A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture Projetos Gringos

Que tal um quadriciclo com motor V8 de Ferrari? Ou da Jaguar? Conheça as incríveis misturas de carro e moto da Lazareth

Às vezes temos a impressão de que não importa como seja o carro que você quer: algum dia, em algum lugar do mundo, uma fabricante fará algo parecido com ele. Dizemos isto porque certamente alguém já quis um roadster de dois lugares com jeito de triciclo, cockpit dividido em dois, tração traseira e um V8 de quatro litros supercharged de 380 cv. Esta é a descrição do Wazuma GT, esportivo francês que mistura moto e carro de corrida das antigas em um pacote bem curioso — que também parece para lá de divertido!

Se você nos acompanha desde os tempos de Jalopnik Brasil (e é bom de memória) certamente vai lembrar da Lazareth. A companhia francesa ficou famosa no fim de 2013 ao apresentar o Wazuma V8F, um quadriciclo com visual descolado e um V8 Ferrari de 3,0 litros e 250 cv, acoplado a uma caixa sequencial de seis marchas da BMW. Além disso, seu visual é diferente daquele de um quadriciclo off-road comum: ele mais parece uma supermoto com quatro pneus de carro (e faróis de Nissan 370Z, diga-se de passagem).

09-lazareth-wazuma-v8f

O V8, que não é especificado mas provavelmente se trata de um Dino, recebeu um sistema de injeção eletrônica multiponto e um módulo de controle aftermarket, enquanto a transmissão sequencial é acionada por dois botões no guidão — um para as trocas ascendentes, outro para as reduções.

06-lazareth-wazuma-v8f

 

Se 250 cv não parecem muito para um V8 Ferrari, é importante frisar que o Wazuma V8F pesa apenas 650 kg, e é capaz de arranhar os 200 km/h. Felizmente a Lazareth também investiu nos freios: abrigados atrás das rodas de 18 polegadas, estão discos de freio de 345 mm de diâmetro.

É claro que é uma proposta bacana e não duvidamos do potencial do V8F. Mas, no fim das contas, ele ainda está mais para uma moto do que para um carro. Claro, existem motos absurdamente incríveis (como a Honda RC166 e seu seis-em-linha de 250 cm³, por exemplo), mas e se você fizer questão de um volante, pedais e alavanca de câmbio? Bem, a Lazareth também tem algo para você.

Wazuma-GT-7

É o Wazuma GT. Você já deve ter sacado que ele não é um grand tourer, como seu nome sugere, e está mais para um roadster de dois lugares. Olhando de frente, com alguma imaginação, ele até lembra o Mercedes-Benz SLS AMG, pelo formato dos faróis e da grade. Só que a impressão é passageira — à medida que se avança até a parte posterior do carro, sua natureza “híbrida” fica evidente.

Wazuma-GT-5

O Wazuma GT é construído sobre um chassi tubular feito sob medida, com carroceria de fibra de carbono e poliéster. A suspensão dianteira usa o tradicional arranjo McPherson, enquanto a traseira traz um par de amortecedores horizontais da Öhlins, em um sistema muito parecido com os quadriciclos.

Wazuma-GT-3

Só há um detalhe: o motor fica na dianteira, e é o mesmo usado em esportivos britânicos: um V8 Jaguar de quatro litros que, com compressor mecânico, entrega 380 cv e 53,5 mkgf de torque. Mesmo com o câmbio automático, é suficiente para chegar aos 100 km/h em 3,8 segundos, com máxima de 250 km/h.

É por isso que a Lazareth não classifica o GT como moto, nem como carro. Ele tem espaço para duas pessoas, uma ao lado da outra, pequenos para-brisas (que são mais decorativos do que qualquer outra coisa), volante e câmbio automático de cinco marchas, mas o painel de instrumentos é como o de uma supermoto. O peso é de 995 kg — o mesmo de um carro popular.

Andar em um destes não exige capacete (como nas motos) ou cinto de segurança (como nos carros). No entanto, quem teve a oportunidade de pilotá-lo — como os caras da Option Auto, no vídeo acima — garante que a experiência é muito mais parecida com a de pilotar uma motocicleta.

Só há um detalhe: a Lazareth não garante que o V8F ou o GT sejam legalizados para rodar nas ruas de qualquer país e dizem que, ainda que sejam capazes de rodar nas ruas, seus veículos foram criados para fins promocionais. De qualquer forma, pilotar qualquer um deles deve ser algo, no mínimo, curioso.

Matérias relacionadas

Quando a Volkswagen fez uma Variant com motor Porsche flat-6 — ou quase isto

Dalmo Hernandes

Mechatronik: os Mercedes do passado mais modernos do planeta

Leonardo Contesini

456 Venice: a história da perua Ferrari feita exclusivamente para o Sultão de Brunei

Dalmo Hernandes
error: Direitos autorais reservados