A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture Zero a 300

Você já pensou em ter um Fusca elétrico (ou uma Vespa elétrica)?

A ideia de um futuro sem combustão para os carros soa como a pior das distopias para os entusiastas. Tão importante quanto a sensação de deslocamento ou a velocidade, é o ronco do motor, que completa o envolvimento do homem com a máquina.

Por outro lado, a evolução da tecnologia elétrica a tornou mais acessível aos mecânicos de garagem, de forma que a conversão de um carro ou moto convencional em veículo elétrico pode ser um projeto divertido até mesmo para os mais puristas — ainda mais se o carro em questão tiver seu charme próprio e não for especialmente raro.

Veja o Fusca, por exemplo, a conversão do velho besouro em veículo elétrico está se tornando cada vez mais popular, ao ponto de hoje encontrarmos kits prontos para a troca do boxer a gasolina por um motor de indução.

A americana EV West Conversions, por exemplo, oferece kits compostos pelo motor AC, sistema de regeneração de energia em frenagens, adaptador para o câmbio, sistema de arrefecimento, instrumentos de controle do motor elétrico, controlador de aceleração e conversor para recarga por US$ 7.000 para todos os modelos “a ar” da Volkswagen — do Fusca à Kombi, do Karmann-Ghia ao VW-Porsche 914.

Sim, isso é pouco mais de 21 mil reais em conversão direta, mas você terá um carro com visual descolado, cerca de 17 mkgf de torque instantaneamente, autonomia variando entre 120 e 160 km, e poderá acelerar até os 160 km/h.

Os entusiastas desprovidos de talento com ferramentas e componentes mecânicos/elétricos, podem optar por uma conversão pronta. Também existem várias empresas especializadas na transformação, dentre as quais a californiana Ezelectric.

 

O kit é semelhante ao da EV West — com 16,7 mkgf de torque instantâneo, potência equivalente a cerca de 100 cv, velocidade máxima de 160 km/h e autonomia entre 120 e 160 km — porém a conversão inclui uma restauração completa. Isso significa também que é preciso desembolsar um pouco mais de grana: US$ 49.000, equivalentes a R$ 153.000. Por outro lado, a vida útil do pacote de baterias é de 160.000 km, variando entre 10 e 15 anos, e você estará livre de trocas de óleo, correias, filtros, fluidos e afins.

Dá até pra curtir Laguna Seca

As motos, por sua natureza leve e compacta, ficam ainda melhores que os carros com kits de conversão para propulsão elétrica. No Brasil, um kit simples para moto elétrica custa menos de R$ 6.000, porém não é adequado para motos muito pesadas. Lá fora os kits custam entre US$ 2.000 e US$ 5.000, mas você também pode adquirir uma moto pronta.

Electric-Scooter-5-1480x987

Os customizadores da Shangai Customs (formada por americanos que vivem na China) decidiu fazer alguns upgrades na Veipai, que é uma cópia chinesa não-licenciada da Vespa italiana. Provavelmente aproveitando que a China é atualmente o maior mercado de veículos elétricos do planeta, eles removeram o motor quatro-tempos original da Veipai e em seu lugar instalaram um motor elétrico de 2.000 watts no cubo da roda com um controlador de 200 ampéres e oito baterias de 12 volts instaladas em série para produzir 96 volts.

A motoneta também ganha um sidecar, e por isso é equipada com um sistema de reversão do motor. Com o sistema elétrico a Veipai pode chegar aos 90 km/h e roda até 60 km antes de precisar de uma tomada. Como nos Volkswagens da Zelectric, todas as lâmpadas da Veipai são substituídas por LEDs, que consomem menos energia e ajudam as baterias a durar mais tempo.

 

Matérias relacionadas

Novo BMW M5 terá mais de 600 cv, Audi terá mais um esportivo de motor central-traseiro, os melhores interiores de 2016 e mais!

Leonardo Contesini

Honda Civic Si com 220 cv, Dart Swinger americano, XR3 1986 e mais novidades no GT40!

Leonardo Contesini

É assim o ronco de um Opel Kadett com motor de 10.000 rpm subindo a montanha

Dalmo Hernandes