A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Achados meio perdidos GT40 Classificados Zero a 300

Vai um muscle car “alternativo”? Este Oldsmobile Cutlass S 1969 com motor V8 350 está à venda no Brasil

É provável que a gente já tenha dito isto antes, mas lá vai: todo entusiasta já quis ou vai querer um muscle car alguma vez na vida. Para alguns, é um sonho distante. Para outros, é uma possibilidade real. Não importa de qual grupo você faz parte: se você curte muscle cars, vai querer da uma olhada neste Oldsmobile Cutlass 1969 anunciado no GT40.

Dizemos isto porque o Oldsmobile Cutlass não é um carro emblemático como o Chevrolet Camaro ou mesmo o Pontiac Firebird. Fundada em 1897 por Ransom Eli Olds, a Oldsmobile produziu 635 carros em 1901, tornando-se a primeira fabricante de automóveis a gasolina em larga escala do planeta. Em 1908 a Oldsmobile foi comprada pela General Motors e permaneceu sob o guarda-chuva da gigante de Detroit até seu fechamento, em 2004. Detalhe: quando encerrou as atividades, a Olds era, de fato, a mais antiga fabricante de automóveis americana ainda em atividade.

WhatsApp Image 2018-02-16 at 13.59.27 (1)

Por décadas a Oldsmobile foi uma das fabricantes mais inovadoras dos Estados Unidos, introduzindo nos anos 40 um dos primeiros carros com câmbio totalmente automático produzidos em série – a transmissão Hydramatic de quatro marchas do Oldsmobile 1940. Nos anos 50, com seus motores Rocket, os Olds estavam entre os carros mais rápidos do mercado, e em 1962 o Oldsmobile Jetfire tornou-se o segundo carro na história da indústria automotiva mundial a ser equipado com um motor turbinado – um V8 de 3,5 litros e 218 cv, sobrealimentado por uma turbina Garrett operando a 0,35 bar. Em 1966, a Oldsmobile lançou no mercado o primeiro carro de tração dianteira produzido nos Estados Unidos, o Toronado.

WhatsApp Image 2018-02-16 at 13.59.13

O Cutlass é um dos modelos mais conhecidos da fabricante americana. Ele teve sua primeira geração lançada em 1961, e era na verdade a versão topo de linha do compacto F-85. A geração seguinte, de 1964, já era um pouco maior em resposta ao Ford Fairlane, lançado em 1962. A terceira geração, de 1968, manteve o tamanho mais avantajado e ganhou um estilo mais arrojado, com perfil “garrafa de Coca-Cola” na versão cupê e uma versão com motor V8 de 400 pol³ (6,6 litros) e 294 cv batizada Oldsmobile 4-4-2, porque tinha carburador de corpo quádruplo, câmbio manual de quatro marchas e duas saídas de escape.

WhatsApp Image 2018-02-16 at 13.59.31

Já o Cutlass S, nosso Achado Meio Perdido de hoje, era a versão intermediária, e em 1969 era equipada com um motor V8 small block de 350 pol³ (5,7 litros) chamado Rocket, que usava um projeto diferente do motor small block da Chevrolet, embora também tivesse comando no bloco. Com 325 cv declarados (há quem diga que era uma estimativa conservadora), o motor podia ser acoplado a uma caixa manual de quatro marchas ou à transmissão automática de três marchas Turbo-Hydramatic 350, introduzida naquele ano. É o caso do exemplar anunciado no GT40.

WhatsApp Image 2018-02-16 at 13.59.32

O carro pertence a João Henrique Leme, de Assis/SP, e ele conta que pegou o carro como parte do pagamento por seu antigo Dodge Charger 1970 (modelo norte-americano). Segundo seu dono, o Cutlass é um verdadeiro sobrevivente, com pintura, mecânica e interior totalmente originais de fábrica. Naturalmente a carroceria apresenta algumas marcas do tempo, assim como o interior, mas este tipo de coisa até ajuda a dar caráter ao carro.

WhatsApp Image 2018-02-16 at 13.59.38 WhatsApp Image 2018-02-16 at 13.59.39 WhatsApp Image 2018-02-16 at 13.59.37

O cupê apresenta algumas modificações estéticas: o capô teve as faixas do Oldsmobile 4-4-2 pintadas no capô, e o vinil azul original no teto deu lugar a um vinil preto. Do lado de dentro a única coisa não-original é o volante com aro de madeira, mas João diz que o volante original está guardado com ele. Os bancos e o forro do teto precisam de alguma atenção, mas no geral o ambiente interno do carro está bem preservado. O mesmo também pode ser dito do lado de fora, que traz todos os acabamentos no lugar e com boa aparência. O proprietário garante que o carro não apresenta nenhum ponto de corrosão, e que o assoalho está em perfeito estado. Para ele, a opção por realizar uma restauração estética fica a critério do próximo dono.

WhatsApp Image 2018-02-16 at 13.59.34

João também diz que o Cutlass será entregue com toda a mecânica e elétrica em ordem – revisado, acertado, com pneus novos e totalmente funcional. E acrescenta que, ao que tudo indica, o carro está no Brasil há décadas, pois há um adesivo antigo de uma oficina e auto-elétrica de Petrópolis, no Rio de Janeiro.

Se você curtiu a ideia de ter um legítimo cupê americano da era de ouro dos muscle cars, basta clicar aqui para acessar o anúncio e pegar os contatos do proprietário.

inbanner-fim-post


“Achados Meio Perdidos” é o quadro do FlatOut! no qual selecionamos e comentamos anúncios do GT40.com.br de carros interessantes ao público gearhead, como veículos antigos, preparados, exclusivos e excêntricos. Não se trata de publieditorial. Não nos responsabilizamos pelas informações publicadas nos anúncios nem pelas negociações decorrentes – todos os detalhes devem ser apurados atenciosamente com o anunciante!

Matérias relacionadas

Por que os carros norte-americanos têm piscas vermelhos?

Leonardo Contesini

Nissan 370Z Nismo, de Leone Andreta: FlatOut Midnight de lado!

Juliano Barata

Esta Ford F-100 com apenas 40.000 km rodados está novíssima – e pode ser sua

Dalmo Hernandes