A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

Volvo S60 chega por R$ 196.000, Hilux e Frontier no LatinNCAP, Toyota vs. Need For Speed e mais!

Bom dia, caros leitores! Bem-vindos ao Zero a 300, a nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere conosco.

O Zero a 300 é um oferecimento do Autoline, o site de compra e venda de veículos do Bradesco Financiamentos. Nesta parceria, o FlatOut também apresentará avaliações de diversos carros no canal de YouTube do Autoline – então, clique aqui e se inscreva agora mesmo (e não esqueça de ativar o sininho)!

 

Volvo lança S60 no Brasil – preços partem de R$ 196.000

A Volvo apresentou nesta quarta-feira (21) a nova geração do sedã S60. O modelo estreia sobre a plataforma SPA, já usada pelo XC60, V60 e XC90, e será oferecido nas versões T4 Momentum, de 190 cv, T5 Inscription, de 225 cv e as híbridas T8 R-Design e Polestar, ambas com 407 cv. Todos são baseados no motor 2.0 turbo, porém com supercharger e motor elétrico na versão mais potente. O câmbio é sempre o automático de oito marchas “Geartronic”.

S60 é equipado com sistema semi-autônomo, que inclui o pacote de segurança City Safety, composto por freio automático e assistente de direção, cruise control adaptativo, alerta de ponto cego, alerta de mudança de faixa, sistema de proteção em saída de estrada, sistemas de proteção contra impactos laterais e lesões na coluna cervical e alerta de risco de colisão frontal.

Neste primeiro momento o S60 será oferecido apenas nas versões T4 e T5, que custam R$ 195.950 e R$ 229.950, respectivamente. O modelo T8 R-Design deve chegar entre outubro e novembro por R$ 270.000. Já o Polestar ainda não tem data nem preço divulgados. (LC)

 

Honda Civic Si é renovado para 2020

A Honda lançou nos EUA a linha 2020 do Civic Si com retoques visuais e uma modificação mecânica muito sutil que deu a ele um diferencial mais curto para melhorar a aceleração de zero a 100 km/h. Infelizmente, a marca não divulgou seus tempos de zero a 100 km/h porque “os parâmetros podem variar muito”.

Além do novo diferencial o Civic Si 2020 também tem retoques sutis na dianteira, que passa a ter elementos na cor da carroceria nas falsas tomadas de ar sobre os faróis auxiliares. Os faróis também foram remodelados internamente e na traseira a Honda finalmente se deu conta de que aquelas saídas falsas eram horríveis e as transformou em uma faixa mais discreta.

Por dentro ele não foi menos discreto: apenas detalhes em vermelho nos bancos e no quadro de instrumentos. Além disso, os sistemas auxiliares de condução agora são de série no Si, com cruise control adaptativo, sistema de frenagem automática de emergência, alerta de mudança de faixa e farol alto automático. Além disso, o carro agora tem simulação do ronco canalizado pelos alto-falantes.

Como o Civic Si vendido no Brasil é importado, se a Honda decidir continuar a importação do modelo, a versão renovada deve chegar ao país com todas as mudanças do modelo americano. (LC)

 

Latin NCAP avalia Chevrolet Cruze, Toyota Hilux e Nissan Frontier

O programa Latin NCAP avaliou mais três carros vendidos no Brasil: O Chevrolet Cruze, a Nissan Frontier e os Toyota Hilux e SW4. A picape da Nissan ainda não tinha passado pelos testes do órgão, enquanto o Cruze, a Hilux e a SW4 passaram por novos testes para atualizar a classificação para o novo protocolo.

O Chevrolet Cruze recebeu a nota de quatro estrelas no teste feito em 2018, na época o sedã não passou pelo teste de impacto lateral em poste por não ter airbags de cortina. O modelo mais recente vem com esse equipamento de série e passou pelo teste, elevando a nota para cinco estrelas.

Outro item importante para a elevação da nota do Cruze foi a adoção do controle de estabilidade como item de série. A nota de proteção infantil do Cruze foi de quatro estrelas, não foi maior pois o sistema ISOFIX não atende aos requisitos do Latin NCAP.

A dupla Hilux e SW4 manteve as cinco estrelas que conseguiram no último teste, realizado em 2015. Atualmente eles possuem sete airbags e controle de estabilidade de série em todas as versões, o que ajudou a manter a nota máxima com os testes de impacto laterais e de controle de estabilidade introduzidos no protocolo mais recente. Os utilitários da Toyota foram os únicos a receber cinco estrelas em proteção infantil dos veículos avaliados.

Já a estreante Nissan Frontier conseguiu quatro estrelas, tanto para adultos quanto para crianças. A picape da Nissan vem de série com controle de estabilidade, mas conta com apenas dois airbags de série na versão de entrada. Devido a falta dessas bolsas laterais o teste de impacto lateral com poste não foi realizado e a Frontier perdeu uma estrela na nota. (ER)

 

Futuro do Nissan GT-R ainda não está decidido

O Nissan GT-R foi lançado no final de 2007 como um supercarro tecnológico e moderno, hoje ele continua em linha e vem sendo considerado antiquado perto dos concorrentes modernos. O futuro do esportivo é incerto: o conselho executivo da Nissan ainda não decidiu se a próxima geração do GT-R será híbrido ou elétrico.

Hiroshi Tamura é o líder da equipe de desenvolvimento do GT-R e revelou que a equipe está pronta para começar a trabalha e espera apenas essa decisão dos executivos da Nissan. Tamura disse para o site australiano Motoring durante o lançamento de uma edição comemorativa do 370Z que o GT-R atual pode continuar com a plataforma e mecânica atual até 2027. A combinação do motor V6 biturbo com a tração integral continua competitiva, segundo o engenheiro, e recebeu atualizações na linha 2020.

Tamura apontou que os Skyline GT-R R32, R33 e R34 usaram basicamente a mesma mecânica e plataforma por 14 anos. O engenheiro também revelou que um dos motivos para sua pressa para começar o desenvolvimento da nova geração do GT-R é sua idade: Hiroshi Tamura tem hoje 58 anos e aos 60 precisa se aposentar obrigatoriamente. Ele revelou que quer encaminhar o início do projeto do esportivo antes de sua aposentadoria. (ER)

 

Toyota diz que seus carros não estão em NFS: Heat porque o game promove “corridas ilegais”

A lista de carros de Need for Speed: Heat foi divulgada há alguns dias, e muitos entusiastas sentiram a falta de modelos da Toyota – tanto os modernos, como o novo Supra e o GT86, quanto os clássicos. Por que eles não estão lá? De acordo com a Toyota, é porque o novo NFS “promove corridas de rua ilegais.” Ou ao menos foi esta a resposta que a divisão britânica da fabricante deu a um fã que questionou no Twitter.

O usuário postou uma pergunta simples: “Onde está a Toyota no novo Need for Speed? Eis uma oportunidade perdida.” E a conta @ToyotaUK respondeu: “Não está. Mas você pode encontrar nossos carros em Gran Turismo Sport, que não promove corridas ilegais nas ruas 😬”

A conta oficial de Need For Speed na rede social não perdeu a oportunidade e comentou: “Pfft nerds”. E, em seguida, a Toyota deletou a resposta ao tweet. Mas a conversa, obviamente, já havia virado screenshot.

A Toyota deve ter percebido a infelicidade da resposta. Primeiro, porque os carros da Toyota estavam presentes em Need for Speed até 2015. Segundo, porque filmes como “Velozes e Furiosos” trazem os Toyota em papel de destaque há anos, e isto não vai mudar no próximo capítulo da franquia – que, aliás, trará um Supra A90 laranja como homenagem ao carro de Brian O’Conner no primeiro “Velozes”.

O que aconteceu, no entanto, foi um acordo de exclusividade entre a Toyota e a Polyphony Digital, que só permite que os carros da fabricante apareçam em Gran Turismo atualmente. Não houve pronunciamento oficial sobre o assunto, mas este acordo existe.

No dia seguinte, a Toyota postou uma thread com uma espécie de pedido de desculpas:

Nós adoramos saber que vocês querem nossos carros em todos os seus games de corrida favoritos. Nós queremos, também. Quase todo mundo na equipe de social media da Toyota UK se apaixonou por carros em games como TOCA, Daytona e Gran Turismo. Um de nós até tem boas lembranças de Pole Position no Atari! Oficialmente, a Toyota Motor Corporation não tem planos concretos para licenciar seus modelos em qualquer outro game de corrida que não seja Gran Turismo Sport no momento. Quando vocês perguntam para nós por que os carros da Toyota não aparecem em seus games favoritos, não queremos dar uma resposta genérica, mas atualmente estamos limitados quanto ao que podemos dizer. E ontem respondemos da forma errada. Ficaremos felizes em compartilhar nossos planos futuros com vocês assim que pudermos. Até lá, continuem acelerando, seja em Gran Turismo Sport, Forza ou Need for Speed.

Engenheiro do Toyota Supra quer fazer um novo MR2 com a ajuda da Porsche

Foto: Esa Mustonen/Behance

Falando em Toyota, a fabricante parece não descartar a possibilidade de trazer de volta o MR2, um de seus esportivos mais emblemáticos. Tetsuya Tada, engenheiro-chefe responsável pelo novo Supra, foi quem deu a letra durante uma entrevista ao site Autoindustriya. Segundo ele, parcerias externas são importantes no momento e, não fosse pelo trabalho em conjunto com a BMW, o novo Supra teria sido lançado em 2019, não 2012.

Então, Tada foi questionado sobre outro revival: “Você trabalhou com a Subaru para trazer de volta o 86, e com a BMW no retorno do Supra. Com quem você quer trabalhar para reviver o MR2?”  E ele respondeu rápido: “Porsche!”

O Autoindustriya diz que é difícil saber se ele estava falando sério ou só brincando, mas já se fala há algum tempo em um possível retorno do MR2, com motor central-traseiro e possivelmente tecnologia híbrida. O Toyota MR2 teve três gerações, e deixou de ser fabricado em 2007. (DH)

 

Royal Enfield Interceptor 650 e Continental GT 650 chegam no início de 2020

A Royal Enfield, promissora fabricante de motos retrô, vem apostando forte no Brasil. Nesta semana o recém-nomeado presidente da Royal Enfield Americas, Rod Copes, anunciou a chegada de dois novos modelos no nosso País no início do ano que vem: a Interceptor 650 e a Continental GT 650.

As duas motos são mecanicamente idênticas, equipadas com o novo motor bicilíndrico de 650 cm³ da Royal – por isto, são conhecidas internamente como “The Twins”. Visualmente, porém, elas são diferentes: enquanto a Interceptor faz a linha street mais clássica, a Continental GT tem inspiração nas antigas cafe racers, com assento individual, guidão mais baixo e customização leve no tanque.

Segundo a Royal, o motor dois-cilindros de 648 cm³ tem funcionamento mais elástico e suave do que o monocilíndrico de 500 cm³ usado nas demais motocicletas da fabricante. O novo propulsor entrega 74 cv a 7.100 rpm e 5,3 kgfm de torque, moderado por uma caixa de cinco marchas. Ambas as motos vêm equipadas com freios ABS e tanque de combustível de 12,5 litros. (DH)

 

Matérias relacionadas

Quando os carros de rua ganham pinturas de corrida – parte 1

Dalmo Hernandes

Dallara Stradale: quando uma fabricante de monopostos faz um supercarro

Dalmo Hernandes

Se a Volkswagen tivesse feito uma Parati GT, ela seria mais ou menos assim

Dalmo Hernandes