A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

Uma equipe brasileira em Le Mans, Ford apresenta New Fiesta Sport, Jeremy Clarkson em nova polêmica e mais!

Este é o Zero a 300, nossa rica mistura das principais notícias automotivas (ou não) do Brasil e de todo o mundo, caro car lover. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere com a gente!

 

Equipe brasileira planeja disputar Le Mans em 2016

Em mais de 90 anos de 24 Horas de Le Mans, vários brasileiros disputaram a prova, como Christian Heins, Nelson Piquet e José Carlos Pace, sem mencionar Lucas Di Grassi que ainda disputa o WEC pela Audi. Mas até hoje nenhum carro ou equipe brasileiros disputaram a prova, e isso pode estar perto de mudar.

Patrick Bryan Choate é um brasileiro de 33 anos que fundou uma empresa de componentes de fibra de carbono que em pouco tempo passou a fornecer componentes para a indústria aeronáutica. Em 2010 ele vendeu sua empresa a um grupo de investidores e passou a se dedicar ao sonho de construir um carro de fibra de carbono. Só que no meio do caminho ele teve um AVC, mas também acabou conhecendo Nicolas Perrin, um ex-engenheiro da F1 e Le Mans que também queria construir um novo carro de corridas. Ele é o fundador da Perrinn.com, uma plataforma online open-source que forneceu o projeto de um carro LMP1 para qualquer pessoa baixar e produzir gratuitamente.

Diante disso, Choate percebeu que era isto o que ele precisava para começar a transformar seu sonho em realidade: ele quer ser a primeira pessoa a colocar um carro open source e o primeiro carro brasileiro nas 24 Horas de Le Mans. Como ele pretende fazer isso? Com Crowdfunding. O projeto foi lançado neste último fim de semana no Indiegogo, e tem planos que vão de US$ 25 a US$ 2.000.000. Todo o dinheiro arrecadado será usado para construir o carro, a estrutura da equipe e a contratação de pilotos.

Primeiro eles precisam construir e homologar o carro. O custo de produção, obviamente não é barato: são US$ 1,3 milhão para o chassi, US$ 80.000 para homologar, US$ 600.000 para a construção do câmbio e do KERS, outros US$ 200.000 somente para o motor de testes e mais US$ 50.000 para testar o carro em 2015. Depois, para a corrida, caso tudo dê certo, eles precisam de US$ 500.000 em peças sobressalentes, US$ 160.000 da inscrição, US$ 1,5 milhão para o motor de corrida, US$ 350.000 em pneus de corrida e mis US$ 700.000 para as sete provas do WEC. No total são US$ 5.790.000, que eles esperam levantar com a colaboração de empresas e fãs de todo o mundo. Para ver mais sobre o projeto, confira á página do Brazil Le Mans Team no IndieGogo.

 

Ford apresenta New Fiesta Sport no Salão do automóvel

newfiestasport-1-7

Desde o começo do ano muita gente esperava que a Ford trouxesse seu Fiesta ST para rivalizar com os foguetinhos de bolso à venda no Brasil atualmente, como o Citroën DS3, o Mini Cooper e até o VW Fusca (que é um pouco maior, mas segue a mesma filosofia). Mas aparentemente a Ford decidiu não trazer o esportivo e, em vez disso, lançou uma versão “esportivada” como fora seu antecessor, o Fiesta Sport de 2000.

NewFiestaSport-9-620x431

O New Fiesta Sport é baseado na versão SE do modelo, porém traz como diferencial uma caixa de direção retrabalhada para ser mais esportiva, assim como o acerto da suspensão. Por dentro ele recebe bancos com acabamento exclusivo de couro preto com costuras vermelhas. O visual é completado por rodas pretas de 16 polegadas (que têm o mesmo desenho da versão Titanium) e um kit aerodinâmico com saias laterais e nos para-choques e um spoiler traseiro.

newfiestasport-2-7

O pacote de equipamentos inclui controle de estabilidade e tração e sistema multimídia Sync. Os preços ainda não foram divulgados, mas estima-se que ele irá custar entre R$ 50.000 e R$ 55.000 quando chegar às lojas, no começo de 2015.

 

Jeremy Clarkson se mete em nova polêmica

Poucas semanas depois de fugir da Argentina devido à paranoia hermana a respeito de uma placa de registro, Jeremy Clarkson já se meteu em uma nova polêmica. Desta vez, o britânico publicou no Twitter que estava dirigindo com uma lata de cerveja no porta-copos.

Neste último fim-de-semana, Clarkson publicou um tweet com uma foto e o comentário “Um dos melhores passeios da minha vida. Estrada de cascalho. M6. Sol se pondo. iPod tocando Blind Faith. Cerveja no porta-copos”. Como se vê, ele não disse que estava bebendo a cerveja, mas isso já foi suficiente para que a patrulha da moral e bons costumes da internet transformasse o tweet em mais um episódio polêmico. O porta-voz da campanha contra álcool e direção da Inglaterra disse ao site Huffington Post que ele é “um total idiota irresponsável” e que “sabe que qualquer publicidade é boa publicidade e por isso está simplesmente tentando voltar aos jornais novamente”.

 

Koenigsegg Agera One:1 “quebrou” o computador de homologação na Alemanha

Koenigsegg-One-to-1-0

O Koenigsegg Agera One:1 “bugou” o computador usado para homologação de carros na Alemanha devido à sua potência extrema, de 1.360 cv. O sistema de registro de veículos da Alemanha lista a potência dos carros em quilowatts (que é a unidade adotada pelo Sistema Internacional de medidas), porém só aceita valores de três dígitos.

Como 1.360 cv, o One:1 tem exatamente 1.000 kW, uma potência que os desenvolvedores do sistema aparentemente não imaginavam que fosse possível em um carro de rua. Ele só pôde ser homologado depois que os técnicos do governo refizeram a programação do sistema para aceitar a medida exata. Em qualquer lugar do mundo ele provavelmente teria sido registrado com 999 kW  (1.358 cv, só 2 cv a menos), mas você sabe como são os alemães…

 

Mercedes compra parte da MV Agusta

17590674991760568795

Depois da Audi comprar a Ducati, agora é a vez de outra fabricante alemã de carros comprar outra fabricante italiana de motos. A Mercedes-AMG adquiriu 25% das ações da MV Agusta. Inicialmente era apenas um boato, mas ele foi confirmado neste último fim de semana. Os valores da transação não foram divulgados, mas estima-se que houve um acordo de 30 milhões de euros entre as duas partes. A parceria entre Mercedes-AMG e MV Agusta tem planos de longo prazo e incluirá cooperação em marketing e vendas.

 

Matérias relacionadas

Os lucros da VW com a Porsche, os importados mais vendidos, um resumo do GP da Austrália e mais!

Leonardo Contesini

Um Polo GT com motor 2.0, um Volvo 850 com 27.000 km rodados, um Puma VW acessível e mais no GT40

Dalmo Hernandes

O ataque dos clones: os fora de série nacionais “inspirados” em modelos famosos – parte 1

Dalmo Hernandes