A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

Volvo S60 no Brasil em agosto por R$ 196 mil, Ford sabia de problema em Powershift, Aston Walkyrie vai para a pista, F-150 Roush e mais!

Bom dia, caros leitores! Bem-vindos ao Zero a 300, a nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere conosco.

O Zero a 300 é um oferecimento do Autoline, o site de compra e venda de veículos do Bradesco Financiamentos. Nesta parceria, o FlatOut também apresentará avaliações de diversos carros no canal de YouTube do Autoline – então, clique aqui e se inscreva agora mesmo (e não esqueça de ativar o sininho)!

 

Novo Volvo S60 entra em pré-venda no Brasil por R$ 195.950

Nesta semana se inicia a pré-venda do novo Volvo S60, com início das vendas para agosto. O veículo já estava em exposição em alguns locais estratégicos, como o Shopping JK Iguatemi, em São Paulo. Haverá quatro versões diferentes, com um total de três configurações do motor 2.0 Drive-E: T4 Momentum (2.0 turbo, 192 cv) por R$ 195.950, T5 Inscription (2.0 turbo, 257 cv) por R$ 229.950, T8 R-Design (2.0 turbo híbrido, 412 cv) por R$ 269.950 e Polestar (2.0 turbo híbrido, 412 cv), com preço ainda a ser definido.

O sedã, produzido em Ridgeville (Carolina do Sul), utiliza a plataforma modular SPA, que estrutura todos os modelos das séries 60 e 90 da Volvo e que apresenta mais de 50% de aços de alta resistência no monobloco, suspensão dianteira em duplo A e traseira do tipo integral link. Em relação à geração anterior, ele ficou 5,3 cm mais baixo, mas 12,6 cm mais longo e com 9,6 cm extras no entre-eixos, aumentando bem o espaço interno.

Como todo Volvo, há um batalhão de recursos de segurança e semi-autônomos, como o controle de cruzeiro adaptativo com assistente semi-autônomo de direção até 130 km/h, alerta de mudança de faixa, sistema de frenagem emergencial autônoma incluindo detecção de animais e ciclistas (utilizando uma câmera de 50 quadros por segundo capaz de mapear até 40 objetos ao mesmo tempo), radar traseiro para colisões traseiras, com operação automática dos freios pós-colisão e pré-tensionamento dos cintos para evitar fraturas na coluna cervical. A estrutura do banco é também colapsível na vertical para prevenir danos na coluna no caso de uma saída de estrada com diferença grande de nível para o terreno.

Um dos grandes destaques do interior é o design da cabine, que não cedeu à tentação do world design e se preservou essencialmente sueco, bastante minimalista e elegante. A tela central de 9″ fica na vertical e apresenta conectividade Apple Carplay e Android Auto. O cluster de instrumentos em TFT tem 12,3″ e é customizável de acordo com os modos de direção.

Vale a pena assistir à nossa avaliação da perua V60 na versão de entrada Momentum, essencialmente o mesmo veículo em outra configuração de carroceria, abaixo. (JB)

 

Ford sabia dos problemas com câmbio Powershift, de acordo com jornal americano

O câmbio de dupla embreagem a seco Powershift, lançada nos EUA em 2011 e no Brasil em 2013, foi o responsável por uma grande tensão na Ford, tanto no Brasil quanto em outros mercados. Por aqui, a caixa trouxe dor de cabeça aos donos de Fiesta, Ecosport e Focus. De acordo com diversos relatos, incluindo alguns que viraram processos na justiça, os carros equipados com a transmissão Powershift podiam sofrer perda de torque em subidas, trepidação excessiva e até mesmo aceleração repentina. Diversas reclamações foram emitidas à fabricante, que na época disse reconhecer alguns dos defeitos e comprometeu-se a encontrar soluções para eles.

Agora, surgiu um novo desdobramento do caso nos EUA. De acordo com um artigo publicado pelo jornal Detroit Free Press em 12 de julho, a Ford já sabia dos problemas em sua caixa de dupla embreagem antes mesmo de os veículos serem postos à venda. A publicação obteve acesso a milhares de documentos relacionados à transmissão, incluindo e-mails de engenheiros alertando seus supervisores sobre os problemas e aconselhando a resolução imediata dos mesmos. Um dos emails é datado de agosto de 2010, vários meses antes de o Ford Focus modelo 2012 ser colocado à venda.

DFP também diz que a Ford orientou suas concessionárias a omitirem os defeitos dos clientes, e dizer a eles que o câmbio Powershift funcionava normalmente. A fabricante também chegou a dizer que o câmbio funcionava perfeitamente, e que na verdade eram os motoristas que não estavam acostumados com a sensação de utilizar um câmbio de dupla embreagem.

As reclamações junto à NHTSA (National Highway Traffic Safety Association), órgão responsável pela fiscalização da segurança rodoviária nos EUA, chegaram a mais de 4.300. A Ford, mais tarde, admitiu os problemas, e disse ter encontrado soluções para todos, embora algumas questões fossem mais complexas do que o previsto. A fabricante também aumentou a garantia dos veículos com câmbio Powershift vendidos nos EUA para sete anos ou 160.000 km, ressaltando que os defeitos não representavam risco de morte aos ocupantes dos veículos. Apesar disto, ao menos um acidente grave tenha sido registrado – um casal de idosos ficou ferido depois que seu Ford Focus avançou sozinho um cruzamento e foi atingido na lateral. Uma ação coletiva de um grupo de proprietários resultou em uma proposta da Ford de US$ 35 milhões, mas ela foi negada pelos clientes, que consideraram a soma desvantajosa para eles. O processo segue em andamento.

No Brasil, o câmbio Powershift foi alvo de centenas reclamações junto ao Procon. Os defeitos relatados incluem, além da perda de torque e das trepidações, mudança repentina para o ponto morto, superaquecimento e desgaste prematuro da embreagem. A Ford do Brasil admitiu o defeito, mas disse que não havia perda de torque. Segundo a empresa, o problema estava no vazamento do fluido da transmissão para a embreagem, mas não realizou um recall, alegando não haver risco de morte para os ocupantes.

A partir do modelo 2015, porém, foram feitas mudanças na transmissão, e a Ford também aumentou a garantia para os clientes brasileiros: dez anos ou 160.000 km, com troca gratuita da embreagem.

Em todo caso, o câmbio Powershift está em vias de ser aposentado, com a maioria dos modelos da Ford o substituindo por uma transmissão automática tradicional. (DH)

 

Aston Martin Valkyrie acelera pela primeira vez no GP da Grã-Bretanha

Depois de sua apresentação estática, da divulgação de seu belíssimo ronco, e de diversas informações já reveladas, o Aston Martin Valkyrie – o hipercarro híbrido que já chamamos de “o último suspiro dos motores V12 naturalmente aspirados” – fez sua estreia em movimento no último fim de semana. Em vez de utilizar o Goodwood Festival of Speed como palco, a Aston Martin decidiu trazer para si os holofotes, mostrando o Valkyrie de surpresa antes dos treinos de classificação para o Grande Prêmio da Grã-Bretanha, em Silverstone.

O carro trajava a mesma pintura azul e vermelho usada pelos monopostos da Red Bull Racing antes do início da temporada. No vídeo acima, divulgado pela Red Bull Racing, podemos notar que o carro está rodando bem abaixo do limite, com trocas de marchas precoces e bastante distantes da redline do V12. É muito provável que o carro ainda esteja em fase de shakedown, e por isso a Aston Martin foi bastante conservadora na iniciativa. Mas caso você queira ouvir o ronco do V12 do Valkyrie em plena carga e sem nenhuma restrição, confira aí embaixo!

Equipado com um V12 naturalmente aspirado de quase 1.200 cv, sistema híbrido KERS semelhante ao da Fórmula 1, e a aerodinâmica extremamente sofisticada de Adrian Newey, o Aston Martin Valkyrie terá 150 unidades fabricadas. Naturalmente, todas elas já foram vendidas. (DH)

 

Roush F-150 Nitemare: a nova picape mais rápida do mundo

Até pouco tempo atrás, a Hennessey VelociRaptor – uma Ford F-150 modificada, com 770 cv – era considerada a picape mais rápida do mundo em aceleração, capaz de ir de zero a 96 km/h (60 mph) em 4,1 segundos. Agora, porém, ela foi destronada por… outra Ford F-150 modificada. Batizada Roush Nitemare, a caminhonete vai de zero a 96 km/h em 3,9 segundos, dois décimos mais rápida.

A Roush, como muitos sabem, é uma preparadora americana especializada em Ford, especialmente no Mustang – e, muitas vezes, opera em conjunto com a fabricante, oferecendo em seus produtos a mesma garantia dos veículos vendidos nas concessionárias. No caso da Nitemare, o coração do projeto é um V8 Coyote de cinco litros com supercharger TVS R2650 – o suficiente para entregar 660 cv e 84 kgfm de torque. Para se ter ideia, o motor V6 Ecoboost de 3,5 litros da F-150 Raptor, versão mais potente de fábrica, entrega 456 cv e 70,5 kgfm de torque.

De acordo com a Roush, o conjunto leva a Nitemare aos 96 km/h em 3,9 segundos na versão de cabine simples, e 4,1 segundos no modelo de cabine dupla (Supercrew). Em ambos os casos, a picape usava pneus Continental Crosscontact LX20 de medidas 285/45, calçando rodas de 22 polegadas. Os tempos foram obtidos em testes independentes, feitos pela própria Roush, com a presença de jornalistas, pilotos e engenheiros envolvidos no projeto.

Além do supercharger e dos pneus, a Nitemare também é equipada com suspensão mais baixa e de maior carga e um sistema de escapamento ativo ajustável – através de um seletor no painel, é possível escolher entre diferentes configurações das válvulas para modificar o ronco do escape. Para adquirir uma, seus compradores devem encomendar uma F-150 zero-quilômetro e pagar uma quantia extra de US$ 19.950 à Roush. (DH)

 

Liberty Walk apresenta o kit Silhouette Works GT para Lamborghini Huracán – sem rebites

Uma das customizadoras mais badaladas e agressivas do Japão, a Liberty Walk, famosa pelos seus kits widebody para carros exóticos, apresentou um teaser do seu kit LB-Silhouette Works GT para o Lamborghini Huracán. A grande novidade é que ele faz parte do novo catálogo “Exchange Type Fender Kit”, que não envolve o corte dos para-lamas originais do veículo – que é um dos pontos de maior resistência dos proprietários dos carros, visto que com isso, a mudança fica irreversível. No Exchange Type, em vez de cortar os para-lamas e rebitar as peças, você simplesmente troca a peça inteira pela unidade da Liberty Walk, dos para-lamas ao capô.

Extremamente agressivo, o kit parece sofrer forte influência dos carros da Lamborghini Super Trofeo e um toque de inspiração dos modelos FXX da Ferrari. Por sinal, o primeiro carro a apresentar este kit de substituição foi a a Ferrari 458 GT LB-Silhouette Works (foto abaixo). O kit para o Lamborghini Huracán envolve estes componentes: para-choque dianteiro, splitter, para-choque traseiro, difusor traseiro, asa traseira, para-lamas e capô. Há três configurações possíveis: o de plástico reforçado com fibra de carbono (método “wet”), por US$ 39.420, o de fibra de carbono curado em autoclave (método “dry”, o mais leve) por US$ 59.940 e um kit misturando um pouco dos dois, por US$ 49.680. Também é possível comprar individualmente cada componente. O lançamento será no SEMA Show em Las Vegas, que ocorrerá em novembro. (JB)

 

Fiat convoca cinco modelos para recall

A Fiat está convocando 138.116 carros fabricados entre 2013 e 2014 para um recall no módulo dos airbags dianteiros. O fabricante identificou que a possibilidade de degradação dos deflagradores dos airbags pela exposição a grandes variações de temperatura e umidade por períodos prolongados. Em caso de acidente pode haver a possibilidade de projeção de estilhaços nos ocupantes do veículo.

A Fiat recomenda que os consumidores façam um agendamento na concessionária. O reparo tem tempo estimado de duas horas. Os modelos envolvidos são Novo Palio, Uno, Grand Siena, Doblò e Doblò Cargo.

Uno: modelos 2013 e 2014 com chassi não sequenciais 441221 a 451692.

Novo Palio: modelos 2013 e 2014 com chassi não sequenciais 130601 a 168064 e 018679 a 044747

Grand Siena: modelos 2013 e 2014 com chassi não sequenciais 063571 a 090550

Doblò: modelo modelo 2013 com chassi não sequenciais 103179 a 108025

Doblò Cargo: modelo 2013 com chassi não sequenciais 030771 a 032076

(ER)

 

Harley-Davidson lança moto elétrica e será vendida no Brasil em 2020

A Harley-Davidson é uma fabricante com imagem muito ligada a tradição e que, por conta disso enfrenta um sério desafio de renovação de sua marca, que está encolhendo em vendas a cada ano. Um dos esforços para a retomada é sua moto elétrica LiveWire, que começa a ser vendido agora nos EUA. Um executivo da filial brasileira já confirmou ao portal G1 a sua vinda ao Brasil em 2020.

A LiveWire tem um motor elétrico de 105 cv e 11,83 kgfm, capazes de levar a moto de zero a 100 km/h em apenas três segundos. A autonomia é de 235 km em ciclo urbano e 152 km no ciclo rodoviário. Por usar uma bateria menor que a dos carros elétricos, o tempo de recarga é bem menor, precisando de apenas uma hora para carregar completamente. Um recarga rápida de 40 minutos garante 80% da carga.

Ao contrário do mercado de carros elétricos, o das motos elétricas é bastante limitado e tem mais iniciativas de start-ups do que de fabricantes de grande volume, possivelmente pela grande autonomia que as motos a combustão apresentam. A Harley-Davidson é o segundo fabricante de grande volume a lançar uma moto do tipo, atrás apenas da BMW que lançou o scooter elétrico C-Evolution em 2016. (ER)

 

Porsche reinaugura a pista de Nardò

A Porsche reinaugurou nessa sexta (12) o campo de provas de Nardò, na Itália, totalmente renovado. O campo de provas foi feito pela Fiat em 1975 e comprado pelo fabricante alemão em 2012 e é famoso pela pista circular de 12,6 km de circunferência.

A renovação durou sete meses e a Porsche investiu 35 milhões de euros nas obras. Todo o asfalto do campo de provas foi refeito, os guardrails são novos e as instalações foram renovadas. Há ainda planos para outras renovações no futuro, incluindo o crescimento do ecossistema da área verde no interior da pista. Além da famosa pista circular – que pode ser vista do espaço -–Nardò conta com pistas de traçado misto e um skidpad. Em 2005 o recorde de velocidade máxima do Koenigsegg CCR foi feito na pista circular, atingindo 388 km/h de máxima. (ER)

Matérias relacionadas

O Audi S2 Coupé de 920 cv e 316 km/h da Motorfort está à venda

Dalmo Hernandes

Mercedes CLA Shooting Brake, Veloster de motor central, Circuito de Kyalami à venda, e mais!

Leonardo Contesini

Bugatti Veyron ganha (mais uma) edição especial, Toyota FT-1 em GT Vision de Gran Turismo, um carro autônomo chinês e mais!

Leonardo Contesini