A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture

“Vipra”: este Toyota Supra com um V10 turbinado de Dodge Viper é a selvageria sobre rodas

Não é incomum ver aqui no FlatOut projetos que envolvam colocar o motor 2JZ do Toyota Supra em outros carros. Só nas últimas semanas tivemos um Ford Mustang e um Datsun 280Z equipados com o seis-em-linha do clássico japonês. Hoje, contudo, trazemos o oposto: um Toyota Supra que traz no cofre o motor de outro carro. Qual? Que tal um V10 de oito litros vindo de um Dodge Viper GTS 1998? Como se o swap por si já não fosse insano, o maluco responsável pela obra ainda instalou um turbo com intercooler, que eleva a potência para “cerca de 1.100 cv”!

Não faltam qualidades ao motor original do Supra. Como era comum entre os esportivos japonese na década de 90 (este carro foi fabricado em 1994), o motor 2JZ foi feito para entregar muito mais potência (afinal, estamos falando de um motor de três litros com dois turbos!), sendo robusto o bastante para suportar até o dobro de seus 280 cv de fábrica sem necessidade de trocar componentes internos. Não demorou para que os entusiastas descobrissem e passassem a prepará-lo com turbos maiores, mais deslocamento e componentes reforçados para passar dos 1.000 cv, e não faltam bons exemplos disso espalhados pela internet.

Uma rápida busca por “1000 HP Supra” no YouTube traz à tona preciosidades como este Supra, que teve o deslocamento do 2JZ ampliado para 3,4 litros

Bill, o proprietário do Vipra, já teve mais de dez carros equipados com o 2JZ e sabe bem como extrair todo o potencial do seis-em-linha com comando duplo variável no cabeçote, tanto que um de seus projetos favoritos é um Lexus IS300 vermelho com o motor do Supra — o pacato sedã foi preparado por sua equipe, a SpeerWarHouse, e virou um monstro com 740 cv nas rodas de trás).

Para o Supra, que ficou pronto em março último, ele decidiu fugir do óbvio e, bem, ele tinha todo o direito de fazer isso sem se incomodar com os haters. Até porque o resultado ficou impressionante.

vipra-1 (1) vipra-1 (10) vipra-1 (8)

Aparentemente a SpeedWarHouse aproveitou quase todo o monobloco do Supra — as fotos abaixo mostram o carro com aspecto um pouco mais original, e dá para ver que o lado de dentro recebeu uma gaiola de proteção integral. Sem o para-choque, a dianteira revela um arranjo tubular para acomodar o radiador, o intercooler e o turbo, um Precision de 118 mm que foi estrategicamente posicionado em uma das entradas de ar do para-choque. Ficaríamos meio preocupados com a possibilidade de a turbina sugar detritos no asfalto, mas o efeito visual é interessante.

vipra-1 (5)vipra-1 (4) vipra-1 (6)

A SWH também não entra em detalhes a respeito da preparação mecânica — apenas que, com todos os componentes internos do motor originais e o turbocompressor operando a 0,4 bar, a potência é de cerca de 700 cv. Aumentando a pressão do turbo para 0,8 bar, Bill acredita que o número possa saltar para perto dos 1.100 cv.

Não que seja necessária tanta potência para fazer um belo estrago… como bem demonstrado nos 15 segundos abaixo, com o carro no dinamômetro.

O vídeo abaixo também mostra alguns detalhes interessantes do “Vipra”, como o interior — com gaiola de proteção, bancos de competição e a alavanca para trocas sequenciais instalada na transmissão Tremec TR6060, a mesma utilizada no atual Dodge Viper —, e as clássicas rodas Rays Volk TE37 na cor dourada, que sempre caem bem em esportivos japoneses.

É uma pena que a SpeedWarHouse seja um tanto econômica nos detalhes da preparação, mas a verdade é que até gostamos de ver o V10 do Viper em um carro menor. Distribuição de peso comprometida à parte (afinal, são pouco mais de 210 kg do 2JZ contra mais de 280 kg do motor do Viper), também adoraríamos ver como o bicho se comporta na pista!

Matérias relacionadas

São Paulo, 1988: lembre como eram as ruas e o trânsito da cidade (e do Brasil) há três décadas

Leonardo Contesini

Vans, picapes e tratores: os recordes mais estranhos de Nürburgring

Dalmo Hernandes

Ferrari F1 Clienti: quando os fãs (milionários) da marca vão para a pista em seus próprios carros de Fórmula 1 da Scuderia

Dalmo Hernandes
error: Direitos autorais reservados