Volkswagen já tem prazo para o fim dos motores a combustão, Hilux Gazoo Racing é picape média mais cara do Brasil,  Porsche quer chegar a 6:30 em Nürburgring, Polo TSI ganha versão PCD e mais!

Leonardo Contesini 5 dezembro, 2018 0
Volkswagen já tem prazo para o fim dos motores a combustão, Hilux Gazoo Racing é picape média mais cara do Brasil,  Porsche quer chegar a 6:30 em Nürburgring, Polo TSI ganha versão PCD e mais!

Este é o Zero a 300, nossa rica mistura das principais notícias automotivas (ou não) do Brasil e de todo o mundo, caro car lover. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere com a gente!

Ainda não é assinante do FlatOut? Considere fazê-lo: além de nos ajudar a manter o site e o nosso canal funcionando, você terá acesso a uma série de matérias exclusivas para assinantes – como conteúdos técnicoshistórias de carros e pilotosavaliações e muito mais!

ASSINE

Os assinantes possuem acesso livre para todo o conteúdo do FlatOut. incluindo matérias especiais, de R$ 14,90 por apenas R$ 9,90 por mês.

CROWDFUNDER

Membro especial, com descontos em nossa loja e em parceiros. Participe do nosso grupo secreto no Facebook e fique próximo à equipe do FlatOut

 

Volkswagen diz que próxima geração de motores a combustão será a última

idbuzz_vwcamper_01

A Volkswagen anunciou nesta última terça-feira (4) que sua próxima geração de motores a combustão interna também será a última. A decisão faz parte da transição da marca para os automóveis movidos a bateria, um processo que foi acelerado após o escândalo Dieselgate, de 2015.

De acordo com Michael Jost, chefe de estratégia da Volkswagen, a marca já está trabalhando na última geração de veículos que “não são neutros em CO2”, e ela será lançada em 2026 e continuará evoluindo até 2050. Depois disso estes motores serão mantidos em produção somente em regiões onde a infra-estrutura de recarga for insuficiente. Se você pensou no Brasil, fique tranquilo, você não está sozinho.

A notícia parece chocante à primeira vista, mas considerando que todas as fabricantes já estão fazendo a transição para os elétricos, é até natural que a Volkswagen tome uma decisão mais ousada, uma vez que tem uma imagem a recuperar depois de fraudar os testes de emissões.

Toyota Hilux GR-S chega ao mercado por R$ 207.000

hilux_grs-2-1241x827

Apresentada no Salão do Automóvel, a versão “esportiva” da Toyota Hilux, a GR-S,  finalmente chega ao mercado e tem seu preço divulgado. O modelo será oferecido em série limitada de 420 unidades e vendida a R$ 207.000 — o que a torna a picape média mais cara do mercado.

Como vimos na ocasião de seu lançamento, o modelo foi inspirado na Hilux da Gazoo Racing que disputou o Rali Dakar e recebeu novas molas e amortecedores, além dos adesivos com as cores da Gazoo. O motor é o 2.8 turbo de 177 cv a 3.400 rpm e 45,9 kgfm entre 1.600 rpm e 2.400 rpm, combinado ao câmbio automático de seis marchas. A tração é 4×4 com reduzida e bloqueio do diferencial.

flatout-salao-automovel-2018-gazoo-38

Além dos adesivos e da suspensão, a Hilux GR-S tem detalhes em preto brilhante na dianteira, grade com textura de fibra de carbono, rodas de liga leve de 18 polegadas e pneus “All Terrain”.

 

Porsche pretende chegar aos 6:30 em Nürburgring com sucessor do 918

porsche_911_gt2_rs_clubsport_9_02b900760ab90832-e1543505503362-620x349

Depois de garantir o recorde absoluto de Nürburgring por mais alguns anos e emplacar três modelos de rua e uma versão preparada do 911 na tabela dos carros “sub-7” no circuito, a Porsche agora declarou que seu próximo hipercarro  deverá completar a volta no Nordschleife na casa dos 6:30. É o que diz o chefe da divisão de automobilismo da Porsche, Frank-Steffen Walliser, em entrevista ao Top Gear.

De acordo com Walliser, o novo supercarro terá como meta os 6:30: “Não importa o motor. Ele precisa completar a volta em 6:30. Esta é a meta”, disse o engenheiro. Na entrevista, ele deu algumas pistas de como poderá ser este próximo carro: “Conseguir 6:30 com um carro elétrico é um grande desafio. Com um híbrido é pouco provável. Com um carro totalmente elétrico é ainda mais”, disse, aparentemente referindo-se ao peso do carro como fator crítico para obter esse tempo. Nos parece claro, portanto, que o sucessor do 918 deverá ser um hipercarro com motor turbo, baixo peso e aerodinâmica avançada, como os outros hipercarros que estão chegando ao mercado nesta virada de década.

Aliás, quem sabe ele já não faça parte dos planos da Porsche para o automobilismo? A marca estava interessada em retornar à F1 como fornecedora de motores, mas com a mudança do regulamento do WEC pode ser interessante para a Porsche voltar ao campeonato com um hipercarro.

 

Ferrari revela novo modelo Special Project

Ferrari_SP3JC_news_N5qgMbDu.jpg

A Ferrari revelou na semana passada mais um modelo criado pelo programa Special Project, dedicado às encomendas personalizadas de clientes da marca, a SP3JC.

Ferrari_SP3JC_2

Baseada na F12tdf, ela foi inspirada nas spiders da Ferrari dos anos 1950 e 1960, todas equipadas com um V12 sob o longo capô, e sua pintura remete aos grafismos da a Pop Art da mesma época, combinando as cores Azzurro Met (azul) e Giallo Modena (amarelo) sobre o Bianco Italia (branco).

Ferrari_SP3JC_3

O motor, que é exposto por duas janelas no capô, não foi modificado e mantém os 780 cv da tdf. O interior também manteve a arquitetura da F12tdf, porém recebeu couro azul com detalhe em branco nos bancos e na parte inferior do painel, com costuras brancas no restante da cabine.

Carro autônomo da Uber estava com frenagem automática desativada

uber_tempe

Passados quase 10 meses desde o acidente que resultou na morte de uma pedestre atropelada por um carro autônomo da Uber, as investigações sobre o episódio continuam e agora trazem uma nova informação: o carro estava com o sistema de frenagem de emergência desativado.

Segundo o portal Business Insider, no começo deste ano a Uber enviou aos funcionários um documento no qual pedia aos engenheiros envolvidos no projeto autônomo que “limitassem o número de experiências ruins a no máximo uma por viagem”. Dois dias depois da emissão do documento, a Uber enviou um email informando que havia desligado o sistema responsável pela tomada de decisões — caso da frenagem de emergência. Segundo a empresa, essa medida foi tomada para aumentar a segurança (evitando frenagens bruscas), e também para melhorar a experiência dos passageiros. Assim, a decisão em situações críticas ficaria a cargo dos motoristas.

Por essa razão, o carro detectou a necessidade de frear para evitar o atropelamento, porém o sistema que ativa os freios estava desabilitado e também não estava configurado para alertar o motorista sobre o risco.

Ainda de acordo com o Business Insider, o acidente poderia ter sido evitado se houvesse mais comunicação entre as equipes de direção autônoma do Uber. Segundo um dos engenheiros envolvidos, as equipes não sabem o que as outras estão fazendo, não havendo troca de informações nem esclarecimentos sobre o que está ativado ou defeituoso. Em outras palavras: a Uber está usando o trânsito real como um laboratório para uma tecnologia que ainda não tem condições de ser aplicada no mundo real.

 

Spin, Polo e Virtus ganham versões para PCD

novo-polo-1-4

O público de PCD ganhou mais três opções de carros nesta semana. A Volkswagen e a Chevrolet lançaram versões voltadas às pessoas com deficiência do Polo, Virtus e Spin.

Nos modelos da Volkswagen, as versões foram batizadas “Sense” e custam R$ 70.000, porém com configurações diferentes no Polo e no Virtus. No hatchback o motor é o 1.0 TSI de 128 cv combinado ao câmbio automático de seis marchas e o pacote de equipamentos inclui ar-condicionado, controle de tração e estabilidade, retrovisores elétricos, sistema multimídia, sensor de distância e direção com assistência elétrica. As rodas, contudo, são de aço com calotas e os retrovisores não têm repetidores de setas.

virtus-msi-at

Já o sedã usa o motor 1.6 MSI de 120 cv, também combinado ao câmbio automático de seis marchas. O pacote de equipamentos é o mesmo do Polo. Os dois modelos não têm opcionais e as cores disponíveis são preto, branco e vermelho.

spin

O modelo da Chevrolet, por sua vez, também sai por R$ 70.000, e pode chegar aos R$ 54.300 com a isenção máxima de impostos. Ela não tem nome específico, mas é derivada da versão LT, sendo equipada com ar-condicionado, piloto automático, retrovisores elétricos, sistema multimídia, rodas de liga leve, direção com assistência elétrica e rack de teto. O motor é o mesmo 1.8 flex combinado ao câmbio automático de seis marchas das versões de topo.

 

Aston Martin divulga primeiras imagens do Vanquish Zagato Shooting Brake

bccf67b8-aston-martin-vanquish-zagato-shooting-brake-2

Você deve lembrar que, em outubro, a Aston Martin anunciou que faria uma versão shooting brake do Vanquish Zagato. Na ocasião, a marca mostrou apenas renderizações e disse que o modelo ainda levaria algum tempo até chegar à produção. Agora, a Aston divulgou as primeiras imagens reais do carro.

79a58ed6-aston-martin-vanquish-zagato-shooting-brake-1

São apenas três fotos — uma de perfil, uma de cima e uma do interior —, mas elas são suficientes para explicar por que gostamos tanto das shooting brakes, da Zagato e da Aston. O teto tem uma seção de vidro em V que ilumina o interior e dá um ar mais refinado e elegante ao design do carro, enquanto o interior é todo adornado por couro com o característico Z da Zagato e fibra de carbono.

4725c75f-aston-martin-vanquish-zagato-shooting-brake-3

Serão feitos apenas 99 unidades da Shooting Brake, todas baseadas no Vanquish S, o que significa que elas serão impulsionadas pelo V12 aspirado de 5,9 litros e 600 cv. A Aston ainda não revelou quando o carro será lançado oficialmente, nem quando a produção da série limitada irá iniciar. Como não estamos entre os 99 felizardos, só nos cabe esperar.