A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Lançamentos Zero a 300

Volkswagen T-Cross é lançado com motor 1.4 turbo de 150 cv exclusivo para o Brasil

Após meses dos costumeiros “flagras”, teasers e informações despejadas a conta-gotas, a Volkswagen acaba de lançar, enfim, o T-Cross – primeiro SUV compacto da marca alemã. A apresentação de lançamento aconteceu simultaneamente na em Amsterdã, na Holanda; Xangai, na China; em São Paulo, no Brasil. E, quem diria, a versão brasileira é maior, mais potente e melhor equipada que a versão europeia.

Ainda não é assinante do FlatOut? Considere fazê-lo: além de nos ajudar a manter o site e o nosso canal funcionando, você terá acesso a uma série de matérias exclusivas para assinantes – como conteúdos técnicoshistórias de carros e pilotosavaliações e muito mais!

 

FLATOUTER

Membro especial, com todos os benefícios: acesso livre a todo o conteúdo do FlatOut, participação no grupo secreto no Facebook (fique próximo de nossa equipe!), descontos em nossa loja, oficinas e lojas parceiras!

A partir de

R$20,00 / mês

ASSINANTE

Plano feito na medida para quem quer acessar livremente todo o conteúdo do FlatOut, incluindo vídeos exclusivos para assinantes e FlatOuters.*

De R$14,90

por R$9,90 / mês

*Não há convite para participar do grupo secreto do FlatOut nem há descontos em nossa loja ou em parceiros.

Podemos dizer que a Volkswagen chegou um pouco tarde ao segmento que, atualmente, é o mais movimentado do mercado. Com o T-Cross, a VW espera ter uma boa arma para enfrentar o Nissan Kicks, o Honda HR-V, o Jeep Renegade e Hyundai Creta no Brasil.

Para tal a fabricante apostou em uma interpretação mais ousada de sua identidade visual atual, construída sobre a onipresente (e eficiente) plataforma MQB – que atualmente é a base de diversos modelos espalhados pelas marcas do grupo – VW Polo, Golf e Jetta; Audi A1, A3 e TT; além de carros fabricados pela Seat e pela Skoda.

volkswagen-t-cross-brasil (9)

volkswagen-t-cross-brasil (10)

O visual do carro não era exatamente um segredo – a partir das imagens “vazadas” e da própria sequência de teasers da Volks já era possível adiantar boa parte do T-Cross no departamento estético. No entanto, só agora que o carro completo foi apresentado é que temos uma noção real de suas dimensões, que são compactas no papel e na prática. A versão europeia tem 4,11 metros de comprimento e o mesmo entre-eixos de 2,56 metros do VW Polo.

volkswagen-t-cross-brasil (11) tcross_3

A versão brasileira é um pouco maior, com 4,20 metros de comprimento e entre-eixos igual ao do sedã Virtus, de 2,65 metros. Mas ainda assim o SUV-júnior da VW é mais curto do que os citados rivais – o Jeep Renegade tem 4,23 m de comprimento; o Hyundai Creta tem 4,27 m; o Honda HR-V tem 4,29 m e o Nissan Kicks, 4,30 m. A vantagem fica no entre-eixos: os que mais se aproximam dele são o Nissan Kicks e o Honda HR-V, ambos com 2,61 metros.

volkswagen_t-cross_r-line_7_011200860e0c0977

Você pode conferir todas as medidas do VW T-Cross na ilustração abaixo:

dimensions-tcros

Apesar das dimensões mais avantajadas que na Europa, o T-Cross brasileiro não tem porta-malas maior – e este pode ser um de seus pontos fracos. Com o banco traseiro na posição normal, o porta-malas acomoda 373 litros (contra 385 da versão europeia, por conta da adoção do estepe). O banco traseiro pode ser deslocado para a frente em alguns centímetros e rebater parcialmente o encosto, o que aumenta a capacidade do porta-malas para 420 litros.

Mas voltando ao visual: agora fica claro que o T-Cross foi concebido como uma versão em menor escala de outros SUV da marca, como o T-Roc e o Touareg – especialmente analisando o formato da grade com aletas cromadas e o desenho dos faróis. Durante as apresentações ao redor do mundo, a Volks deixou claro que a o foco foi transmitir robustez e segurança com o design do T-Cross, com uma dianteira alta, linha de cintura robusta e saliente e vincos bem marcados na lateral. Para um SUV as proporções são bem resolvidas, com a coluna C bastante larga e ereta, os arcos das rodas bem preenchidos pelas mesmas e molduras cinza que percorrem todo o perímetro inferior do veículo.

volkswagen-t-cross-brasil (3)

A versão brasileira recebeu para-choques com desenho exclusivo que, de acordo com a Volkswagen, foram desenvolvidos com base em clínicas com o público – cujo resultado apontou preferência por um visual mais agressivo. As entradas de ar na dianteira são mais avantajadas no T-Cross feito para o Brasil, e o para-choque traseiro ganhou um friso cromado que não existe na versão europeia.

volkswagen-t-cross-brasil (8) volkswagen-t-cross-brasil (12)

É na traseira, porém, que se concentram algumas das características mais marcantes do estilo do Volkswagen T-Cross. Começando pelas lanternas traseiras, que trazem lentes escurecidas e elementos internos bem destacados. Estas são ligadas por uma faixa plástica com um refletor embutido que também abriga o logo da Volkswagen. O nome do SUV fica agora centralizado, na parte inferior da tampa do porta-malas. E há elementos cromados espalhados por todo o T-Cross – na grade dianteira, nas molduras dos faróis auxiliares, na base dos vidros laterais e no difusor do para-choque traseiro. As cores serão oito: azul, branco, bronze, cinza, laranja, prata, preto e vermelho.

volkswagen-t-cross-brasil (2)

Por dentro o Volkswagen T-Cross conserva grande parte do que já se via no Polo e no Virtus – linhas predominantemente retas, a mesma disposição dos elementos (comandos para o motorista, saídas de ar, botões do ar-condicionado e central multimídia) e quadro de instrumentos digital com tela de 10 polegadas (apenas para as versões mais caras) Há algumas diferenças de acabamento, contudo: a versão europeia tem volante de visual mais esportivo e traz algumas opções diferentes de estampas na face do painel. O interior do T-Cross brasileiro, em contraste, é mais sóbrio e com texturas mais limpas.

volkswagen_t-cross_r-line_165 volkswagen_t-cross_r-line_4

T-Cross europeu

volkswagen-t-cross-brasil (6)volkswagen-t-cross-brasil (7)volkswagen-t-cross-brasil (5)

T-Cross brasileiro

Isto posto, o SUV comercializado no Brasil trará equipamentos opcionais ausentes na versão europeia, como iluminação ambiente interna (como no novo Jetta); teto solar panorâmico que, segundo a Volks, é o maior da categoria; saídas de ar e um par de portas USB para os passageiros do banco de trás (além das duas para os bancos dianteiros). Sistema de som Beats de 300W com subwoofer e módulo amplificador, bem como o Park Assist 3.0, completam a lista de opções.

Agora, à motorização: o T-Cross europeu será equipado de início com o motor 1.0 TSI de três cilindros e potência de 94 cv ou 113 cv, além de um turbodiesel de 1,6 litro e quatro cilindros também com 94 cv. No Brasil serão apenas dois motores: o 1.0 turbo de três cilindros e 128 cv no T-Cross 200 TSI; e o 1.4 turbo de quatro cilindros e 150 cv no T-Cross 250 TSI – este, exclusivo para o nosso mercado.

Enquanto lá fora o T-Cross terá câmbio manual de cinco ou seis marchas e transmissão de dupla embreagem e sete marchas, a versão brasileira contará com câmbio automático de seis marchas da Aisin de série. Para o motor 1.0, haverá a opção por uma caixa manual de seis marchas . O que não muda de lá para cá é a tração: ela é apenas dianteira, tanto na Europa quanto no Brasil.

A fabricação brasileira será em São José dos Pinhais/PR, e as vendas, segundo a VW, estão marcadas para começar logo nos primeiros dias de 2019 – embora exista a chance de que atrasem alguns meses. Uma curiosidade: a VW do Brasil também vai fabricar o T-Cross com motor MSI 1.6 16v de 120 cv – esta versão, porém, será vendida apenas nos países da América do Sul.

A Volkswagen ainda não falou em preços, mas o consenso geral é que o T-Cross parta dos R$ 89.000 e não passe dos R$ 110.000. Até o Salão do Automóvel, onde o T-Cross será uma das atrações no estande da Volkswagen, deverão surgir mais informações.

Matérias relacionadas

Lamborghini lança novo Aventador S, Amazon “censura” episódio de The Grand Tour, Indy estuda proteção de cockpit e mais!

Leonardo Contesini

Audi apresenta seu R8 LMX com faróis a laser em Le Mans

Leonardo Contesini

Governo pode aumentar (ainda mais) mistura de etanol à gasolina, sucessor do McLaren F1 irá além dos 392 km/h, o possível fim de The Grand Tour e mais!

Leonardo Contesini