A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
FlatOut Midnight!

Um Mustang Fox Body na noite de São Paulo: FlatOut Midnight, EP. 00 (Beta)

Caros amigos! Bem vindos à mais nova fase do FlatOut Brasil. Um dos pedidos mais antigos de nossos leitores era o de que nós jogássemos uma luz maior na cena dos entusiastas brasileiros: se nossa clássica seção Project Cars traz a história dos projetos detalhadas pelos próprios donos, algo novo que tivesse a nossa ótica e que fosse contado em um formato especial, com um tempero específico, era o desejo de todos. Incluindo de nós mesmos. Assim nasceu um dos nossos projetos mais ousados: o quadro de vídeos FlatOut Midnight. Aumente o som, recline sua poltrona e compartilhe com os seus amigos este novo capítulo de nossa história 🙂

Por enquanto, vamos deixar um pouco de mistério no ar – e, claro, pedir para que vocês assinem o nosso canal, pois há conteúdos que serão exclusivos de lá. Nós iremos apresentar este projeto com mais detalhes na semana que vem, quando também publicaremos o Episódio 01 do FlatOut Midnight. Como vocês viram no título do vídeo acima, este belo Mustang GT fox body foi o nosso vídeo-piloto, no qual realizamos uma série de testes. A cada episódio estamos aprendendo mais e experimentando novos temperos, ângulos e formatos de entrevista. A essência, contudo, permanece: a madrugada, a linguagem retrowave, entusiastas reais.

O carro deste episódio é da terceira geração do Mustang (1979 a 1993, a mais longeva), que ficou conhecida como fox body. Apesar de fazer sentido como apelido afetuoso, visto que suas linhas são mais delicadas e suas dimensões, compactas, na verdade Fox é o nome da plataforma na qual ele é estruturado, utilizada entre 1978 e 1993 por diversos modelos do grupo Ford, incluindo as marcas Mercury e Lincoln. Seus diferenciais, além do peso baixo e da versatilidade (poderia ser esticada em entre-eixos de até 2,75 m – o Mustang, por exemplo, tinha apenas 2,55 m), era a generosidade do espaço no cofre do motor, permitindo que o V8 continuasse a ser utilizado no ‘Stang.

mustang-clube-gt40-flatout-17

Essa mistura de carroceria compacta e leve, entre-eixos curto e oito cilindros sob o capô – e não apenas qualquer V8, mas sim o 302 Windsor, descendente direto do motor do Mustang Shelby GT350, Shelby Cobra e GT40,  – resultou num dos street racers mais impiedosos daquela época até hoje. O Mustang fox body é um dos favoritos dos corredores de rua e das drag strips. Sua potência declarada na época era de 205 hp, respirando um pouco mais livre no fluxo dos cabeçotes e com comando um pouco mais apimentado que as configurações do começo da década de 80, naquela época muito à sombra da crise do petróleo.

mustang-clube-gt40-flatout-97

Hoje em dia, contudo, o céu é o limite em termos de preparação de um V8 Windsor. Cabeçotes com dutos e câmaras de combustão extremamente sofisticados e feitos inteiramente por usinagem CNC, comandos de válvulas roletados, kits stroker (virabrequim de maior curso, acompanhado de bielas redimensionadas e pistões com posição do pino deslocada de acordo) e sistemas de ignição e injeção programáveis resultaram na possibilidade de se extrair quase 500 cv com aspiração natural num carro de rua com preparação pesada. Com sobrealimentação não é raro se aproximar ou entrar de vez na casa dos quatro dígitos.

mustang-clube-gt40-flatout-100

Espero que vocês tenham curtido este primeiro episódio do FlatOut Midnight. O carro do Anderson está decorado com nossos adesivos FlatOut Type Mediumclique aqui para comprar e ajude o FlatOut a continuar acelerando em novos projetos, com cada vez mais qualidade!

mustang-clube-gt40-flatout-98

Matérias relacionadas

315 km/h, 455 cv nas rodas: o Calibra Turbo de Thiago é um monstro de top speed

Juliano Barata

Lancer Evolution 7 preparado para track days acelera na noite de SP | FlatOut Midnight

Juliano Barata

Márcio Murta e seu Gol AP 1.9 Turbo para Track Days na noite de SP: FlatOut Midnight, EP.02!

Juliano Barata
error: Direitos autorais reservados