A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture Sessão da manhã

Uma volta ao mundo ao volante de vários carros de corrida

É triste, mas a realidade da maioria dos entusiastas raramente permite que se passe muito tempo onde eles mais gostariam de estar: ao volante de um carro de competição ou, ao menos, na beira da pista, vendo toda a ação de perto. Felizmente existe a internet, que permite que qualquer pessoa sinta pelo menos o gostinho de praticamente qualquer coisa, em qualquer lugar do mundo.

Que tal pegar carona em vários carros de corrida neste vídeo de 18 minutos feito por Gunnar Jeannette, piloto americano que corre na American Le Mans Series de endurance e já competiu oito vezes nas 24 Horas de Le Mans? Ele também corre em eventos históricos com carros antigos — especialmente Porsche, e por uma boa razão.

Kevin-Jeannette-Gunnar-Racing-917-2 (1)

Seu pai, Kevin Jeannette, é um dos mais conhecidos restauradores de Porsche. Em sua oficina em Palm Beach, na Flórida, diversos Porsche de competição importantes já ganharam nova vida, sendo restaurados e colocados para competir em corridas de clássicos.

JagerRSR-090612-02

 

Estamos falando de coisas do nível do Porsche 917 — eles já restauraram quatro ou cinco deles —, Porsche 962, um 911 RSR Jägemeister 1975 e até um 911 de rali que competiu no East-African Safari em 1970.

De verdade, quantas pessoas no mundo têm a chance de restaurar um autêntico Porsche 917?

Sendo assim, dá para entender por que a maioria dos onboards deste compilado de 18 minutos traz Gunnar ao volante de um Porsche — como o primeiro, que logo de cara, traz um Porsche 911 Turbo RSR carinhosamente apelidado de “Outlaw” (alguém mais lembra do Magnus Walker toda vez que ouve esta palavra?) em Laguna Seca, seguido do Porsche 917 em suas versões cupê e spider, em circuitos como Sebring, Daytona e Paul Ricard. São dezoito minutos que valerão a pena:

[vimeo id=”115130179″ width=”620″ height=”350″]

Há também algumas Ferrari 458 Italia — o carro com o qual ele compete nas provas de endurance — e até um Fiat 600 Abarth, com direito a uma câmera posicionada no cofre onde fica o quatro-cilindros em linha que deve deslocar entre 0,7 e um litro.

É nestas horas que a gente agradece por estar no início do século 21, depois da popularização da internet e dos serviços de streaming. Há quatro ou cinco décadas, quando boa parte destes carros ainda competia, era preciso esperar os vídeos oficiais dos fabricantes ou colocar as mãos em uma rara fita VHS — nada de acompanhar live bloggings, transmissões pela internet e os comentários de seus amigos no Facebook, como fazemos com as 24 Horas de Le Mans, por exemplo.

E ninguém imaginava que, um dia, seria só sentar na frente do computador para ter acesso a registros visuais de quase todos os eventos automobilísticos já realizados. Agora, você está aí, pegando carona com um piloto profissional em uma segunda-feira de manhã, ou quase isto.

Matérias relacionadas

Jagston Martin: como o primeiro F-Type da história virou um Aston que virou um Jaguar

Leonardo Contesini

Do Yenko ao Iroc-Z: estes são os 24 Camaro mais importantes da história do muscle car

Leonardo Contesini

Como a Ford colocou um Mustang no topo do Empire State Building (de novo)

Dalmo Hernandes