A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Achados meio perdidos Zero a 300

Um VW Logus Wolfsburg Edition modificado, bem conservado e honesto à venda

O Volkswagen Logus é um dos filhos bastardos da Autolatina, a joint venture que uniu VW e Ford no Brasil por nove anos, entre 1987 e 1996. As duas fabricantes compartilhavam recursos financeiros, linhas de produção, tecnologia e plataformas – o Logus, por exemplo, foi projetado pela Volkswagen e usava o já consagrado motor AP, mas a plataforma era a mesma do Escort e ele era fabricado pela Ford.

Lançado em fevereiro de 1993, o VW Logus era o sucessor do Apollo – versão rebatizada do Ford Verona que foi um dos maiores fracassos da Volks no Brasil, tanto que foi vendido apenas por dois anos. E o nosso Achado meio Perdido de hoje é um Logus em sua versão mais interessante: um Wolfsburg Edition, com motor 2.0 8v de 116 cv. O carro está anunciado no GT40, claro, nós vamos conhecê-lo melhor agora.

img_331640_4_57b65cd9-e1db-4d66-b57e-6d8176c1f92e

A plataforma do Escort Mk4 fez do Logus um carro espaçoso e com dinâmica correta (para um tração-dianteira, ao menos), enquanto os designers da Volkswagen do Brasil fizeram um trabalho caprichado ao criar um sedã de duas portas com a identidade visual da marca na época. A razão para a escolha era evitar concorrência com o Ford Verona, oferecido apenas com quatro portas. Da mesma forma o VW Pointer, versão hatchback do Logus, era oferecido apenas com quatro portas, com o Escort hatch sendo a versão de duas portas. No fim, Escort, Verona, Logus e Pointer eram carros que se complementavam.

img_331652_4_57b65cd9-e1db-4d66-b57e-6d8176c1f92e

O VW Logus foi fabricado por quatro anos, entre 1993 e 1996, e teve 125.332 unidades vendidas. Apenas a versão mais simples, CL, usava o motor Ford CHT 1.6, com comando no bloco, carburador e 74 cv – todas as outras usavam o motor AP da Volkswagen – o Logus CLi tinha motor AP 1.6 de 77 cv; as versões GL e GLS tinham motor 1.8 carburado de 86 cv; o Logus GLi tinha motor 1.8 com injeção monoponto e 89 cv; e o Logus GLSi usava o motor 2.0 com injeção multiponto e 116 cv que também seria visto no Wolfsburg.

img_331664_4_57b65cd9-e1db-4d66-b57e-6d8176c1f92e

Lançado em 1995, o Logus Wolfsburg Edition deveria ser uma edição limitada, mas a VW decidiu transformá-la em uma versão fixa por sua boa recepção. Além de para-choques na cor do carro, o carro tinha emblemas especiais, interior revestido com veludo, volante de três raios, rodas de 14 polegadas, faróis de longo alcance integrados aos principais, direção hidráulica e ar-condicionado. Segundo um teste realizado pela revista Quatro Rodas em 1995, o Logus Wolfsburg Edition era capaz de chegar aos 194 km/h, o que fez dele o VW mais rápido produzido no Brasil na época – ainda que, meses depois, ele fosse perder o título para o Gol GTi 16v.

img_331672_4_57b65cd9-e1db-4d66-b57e-6d8176c1f92eimg_331676_4_57b65cd9-e1db-4d66-b57e-6d8176c1f92e

O carro anunciado no GT40 pertence a Fernando Biazon, de Itatinga, no interior de São Paulo. Ele conta que comprou o carro há cerca de sete anos e que usa o mesmo diariamente desde então – razão pela qual a mecânica é sempre mantida em ordem e recentemente foi revisada.

O carro passou por algumas modificações – a suspensão recebeu amortecedores retrabalhados, mais baixa, e as rodas são um jogo de Volcano Euro de 17 polegadas, com pneus Pirelli P Zero 195/40 novos. Além disso, recebeu abafador Luzian de aço inox e freios da disco do Pointer GTI na traseira.

img_331660_4_57b65cd9-e1db-4d66-b57e-6d8176c1f92e

Também foi instalada uma strut bar no cofre

Dito isto, itens como faróis, lanternas, emblemas e acabamentos originais e estão muito bem conservados. O mesmo vale para o interior, que não apresenta sinais profundos de desgaste e está com todos detalhes de acabamento presentes e com bom aspecto. A pintura já foi refeita, mas o dono garante que o serviço foi muito bem feito.

img_331644_4_57b65cd9-e1db-4d66-b57e-6d8176c1f92e

O próprio Fernando ressalta que este não é um carro de coleção, e nem está impecável – é um carro de 22 anos usado com frequência. Há detalhes a resolver, como o ar-condicionado que não funciona, e talvez o próximo dono prefira as rodas e a suspensão originais. Por outro lado, o valor pedido pelo carro dificilmente compraria outro Logus, Wolfsburg ou não, em estado de conservação comparável. Sendo assim, quem é fã do Logus e busca um carro bem conservado, confiável e com preço acessível talvez encontre o que procura neste exemplar.

Se você ficou interessado, basta clicar aqui para acessar o anúncio e pegar os contatos do proprietário.

inbanner-fim-post


“Achados Meio Perdidos” é o quadro do FlatOut! no qual selecionamos e comentamos anúncios do GT40.com.br de carros interessantes ao público gearhead, como veículos antigos, preparados, exclusivos e excêntricos. Não se trata de publieditorial. Não nos responsabilizamos pelas informações publicadas nos anúncios nem pelas negociações decorrentes – todos os detalhes devem ser apurados atenciosamente com o anunciante!

Matérias relacionadas

Quais as diferenças entre gasolina comum, aditivada, premium e de alta octanagem?

Leonardo Contesini

O macacão de Ayrton Senna à venda, Fiat Strada vira “Dodge” RAM, Focus RS terá tração integral e mais!

Leonardo Contesini

Um raro Dodge Charger de primeira geração à venda no Brasil

Dalmo Hernandes