A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

Um V8 biturbo para o novo Corvette C8, um V8 supercharged para o Shelby GT500, a potência do Porsche Mission E e mais!

Este é o Zero a 300, nossa rica mistura das principais notícias automotivas (ou não) do Brasil e de todo o mundo, caro car lover. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere com a gente!

 

Motores dos novos Shelby GT500 e Corvette C8 “vazam” na internet

DR-95ngV4AAQxKR

Lembra que há algumas semanas vimos as primeiras imagens de CAD do novo Corvette de motor central-traseiro? Pois agora uma nova imagem revela o motor por outro ângulo, e ele mostra que o V8 terá dois turbos para auxiliar a produção de potência.

A imagem foi publicada inicialmente no Twitter, e além dos turbos também mostra que o motor terá comando duplo no cabeçote. Segundo as informações já divulgadas anteriormente pela imprensa americana, ele deverá ser batizado LT7, e será usado na versão de topo do supercarro. A potência deverá ficar na casa dos 700 cv — um degrau acima do Ford GT.

 

E por falar em Ford e GT, o motor do novo Shelby GT500 também deu as caras na forma de arquivo CAD. A imagem foi publicada no fórum Mustang6G, e mostra um motor V8 com uma polia de compressor, e o logotipo Shelby na tampa da admissão/compressor. Considerando que o motor 5.2 Voodoo tem originalmente 533 cv, uma versão sobrealimentada por compressor poderia facilmente chegar aos 700 cv.

A Ford ainda não vala sobre o modelo, mas é possível que ele seja apresentado no Salão de Detroit em janeiro. Já sobre o Corvette, a produção deve começar também em janeiro, mas de 2019. Ele irá conviver com a atual geração, C7, até 2021.

 

Comercial brasileiro do Mustang é gravado na Serra do Rio do Rastro

17eb2090-72b4-492a-902d-336c700421b1-960x700_c

Fotos: Rainwald Muller

Ainda falando de Mustang, a Ford já está preparando o primeiro comercial brasileiro do muscle/pony car e, para isso, escolheu a bela Serra do Rio do Rastro como locação para apresentar o modelo ao Brasil.

648508b6-74bd-4e72-b137-16212bbeeb98

A notícia é do portal Sul in Foco, que esteve no local e fez as fotos que ilustram esta nota. As gravações aconteceram nesta última quarta-feira (27), e não precisaram fechar a rodovia integralmente, bastando o controle do tráfego pela polícia rodoviária. Agradecemos o leitor Lucas Daufenbach pela dica.

 

Fiat encerra produção do Doblò

doblo_adventure_2017_2

Aos poucos e silenciosamente a Fiat vai renovando sua linha de produtos. Depois de matar Palio, Punto e Palio Weekend, outro modelo que deixou de ser produzido foi o Doblò. A apuração é do camarada Marlos Ney Vidal do Autos Segredos.

O Fiat Doblò foi lançado em 2002, e passou por uma única reestilização ao longo de 15 anos de mercado, enquanto na Europa o modelo já chegou à sua segunda geração. Embora a Fiat ainda diga que o modelo continua em produção, ele é oferecido somente na versão 2017 no site oficial, e teve apenas 692 unidades produzidas em dezembro.

Com o fim do Doblò, a linha Fiat agora é formada por Mobi, Uno, Argo, Grand Siena, Fiorino, Strada, 500 e Toro. O sedã Cronos chega em breve para completar a renovação da marca, e irá deslocar o Grand Siena a um patamar inferior, para servir como sedã de entrada da marca.

A picape Strada, por sua vez, agora passa a ser o modelo mais antigo da linha Fiat e também do mercado brasileiro, completando 20 anos em 2018. A Fiat, contudo, já prepara uma renovação para a picape, que deverá adotar a plataforma da Fiorino.

 

Porsche Mission E terá três níveis de potência

MissionE

Depois dos primeiros flagras do Porsche Mission E, começam a surgir as primeiras informações sobre o futuro modelo elétrico da marca. Segundo apuração da revista Automobile, que conseguiu um test-drive em um protótipo do Mission-E, o modelo terá três níveis de potência e será menor que o Panamera.

Uma das metas da Porsche é tornar o carro prático para o uso no dia-a-dia. Apesar das dimensões menores que a do Panamera, o espaço interno será praticamente o mesmo, algo possibilitado pelo conjunto compacto dos motores elétricos, que dispensam cardãs, e acessórios, e têm uma modularidade maior que um motor a combustão.

A outra, é torná-lo um Porsche legítimo no quesito desempenho, algo que é um pouco mais complexo, uma vez que baterias, além de seu peso superior aos fluidos dos carros convencionais, também necessitam de arrefecimento para que não haja perda de desempenho — como acontece com o modo Ludicrous da Tesla, que é limitado devido ao risco de superaquecimento das baterias.

E como em praticamente todos os seus modelos, a Porsche irá oferecer três níveis de potência no Mission E: a versão de entrada terá 300kW/408 cv, a intermediária terá 400kW/544 cv e a versão de topo terá 500kW/680 cv — todas com tração nas quatro rodas. Como a maioria dos carros elétricos com tração integral, a propulsão é feita por um motor elétrico dianteiro e outro na traseira.

porsche-e-mission-tech

Com esse arranjo, a aceleração de zero a 100 km/h fica na casa dos três segundos, mas a velocidade máxima será limitada a 250 km/h. A Porsche também está visando uma autonomia de 480 km, e a possibilidade de recarga de 80% da capacidade das baterias em 20 minutos ou menos.

O Mission E será posicionado entre o Cayenne e o Panamera na tabela de preços da marca, o que significa que ele custará entre US$ 75.000 e US$ 80.000 nos EUA. Caso seja oferecido no Brasil (o que nos parece pouco provável) seu preço ficaria na faixa dos R$ 640.000, que é o ponto médio entre os R$ 580.000 do Cayenne de entrada e os R$ 700.000 do Panamera de entrada.

 

Indy quer mais um fabricante para concorrer com Honda e Chevrolet

indy-manufacturers

Enquanto ao menos dois novos fabricantes se mostraram interessados em ingressar na F1, juntando-se a Honda, Renault, Ferrari e Mercedes, na Indy a luta de motores fica somente entre a Honda e a Chevrolet. Mas isso deve mudar em breve.

Em entrevista ao site Autosport, o organizador da categoria, Jay Frye, disse que a entrada de um outro fabricante é um de seus principais objetivos: “Isso não significa que já temos algum garantido, mas há alguns nomes que eu diria estarem negociando e interessados”, disse.

Segundo Frye, um dos obstáculos para atrair novos fabricantes para a Indy foi a necessidade de desenvolvimento dos kit aerodinâmicos, mas agora que eles serão padronizados as marcas voltaram a demonstrar interesse. Quais? Isso ele não falou, mas podemos imaginar que talvez a Toyota ou mesmo a Ford ou a Fiat-Chrysler possam se interessar, considerando a relevância das marcas no mercado americano.

 

 

O quarto episódio de The Grand Tour

Nesta sexta-feira o Amazon Prime lançou o quarto episódio da segunda temporada de The Grand Tour que, pela primeira vez, não seguiu um roteiro pré-definido, nem teve incidentes.

Desta vez, Clarkson, Hammond e May vão à Croácia com um Audi TT RS, um Ariel Nomad e um… caminhão de bombeiros. Nos quadros individuais Richard Hammond volta ao Eboladrome com um McLaren 720S, enquanto os cantores clássicos Michael Ball e Alfie Boe aceleram o Jaguar F-Type para descobrir quem é o cantor clássico mais rápido do mundo.

Matérias relacionadas

Takumi Fujiwara da vida real: este é o cara que inspirou Initial D

Dalmo Hernandes

VW lança Golf somente com motores turbo e sem câmbio manual, McLaren 600LT flagrado em testes, Audi R8 terá versão V6 e mais!

Leonardo Contesini

Uma série de TV sobre Ayrton Senna, VW planeja volta da Kombi, Volvo V40 fica mais barato no Brasil, Ferrari de Schumacher à venda e mais!

Leonardo Contesini