A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Mercado e Indústria Notícias

Volkswagen paralisa produção de up!, Voyage e Gol, e dá férias coletivas a 4.200 funcionários

Foto: Volkswagen/Divulgação

A Volkswagen anunciou nesta segunda-feira (30) o início das férias coletivas de nada menos que 4.200 funcionários de sua fábrica de Taubaté/SP, onde são produzidos o up!, Voyage e Gol. O número representa quase 85% do total de funcionários da unidade, que tem capacidade para produzir 1.400 carros por dia, mas vinha desde o começo de fevereiro operando com quase metade de sua capacidade.

O motivo, segundo o sindicato regional, é a “adequação do volume de produção à demanda”. Segundo a Associação das Fabricantes, a Anfavea, as vendas de automóveis no primeiro bimestre deste ano recuaram 23,1% em relação a janeiro e fevereiro de 2014. O resultado dessa demanda reduzida é o aumento dos estoques e, consequentemente, a redução da produção.

De acordo com a agência Reuters, a Volkswagen investiu R$ 1,2 bilhão para a produção do up! na unidade de Taubaté/SP e pretendia fabricar 1.400 unidades do compacto por dia, mas a queda nas vendas e a baixa procura levaram a fábrica a reduzir a produção para 850 unidades diárias no começo de fevereiro.

VWTTE1

Foto: Volkswagen/Divulgação

No total a fábrica da Volkswagen em Taubaté emprega 5.000 funcionários, mas 800 foram afastados por layoff para a interrupção temporária do terceiro turno, que operava com um excedente de 400 operários. Com as férias coletivas para os outros 4.200, a produção do Voyage, do up! e do Gol está temporariamente paralisada.

Ainda segundo o sindicato regional, as férias coletivas fazem parte da readequação da fábrica ao fim do terceiro turno, que irá realocar os funcionários em layoff do terceiro turmo após o término da suspensão do contrato.

A queda nas vendas não afeta somente a Volkswagen, logicamente. A Anfavea divulgou que fábricas e concessionárias tinham 329.000 veículos em estoque no final de fevereiro, o que é suficiente para 50 dias de vendas — um estoque considerado normal tem volume suficiente para 25 a 30 dias, ou pouco mais que a metade do atual. Por isso, além da Volkswagen, Mercedes-Benz, GM e Ford também adotaram a suspensão temporária de contratos para adequar a produção à queda de vendas.

Segundo a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), as vendas de veículos leves devem cair 6,91% em 2015.

Matérias relacionadas

Saleen S7: o supercarro americano voltará a ser fabricado com mais de 1.000 cv

Leonardo Contesini

Que sedã médio cobra menos por pouco peso e mais potência?

Gustavo Henrique Ruffo

Petrobras estuda baixar o preço da gasolina ainda neste ano

Leonardo Contesini