membro do MidEngineCorvetteForum, e dá uma boa noção do que esperar do Corvette C8 em termos de estilo.

Existem, contudo, alguns detalhes interessantes além do visual do carro – como a cobertura do motor. Segundo registros de design descobertos pelos caras da Road and Track, a tampa será de vidro com janelas na moldura plástica para ajudar no arrefecimento do motor.

Segundo a descrição de funcionamento do componente, o design pode aumentar em até 200% a eficiência da ventilação do motor. Aliás, falando nele…

 

Ele terá pelo menos duas opções de motores V8

O Corvette C8 pode até ser radicalmente diferente de seu antecessor, mas uma coisa não vai mudar: o número de cilindros. Até onde se sabe, a versão de entrada Stingray usará uma versão atualizada e mais potente do V8 small block de 6,2 litros com comando no bloco usado pelo Corvette C7. Atualmente o motor do Stingray, batizado LT1, conta com 460 cv a 6.000 rpm, enquanto o C8 deverá ter pelo menos 500 cv, se os rumores se confirmarem. O V8, ao que tudo indica, será chamado LT2 – o que faria todo sentido.

Há relatos de que a Chevrolet também está desenvolvendo um novo V8 de 5,5 litros, com comando duplo no cabeçote, virabrequim plano e e dois turbocompressores. Na versão intermediária – especula-se que a Z06 – o motor deverá ter pelo menos 650 cv.

Se o Corvette Z06 terá 650 cv, ou seja, quase tanto quanto o atual ZR1, quanto terá o novo ZR1? Os rumores mais recentes falam em uma versão de no mínimo 850 cv do motor V8 biturbo.

 

Ele poderá ganhar uma versão híbrida de 1.000 cv com tração integral

Embora não existam evidências mais concretas, no fim de 2016 começaram a circular rumores a respeito de uma versão híbrida para o Corvette C8. Sites como o Detroit News e o Hagerty, além de Bob Lutz, sugeriram na época que a Chevrolet estava desenvolvendo uma versão com um motor elétrico (ou mais de um) movendo as rodas da frente.

Sendo assim, uma versão híbrida do Corvette C8 provavelmente teria tração nas quatro rodas e potência na casa dos 1.000 cv, usando o motor V8 biturbo de 5,5 litros. Esta possibilidade ainda está no campo da especulação, mas relatos de fontes ligadas à Chevrolet dizem que não é absurda.

Fala-se até em um nome para o Corvette híbrido: Zora, em homenagem ao mentor do Stingray, Zora Arkus-Duntov. Segundo membros do MidEngineCorvetteForum, a Chevrolet até já começou a registrar o nome “Zora” em vários países, incluindo Austrália, China, EUA, Japão e Reino Unido.

 

Talvez ele não tenha câmbio manual

Aqui, uma notícia não muito boa. Embora a Chevrolet tenha registrado a patente de uma embreagem com atuador eletrônico acionado pelo pedal, há fortes indícios de que, ao menos a princípio, o Corvette oferecerá apenas um câmbio de dupla embreagem e sete marchas, fornecido pela Tremec. A razão seria conter custos e tornar o processo de fabricação mais simples.

A caixa, de acordo com informações divulgadas pela primeira vez em 2016, deverá ser capaz de suportar até 9.000 rpm e 92 kgfm de torque. Ainda assim, torcemos para que a Chevrolet ouça seu público – pois será difícil convencê-lo de que o Corvette ainda será um verdadeiro esportivo americano sem os três pedais.

A Chevrolet provavelmente será bem econômica nos detalhes até o dia 18 de julho, data marcada para o lançamento do Corvette C8. Caso novos detalhes surjam, este post será atualizado.

Matérias relacionadas

VR6 turbo de 650 cv: este é o Golf R30 HPerformance

Dalmo Hernandes

Ele está de volta! Novo Toyota Supra é apresentado em Genebra em versão de corrida

Dalmo Hernandes

Volkswagen Golf Variant é lançado no Brasil com motor 1.4 TSI de 140 cv

Dalmo Hernandes