A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Segredo

Tudo o que você queria saber sobre os novos motores 1.0 de três cilindros e 1.6 16v da Renault

Há alguns meses a Renault confirmou que irá produzir o Kwid no Brasil e sua apresentação no Salão do Automóvel, que começa na próxima semana. O modelo compacto (que a marca chama de mini SUV) será equipado com um inédito motor 1.0 de três cilindros. Diferentemente do que se pensava até agora, o Kwid não será o modelo que estreará este novo motor. Antes de sua apresentação a Renault começará a vender o Sandero e o Logan com o motor 1.0 SCe, como será chamado.

A informação foi repassada pela Renault aos seus concessionários na metade da semana passada e, de acordo com o documento que acabou compartilhado nas redes sociais, o faturamento dos modelos equipados com o novo motor 1.0 começa nesta próxima sexta-feira (4), seis dias antes da estreia do Kwid no Salão.

10SCERenault

O novo motor 1.0 SCe irá aposentar o atual 1.0 16v D4D, que estreou em 1998 com o Clio. Além da mudança de quatro para três cilindros, o SCe 1.0 terá bloco de alumínio, comando duplo variável e substituirá a correia dentada por uma corrente na sincronização entre comando de válvulas e virabrequim.

Com o 1.0 SCe a potência subirá de 80 para 82 cv enquanto o torque passa de 9,9 para 10,5 mkgf. As mudanças são sutis no papel, mas com o comando duplo variável e um cilindro a menos elas deverão tornar o Logan e o Sandero bem diferentes na hora de acelerar. Segundo a Renault o motor agora entrega 15% mais torque a 2.500 rpm que seu antecessor, auxiliando a reduzir a aceleração de zero a 100 km/h para 13 segundos. O melhor desempenho é auxiliado também pela redução de peso do motor: a simples adoção do bloco de alumínio já reduziu 18 kg em relação ao antecessor.

Quanto ao consumo, de acordo com os dados do Programa de Etiquetagem do Inmetro, o novo motor roda 13,8 km/l no Logan e 14,2 km/l no Sandero (ambos com gasolina em ciclo urbano). Entre as medidas de redução de consumo estão o novo trem de válvulas com variação na admissão e escape, além de acionamento por tuchos hidráulicos de ação direta, com revestimento cerâmico para redução de atrito. Para reduzir perdas mecânicas, a Renault também está adotando bombas de óleo com volume variável.

SanderoVibe

Como é comum na indústria, para marcar a estreia do motor na linha Sandero/Logan, a Renault irá lançar na segunda quinzena de novembro uma versão especial do Sandero, a Vibe, que será posicionada no topo da linha 1.0 e promete uma lista de equipamentos recheada por R$ 45.100. A versão Authentique deverá custar R$ 41.800, enquanto a Expression chegará aos R$ 44.100.

Além do motor 1.0 SCe, a Renault também irá renovar sua linha de motores 1.6, substituindo os motores 1.6 8v (K7M) de Sandero e Logan, e o 1.6 16v (K4M) de Duster e Oroch pelo 1.6 SCe. Apesar de usar o mesmo nome comercial do motor 1.0, trata-se do motor H4M já oferecido na Europa, e é muito similar ao HR16 da Nissan, porém com calibragem própria e possivelmente alguns componentes internos modificados.

16SCERenault

 

Serão duas variações diferentes do mesmo motor. Ambas usam bloco de alumínio, corrente de comando em vez de correia dentada e terão variação no comando das válvulas de admissão. No Sandero e no Logan o 1.6 SCe irá produzir 118 cv a 5.500 rpm e 16 mkgf a 4.000 rpm (um ganho de 12 cv e 0,5 mkgf), e também terá sistema start-stop para ajudar a reduzir o consumo. Quem esperava o câmbio CVT da Nissan, que já trabalha com este motor no March, no Versa e no Kicks, terá uma pequena decepção: a Renault continuará a oferecer o câmbio automatizado Easy R.

Segundo a Renault, com o novo motor o Sandero poderá rodar até 12,8 km/l em percurso urbano, e o Logan 13 km/l — marcas obtidas também com a adoção de direção elétrica e alternador inteligente que recupera energia em desacelerações e frenagens. A aceleração de zero a 100 km/h de ambos também melhorou, e será cumprida em 9,8 segundos segundo os dados da fabricante.

Caso sejam mantidas as mesmas versões, os preços deverão chegar a R$ 51.190 na versão Expression Avantage, R$ 52.750 na Dynamique e R$ 58.970 na Stepway.

No Duster e na Oroch o motor terá 120 cv e 16,2 mkgf, um ganho de 5 cv e 0,3 mkgf, e não terá o sistema start-stop.  Mesmo assim as marcas de consumo melhoraram em relação ao modelo com o motor K4M, chegando aos 11,2 km/l no Duster e 11,1 km/l na Oroch — ambos em percurso urbano com gasolina. A aceleração de zero a 100 km/h é feita em 11,8 segundos pelo Duster e 12,5 pela Oroch. Os preços também serão reajustados, passando a R$ 68.400 na Oroch Expression, R$ 72.900 na Dynamique, R$ 68.170 no Duster Expression e R$ 74.260 no Duster Dynamique.

As vendas de Sandero e Logan com o novo motor 1.6 começam no final de novembro, enquanto Duster e Duster Oroch chegam somente no final de dezembro.

Matérias relacionadas

Tudo o que sabemos sobre o BMW M3 2020 até agora

Dalmo Hernandes

Downsizing nacional: veja quais motores turbo serão lançados no Brasil nos próximos anos

Gustavo Henrique Ruffo

Próximo Nissan GT-R poderá ter 800 cv e KERS desenvolvido na Fórmula 1

Dalmo Hernandes