A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Project Cars Project Cars #185

Um Honda Civic Si preparado para trackdays – conheça a história do Project Cars #185

PC185-1
Foto: Renato Fagundes

Olá, turma do FlatOut! Meu nome é Marcos Possão Jr, sou engenheiro de petróleo e assim como a maioria aqui sou aficionado por carros com motores potentes — mais um gearhead.  Estou aqui para mostrar o projeto do meu Honda Civic Si que está comigo há três anos e meio e já foi concluído. Optei por uma preparação aspirada, adicionei rodas, suspensão e uns mimos JDM, tudo voltado para trackdays.

Aprendi a dirigir muito pequeno, na época morava em uma chácara em Bragança Paulista, interior de SP, onde eu tinha uns 150 metros entre a garagem e o portão, e foi nesse trajeto que peguei “experiência”. Ali fui tendo meu primeiro contato sentado no banco do motorista, meu pai deixava eu dirigir todos os carros da família, Uno, Omega, Palio, Eclipse, Blazer etc.  E essa última quando eu já estava mais velho, fiz a cabeça do meu pai pra fazer algumas modificações estéticas, já que no motor jamais ele faria. Com aquela febre Velozes e Furiosos colocamos um volante menor, marca Shutt, chão de alumínio, pintamos algumas peças do painel de vermelho, conta giros na coluna e pronto, o cockpit estava racer. Pois é… com 14-15 anos eu curtia, achava o máximo, mas hoje tenho outros olhos pra isso.

Os anos passaram e eu comecei a modificar também o Fiat Uno que era da minha mãe, coloquei insul-film, som com subwoofer na mala, retirei as calotas deixando as rodas pretas e um visual de carro melhor cuidado. Pena que isso durou pouco tempo: menos de três meses depois de ter ajeitado o carro eu sofri um acidente com ele dentro da minha própria casa. O carro ficou com as quatro rodas pra cima no meio do campinho de futebol.

Blazer 01

Conto como o meu primeiro carro o Si, mas na verdade o meu primeiro carro foi um Buggy Bugre. Meu pai havia comperado de um amigo e depois de um tempo ele resolveu vender bem baratinho e em uma oportunidade eu vendi um som que eu tinha instalado no carro da minha irmã e comprei o Bugre. A situação dele era lamentável, como não tinha dinheiro para consertá-lo, ele ficou encostado por um tempo. Depois consertei somente o necessário para passar na vistoria, e assim fui usando somente para passeios na areia conforme o vídeo abaixo:

Me sentia o DK do Drift #sqn:

Bugre 01

Já muito próximo de pegar o Civic me apareceu um EcoSport 05/06 que foi tirado 0km pelo meu pai. O carro se tornou meu no fim de 2010, quando meu pai saiu da cidade e foi morar em Balsas/MA. Acabei fazendo um negócio de pai e filho e assim que peguei o carro já comecei a pensar no projeto: suspensão rebaixada, rodas aro 18, retirada da roda da tampa do porta malas, um som básico que eu já tinha em casa e por aí vai. Mais tarde pensando no quanto eu iria gastar no projeto — quase R$ 10.000 — para continuar tendo um EcoSport, um carro que eu nunca gostei, decidi por não seguir com o projeto e continuar juntando grana para então trocar de carro.

Ecosport 01

 

Escolhendo um novo carro

No final de 2010, era estagiário e utilizava o EcoSport que havia comprado do meu pai. Com as coisas melhorando na empresa e a contratação em vista, chegou a hora de eu comprar o meu primeiro carro. Comecei a pesquisar carros pela faixa de preço, por volta dos R$ 50.000. Estava meio perdido em relação à escolha e totalmente por fora dos preços, mas queria algo que fosse mais novo e que pudesse ficar forte ou divertido. Comecei a procurar carros como o Ford Focus Ghia manual (seria um projeto turbo) ou um WRX um pouco mais antigo.

Civic 03

Por morar em Macaé/RJ, uma cidade afastada dos grandes centros, ter toda a minha família em São Paulo e precisar do carro para fazer essa viagem de 650km, foi preciso selecionar bem o tipo de carro. Por essas e outras descartei o WRX. Enquanto estava juntando grana comecei a olhar mais para o Focus, e nesse meio tempo três amigos compraram um Focus 1.6. Como gosto de algo mais exclusivo decidi esquecer o Focus e procurar novos caminhos. No Mercado Livre selecionei todos os veículos de R$ 50.000 a  R$ 60.000 e enquanto estava rolando pagina abaixo apareceu a máquina dos sonhos: o Civic Si. Antes achava que este carro era muito caro, e que o preço estaria bem mais além do meu orçamento, mas em pouco tempo ele estaria em minha garagem.

 

A Compra

Achar um Si em bom estado é uma tarefa bem difícil, e eu não sabia disso. Como havia vendido o EcoSport, estava sem carro, trabalhando e sem tempo para procurar. As coisas ficaram apertadas, pedi dois dias de folga e no total vi 10 carros. Descartei oito deles por vários motivos, e com isso me sobrou um prata e um preto. Uma pena, pois queria um vermelho. Como o prata  estava mais inteiro e com um preço mais acessível eu fechei negócio.

Esses dias foram bem longos, fiz o seguro do carro antes mesmo de comprá-lo, e em um feriado em Macaé/RJ eu parti pra São Paulo e no dia 24 de junho de 2011 eu estava dirigindo o meu próprio carro, Civic Si 08/08 novinho e quase sem detalhes. Imediatamente fui a uma concessionária Honda e comprei óleo para o motor, filtro de ar e filtro de óleo. Fiz a troca em um posto de gasolina e peguei estrada rumo a Bragança Paulista, para o sítio de um amigo onde tirei essa foto abaixo.Civic 04

 

O carro

Quando comprei o Si tinha em mente de que havia comprado um carro pronto, que não teria a necessidade de muitas modificações. Afinal, ele tem motor 2.0 com muito fôlego — principalmente após as 6.000 rpm, quando o VTEC entra em ação para gerar 192 cv a 7.800 rpm e 19,2 kgfm a 6.100rpm —, design atual e arrojado, rodas de liga leve aro 17, suspensão rígida e muito bem acertada, posição de dirigir perfeita, volante direto, bancos em concha, e câmbio manual de seis marchas. Simplesmente um sonho em quatro rodas. Não demorou muito tempo pra eu perceber que realmente havia comprado um carro pronto… para começar a preparação.

Civic 01

 

Impressões ao volante

O cockpit do Si é muito bem acertado, os bancos em formato de concha seguram o corpo nas mais severas curvas, o volante é bonito tem boa pegada e resposta bem direta. O câmbio é bem posicionado, com engates precisos e curtos. A sensação de dirigir um Si é muito boa, logo que você se senta e se ajusta, você tem a certeza de que não está em um carro de passeio.  Ao ligar quase não se escuta o barulho do motor, o ruído é bem baixo, em rotações baixas o carro se comporta como qualquer 2.0 normal, mas quando se entra na faixa do VTEC ai que o Si mostra o porquê ele veio. O ronco muda, o giro sobe rápido, o cambio é curto e logo o motor chega a 8.300 rpm, hora de engatar a próxima marcha.

Civic 06

Escalonamento perfeito, a próxima marcha já cai na faixa do VTEC, os 192cv são despejados nas rodas dianteiras aro 17 com pneus 215/45 Michelin Pilot Preceda. Uma sensação muito boa para quem senta no banco do motorista e também para os passageiros. E não é só a potência que faz desse esportivo um ícone, a suspensão é um espetáculo, amortecedores com cargas maiores deixam o carro mais duro, tirando o conforto e visando a esportividade, que é pra isso que ele veio.  Sem contar com a sopa de letrinhas que o acompanham VSA, LSD, EBD, ABS, ESP. Que trazem uma melhor segurança e melhor desempenho vale frisar o LSD (Diferencial de Deslizamento Limitado) que na época foi um grande diferencial — nos dois sentidos.

 

O Projeto

Civic 02

Com o orçamento bastante limitado decidi por um projeto básico voltado para trackday. Comecei a frequentar fóruns e grupos até montar a receita. Uma preparação aspirada básica, rodas e suspensão.  A primeira modificação foi o short shifter, uma pecinha pequena adicionada a lavanca do câmbio que faz com que o engate do cambio que já era curto ficasse mais curto ainda, no início foi difícil acostumar, as vezes tirava e colocava a marcha novamente para ter certeza de que entrou, mas depois com o tempo fui me acostumando. As demais modificações serão o assunto do próximo post. Até lá!

Por Marcos Possão, Project Cars #185

0pcdisclaimer2

Matérias relacionadas

A saga para um Top: a história dos Miura de João Armas

Leonardo Contesini

Project Cars #147: uma restauração com pegada racer clássica para meu Fusca 2.300 1961

Leonardo Contesini

Project Cars #482: a história do meu Maverick Super Luxo V8

Leonardo Contesini