A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Project Cars Project Cars #222

Um câmbio de cinco marchas, novas rodas e um tapa no visual do meu Maverick 1976, o Project Cars #222

Antes de continuar a saga do swap iniciada no primeiro post,vou falar de uma das coisas que mais me incomodavam no Maverick: as clássicas rodas gaúchas. Gosto delas mas não combinavam com o carro, fui atrás então das também antigas Mangels Orion. E para dar um charme especial pintei as letras dos antigos pneus Grand Prix com pincel, tinta e muita paciência!

Foto RodasFoto Letra Branca

Muitas pessoas me perguntam da cor, é o marrom Ginger metálico, que consta no catálogo de cores de 1975 da Ford. Provavelmente ele foi fabricado no fim de 75 e vendido em 76. E apesar das de não parecer nas fotos, o carro está todo podre, com muitos defeitinhos na pintura — a base ainda é original e só recebeu até hoje um banho de tinta. Para desviar os olhares dos defeitos fui atrás das faixas padrão fase I.

Foto faixas laterais

Chegou a hora de decidir a transmissão, após muita leitura surgiu uma grande dúvida: os câmbios originais de três e quatro marchas têm a última marcha com relação direta, 1:1, e induzem a utilização de relação do diferencial um pouco longa para ter uma velocidade final aceitável. Só que isso acaba prejudicando um pouco a arrancada. Meu desejo era um motor mais elástico para pegar um pouco de trânsito quando usá-lo para ir ao trabalho às sextas-feiras, e também uma viagem no final de semana. A solução foi o câmbio Tremec T5 de cinco marchas utilizado nos Mustang. Esse câmbio tem as primeiras marchas relativamente curtas e a última mais alongada, o que permite arrancadas emocionantes e viagens tranquilas e econômica$. As relações são: 1ª 3,35 | 2ª 1,99 | 3ª1,33 | 4ª 1,0 | 5ª 0,68.

Foto T5

Voltando ao motor, já tinha falado que devido ao dólar alto para importação de cabeçotes de alumínio, optei por trabalhar os originais. Guias de válvulas substituídas, sedes alargadas e trabalhada em ângulos, caroço do escape removido, dutos abertos e polidos. A taxa de compressão estática foi recalculada utilizando juntas especiais mais finas.

Foto valvulas Inox

Outra escolha que gera muita discussão foi a cor do motor, muitos acham uma heresia alterar o azul original, eu optei pelo preto para combinar com a carroceria marrom e dar destaque aos itens cromados que planejei instalar. Encomendei polias de alumínio usinado já prevendo canais para acessórios futuros. Não optei pelas correias poly-v pois na configuração com ar e direção ela exige uma bomba d’água com sentido de rotação reverso.  Outro item que merece atenção são as tampas de válvula de perfil alto para acomodar os balancins novos.

Foto polias Foto tampas

Para acabar com a fama de Ferverick esquentadinho dos Fords, no arrefecimento foi utilizado radiador de alumínio de três carreiras, termostática e bomba de alto volume,  mangueira com reforço  interno para não estrangular com o novo fluxo, e ventoinha elétrica de 16’’.

Foto radiador

O motor está em fase de montagem e com instalação agendada. Espero que até o próximo capítulo eu possa postar foto de tudo pronto e o ronco das oito xícaras. Até mais!

Por Bruno Mena, Project Cars #222

0pcdisclaimer2

Matérias relacionadas

Project Cars #86: um volante sob medida e novos instrumentos para o Fusca Itamar “Maestro”

Leonardo Contesini

Project Cars #151: hora de curtir os encontros e o antigomobilismo com meu Volkswagen SP2

Leonardo Contesini

Black Shadow: motor quase pronto e os novos freios do meu Honda Civic Si, o Project Cars #49

Leonardo Contesini